‘Declarações de Guedes sobre AI-5 causam insegurança entre investidores’, diz Rodrigo Maia

'Por que alguém vai propor o AI-5 se o ex-presidente Lula estimular manifestação de rua? O que uma coisa tem a ver com a outra?', questiona presidente da Câmara

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reagiu às falas de Paulo Guedes, sobre o AI-5. Segundo o parlamentar, as declarações do Ministro da Economia geram insegurança na sociedade e entre investidores.

A primeira declaração de Guedes aconteceu na segunda-feira (25), durante uma coletiva para a imprensa brasileira em Washington. O ministro disse que ninguém deve se assustar “se alguém pedir o AI-5”, caso aumentem os protestos de rua contra o governo. A fala ocorreu em resposta a um questionamento sobre a possibilidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva liderar manifestações.

Nesta terça-feira (26), com a repercussão negativa da sua fala, Guedes justificou a ameaça do AI-5 para deter “bagunça” e o “povo para a rua”.

O Ato Institucional nº 5, instituído em dezembro de 1968, marcou o início da fase mais violenta da ditadura militar brasileira. O instrumento deu ao então presidente Costa e Silva a prerrogativa de fechar o Congresso, Assembleias e Câmaras, conferindo o poder de aplicar punições, cassar mandatos e suspender direitos políticos em caráter permanente. O AI-5 suspendeu ainda a garantia de habeas corpus em casos de crimes políticos, contra a segurança nacional, ordem econômica e economia popular.

Maia avaliou as declarações do ministro da Economia durante a sua participação no seminário “Política, Democracia e Justiça”, que acontecia na Câmara, nesta terça:

“Por que alguém vai propor o AI-5 se o ex-presidente Lula – que acho que está errado também porque está muito radical – estimula a manifestação de rua? O que uma coisa tem a ver com a outra? Vamos estimular o fechamento do Parlamento, [a suspensão] dos direitos constitucionais do cidadão, como o habeas corpus, é isso que queremos? Tendo uma manifestação de rua, a gente fecha as instituições democráticas? ”, criticou.

O presidente da Câmara questionou ainda as sucessivas referências ao AI-5 de outros membros ligados a Bolsonaro. “Qual é o intuito por trás da utilização de forma recorrente dessa palavra?”

Leia também:  Do Banestado à Lava Jato: um dossiê sobre o passado de Sergio Moro

Também nesta terça, o Conselho de Ética da Câmara abriu dois processos contra o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). O primeiro por causa de uma declaração, feita durante entrevista à jornalista Leda Nagle, de que se “a esquerda brasileira radicalizar”, o Estado pode responder “via um novo AI-5”.

O segundo processo foi por ataques, via redes sociais, contra a colega de partido Joice Hasselmann (PSL-SP), depois que a parlamentar decidiu ficar ao lado do presidente do PSL Luciano Bivar (PE) no racha que se abriu dentro da sigla em oposição ao presidente Bolsonaro.

Não é a primeira vez que Eduardo faz declarações de cunho autoritário. Em julho de 2018, durante uma palestra para concurseiros, ao ser questionado sobre o caso hipotético de o Exército agir se o Supremo Tribunal Federal impedisse que Bolsonaro assumisse a Presidência, o parlamentar respondeu que achava pouco provável que a situação acontecesse, arrematando que, para fechar a Corte, seria necessário apenas “mandar um soldado e um cabo”.

*Com informações da Agência Câmara

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Esses investidores tão é chorando de barriga cheia. Eles não tem a mínima ideia do que seja insegurança. Se eles, que nem disseram ao Piranga pra não se assustar se sua testa fosse alvo de um projétil de, ak-47, estão inseguros, imagina eu, que disse isso de brincadeira, sem pensar nas consequências que pudessem derivar dessa tola brincadeira. E mesmo que eu tivesse dito isso da boca pra dentro, não seria eu o sniper. Tem sniper muito mais competente que moi.
    To de brinca mas com esse tipo de gente não se brinca, por isso faço como o Ciro atiro pra cima, né, Rato de Curitiba nos esgotos do Planalto

    2
    1
  2. OS DÓLARES ESTÃO FUGINDO DO BRASIL.

    E SE EU TIVESSE DÓLARES, TAMBÉM ESTARIA FUGINDO DAQUI.

    OS ARTISTAS FOGEM, A CLASSE MÉDIA FOGE: MIAMI, PORTUGAL, CANADÁ.

    A MULA PICA-SE, MONTA-SE NA MULA COM DINHEIRO E SE PICA COM ELA DAQUI DO BRASIL

    SE OS BRASILEIROS ESTÃO FAZENDO ISSO, IMAGINA O CAPITAL ESTRANGEIRO.

    QUEM É LOUCO É O BOLSONARO. QUE É LOUCO SÃO OS MINIONS FACISTAS.

    MAS O DINHEIRO NÃO É LOUCO. DINHEIRO LOUCO É O DINHEIRO DE COFRE PÚBLICO.

  3. O Brasil tá virando um Grande Haiti nas mãos das milícias Toton Macoutes.

    O MP virou puxadinho do Partido 38

    Magina só fosse o Lula

    …….

  4. O Chile, teu país de nascimento, depois de trinta anos e trinta centavos de aumento do metrô, a gota d’agua a transbordar determinou o chega pra lá exigindo a sua parte; na tua ótica deveria esperar mais trinta anos e trinta centavos?
    Pois bem este povo decidiu sem ter um Grande Presidente Lula para canalizar, organizar e ter voz nas instituições reclamar nas ruas os mesmos direitos dos guedes, em 1789 os sans culotte na civilizada França decidiram reclamar nas ruas os mesmos direitos dos guedes, na terra de Santa Cruz o povo irá reclamar nas ruas os mesmos direitos dos guedes.
    Botafogo menos jn e mais livros….

  5. Cara, na boa: Quem vai investir nesta merda?
    Parece que a quitandinha “da” Guedes e “da” bozo não tem mais nada pra vender ou o produto que oferecem é de baixa qualidade ou pertence a outro, neste caso o povo brasileiro, o que torna a venda ilegítima e reversível.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome