Os maus resultados dos “formadores de opinião” da imprensa na Era Lula: haverá renovação?

A vitória de Lula sobre os “baluartes da imprensa” (arte extraída de “Conversa Afiada”)

ssadas as eleições e a confirmação do resultado da vitória de Dilma Roussef sob o prestígio popular de Lula, ficou uma questão: o que seria dos derrotados prepostos da imprensa conservadora? Afinal perderam, mais uma vez, a disputa pela “formação da opinião pública”, não foram capazes de cumprir a missão imposta por seus patrões: vencer Lula, trazer para a pauta a agenda neoliberal e desconstruir o modelo vencedor do governo que combateram, ferozmente, em quase todas as capas de jornais e revistas, comentários “nas rádios que tocam notícias” e matérias parciais na TV desde o início do processo eleitoral, lá em 2009…
Perdedores que foram, incapazes de convencer o povo a “defender seu ideário”, manterão seus prestígios? Ou a lógica de “perder de pouco” já é considerada uma tese de vitória do PIG???

Confira abaixo:

Os maus resultados dos “formadores de opinião” da imprensa na Era Lula: haverá renovação?

Os maus resultados do PIG

Passada a acirrada disputa eleitoral, todos os lances mais agudos e tensos do pleito, ficam duas perguntas:
A primeira: Dilma e Lula derrotaram a oposição ou a imprensa conservadora?
A segunda: Considerando que a resposta da primeira pergunta seja, de fato, a segunda opção – o que será dos principais nomes desta corporação daqui para a frente?

Pois bem, o elenco é “estelar” e que gera uma folha de pagamento astronômica para os grandes grupos de comunicação do Brasil: Diogo Mainardi, Arnaldo Jabor, Miriam Leitão, Reinaldo Azevedo, Fernando Rodrigues, Merval Pereira, Alexandre Garcia, Lucia Hipólito, Bóris Casoy, William Waack, Dora kramer, Ali Kamel… não conseguiram cumprir seus “deveres”, suas metas ficaram muito abaixo daquilo que a corporação estipulou.  Os “resultados esperados” não vieram…
 
Leia a íntegra aqui>>>

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador