“Elite do Congresso” está chocada com retórica de Bolsonaro e discute podar decretos e MPs

“Faz troça da dor alheia, algo inaceitável”, disse ainda ministro do STF, segundo informações da coluna Painel, da Folha de S.Paulo

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Jornal GGN – A elite do Congresso e do Judiciário está chocada, finalmente, com os arroubos de Jair Bolsonaro. Segundo informações da coluna Painel, da Folha de S.Paulo, após o ataque mais recente, contra o presidente da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), Felipe Santa Cruz, parlamentares avaliam acabar com as medidas provisórias e derrubar todo decreto presidencial.

O objetivo é tentar esvaziar o poder de Bolsonaro que não tem conseguido passar a imagem de governante equilibrado. Em entrevista à Folha, o deputado Marcelo Ramos (PL-AM) comentou que o presidente tem publicado medidas provisórias e decretos em excesso para burlar o Parlamento.

“Defendo que a gente reaja a todo e qualquer decreto que extrapole a prerrogativa do presidente (…) O problema não é só de conteúdo, a prática de passar por cima do Congresso é que é grave”, disse.

A coluna Painel diz ainda que ministros do Supremo Tribunal Federal se manifestaram em solidariedade ao presidente da OAB, considerando a fala de Bolsonaro infeliz. “Faz troça da dor alheia, algo inaceitável”, disse um magistrado.

Na segunda-feira (29), ao reclamar sobre a atuação da OAB, no caso Adélio Bispo, autor do atentado à faca contra ele, Bolsonaro disse que poderia explicar ao presidente da Ordem, Felipe Santa Cruz, como o pai dele desapareceu na ditadura militar (1964-1985).

“Por que a OAB impediu que a Polícia Federal entrasse no telefone de um dos caríssimos advogados? Qual a intenção da OAB? Quem é essa OAB? Um dia, se o presidente da OAB quiser saber como é que o pai dele desapareceu no período militar, conto pra ele. Ele não vai querer ouvir a verdade. Conto pra ele.”

“Não é minha versão. É que a minha vivência me fez chegar nas conclusões naquele momento. O pai dele integrou a Ação Popular, o grupo mais sanguinário e violento da guerrilha lá de Pernambuco e veio desaparecer no Rio de Janeiro”, disse Bolsonaro.

Os restos mortais de Fernando Santo Cruz nunca foram encontrados. Como a ocultação de cadáver é crime permanente e o presidente disse que sabe de algo, a família Santa Cruz decidiu que irá pedir à Comissão Interamericana de Direitos Humanos que se manifeste sobre a fala de Bolsonaro.

Em nota pública, a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), órgão ligado ao Ministério Público Federal, apontou que a declaração de Bolsonaro “reveste-se de enorme gravidade, não só pelo atrito com o decoro ético e moral esperado de todos os cidadãos e das autoridades públicas, mas também por suas implicações jurídicas”.

“Qualquer autoridade pública, civil ou militar, e especialmente o Presidente da República, é obrigada a revelar quaisquer informações que possua sobre as circunstâncias de um desaparecimento forçado ou o paradeiro da vítima”, afirmou.

A Comissão Especial sobre Mortos e Desaparecidos Políticos também se manifestou enviando um ofício à Presidência da República solicitando uma reunião com Bolsonaro ou um porta-voz sobre as informações a respeito do pai de Santa Cruz e do paradeiro de outros desaparecidos políticos do período da ditadura.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

7 comentários

  1. Boa parte da esquerda partidária está caindo nessa, de que “agora” uma suposta direita razoável está vendo que este governo é um aglomerado de boçais e mentirosos…

    Ora, o atual presidente está aí há 30 anos proferindo boçalidade e mentira; a campanha eleitoral foi TODA de boçalidade e mentira; os seis meses de governo foram de boçalidade e mentira. Mesmo assim, era “o que tinha” contra o PT, PT, PT…

    Espero que esses pessoal da esquerda tenha a habilidade necessária para jamais descolar esse suposto “centro” da estupidez golpista. Podem até negociar (descumprir mais adiante – afinal, com golpista você “confia desconfiando”), mas jamais afastar a imagem desses caras dessa indecência.

  2. Nassif: não sei porque a elite congressista se assusta com as manifestações do daBala. Ela reflete a consciência deles. A consciência das Milícias, dos Laranjas, dos Ladrões e Corruptos dequele 4/5 que compõe as CasasLegislativas. Tem bobinho até ensaiando discurso acanhado, como se de antemão não soubesse que esse seria o desfecho do ladrão de laranjas do quintal dos Paivas. Alias, é só dar um pouco de corda ao boneco de ventríloco e ele conta onde os VerdeSauvas “enterraram” o cadáver do Rubens, que ele odiava de paixão. Dizem que o cara tem por escrito todas as covas do tempo da Ditamole, carinhosamente doada pelo SantoUltra (vai ser canonizado pela Igreja da PraiaVermelha). Aliás, ele só tá realizando as promessas de campanha. Nadica alem…

  3. Elite do congresso e do judiciário…..Procurei no dicionário, procurei na constituição (este item foi rasgado), vou ansiosamente esperar o caminho da verdade nas novelas da globo!

  4. A pergunta que não quer calar: Bolsonaro ou Mourão? O nosso querido jornalista Luis Nassif, dias atrás fez matéria dizendo sobre incômodos de alguns setores militares por conta desse governo, militares esses de perfis “nacionalistas”, que se importam com a soberania nacional, nossas riquezas, nosso futuro, etc.
    Com toda a certeza, essa comunidade não está ao lado desse psicopata da vez, pois, esse psicopata prometeu e está promovendo a destruição do Brasil. Certamente se são nacionalistas, eles no mínimo, iriam fazer uma gritaria.
    E com Mourão? também penso que não se alinham, por que até o próprio Mourão os requisitaria, para dar um mínimo de ordem ao puteiro.
    Logo, outra pergunta que não quer calar: Em que lado e com quem estariam esses “militares nacionalistas” brigando para evitar a destruição total do país? Se alguém souber, por favor nos informe, por que assim daria para medir as possibilidades de uma luta com glórias, por que sair de casa para as ruas como L’armata de Brancaleone, somente por Mario Monicelli e o espetacular Vittório Gassman, e no cinema, óbvio.

  5. Esta história de que cargo, trajes ou hábitos moldam alguém, já deveriam bastar a que não quer tropeçar em ingenuidades. Já basta que alguns em sua arrogância, acreditavam poder “permitir” que Bolsonaro vencesse a eleição presidencial e ele seria ajustado. Ora, esta gente que depreciou e corrompeu a imprensa, a economia, instituições, crença em democracia e justiça querer criar algo de bom já é um abuso. Bolsonaro já se mostrava um desequilibrado em um cargo menor, que se mantinha ali justamente porque seu caricaturismo e desrespeito atraia alguns e quando lhe foi dado poder a mais, apenas amplificou seu ego e suas deformidades de caráter. Até onde se sabe, a lógica e o bom senso nos indica que para se alterar o incômodo do “status quo”, é preciso se alterar antes o “modus operandi”. Querer mudar situações sem de fato melhorar e capacitar a mentalidade por trás, é acreditar no dizer dos colunistas que acreditavam ter o cabresto certo para cavalgar um cavalo chucro.

  6. No “novo mundo” velho, não tem mais essa de nacionalismo, patriotismo, tem é capitalismo, como dizia aquele quadro com Chico Anísio, o deputado Justo Veríssimo, “Eu quero é me arruma”!

  7. Já passou da hora do STF fazer uma tentativa honesta para resgatar um pouco de sua credibilidade perdida, e acabar com esses bandidos do governo que não respeitam leis e agem contra a CONSTITUIÇÃO. #ForaBolsonaro #ForaMoro #ForaDellagnol

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome