Empresários articulam compra de rádio pró-Bolsonaro, descobre a Polícia Federal

Assunto foi comentado com o chefe da SECOM, Fabio Wajngarten. Polícia Federal também descobriu que Eduardo Bolsonaro queria alugar rádio em SP

Jornal GGN – A Polícia Federal, no âmbito do inquérito sobre o financiamento dos atos antidemocráticos, descobriu que empresários bolsonaristas conversaram entre si e com o chefe da SECOM, Fábio Wajgarten, sobre a compra de uma emissora de rádio para veicular pautas de interesse do governo de Jair Bolsonaro.

A PF apreendeu mensagens no celular do empresário Otávio Fakhoury em 16 de junho. Na conversa, ele com Wajgarten sobre o projeto da rádio e diz já ter um grupo para “financiar a aquisição”, citando entre os empresários o dono do restaurante Madero, Luiz Renato Durski Júnior.

O dono do Madero, por sua vez, disse à PF que que nunca foi procurado por ninguém para falar do assunto e que não apoia “grupo político”, apenas uma pessoa: Jair Bolsonaro.

Segundo reportagem de O Globo desta terça (22), o pastor RR Soares também foi questionado sobre o assunto, e contou à Polícia Federal que foi procurado por Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) pedindo ajuda para encontrar uma rádio em São Paulo para locação.

RR Soares conversou com proprietários de rádios. Um deles lhe disse que o faturamento mensal é de R$ 1 milhão, valor informado a Eduardo. O filho do presidente da República respondeu que não teria aquele valor.

O inquérito dos atos antidemocráticos tramita sob o Supremo Tribunal Federal.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Fora de Pauta

4 comentários

  1. Só safado…
    De qualquer modo, precisariam de um mágico para defender ou encontrar pauta favorável a esta merda de desgoverno.

    • É só o que sabem fazer, notinha de repúdio. A familicia debocha do MPF e eles ? Notinha de repúdio. Milicianos do caralhoooo

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome