Faltou a Abilio Diniz ambição em relação ao País, senso de pertencimento, por José Carvalho

Não se pode negar a grandeza do Pão de Açúcar e o sucesso da família Diniz. A falta de ambição em relação ao País, isso fez falta

O empresário Abilio Diniz. Foto: Divulgação
O empresário Abilio Diniz. Foto: Divulgação

Comentário do leitor José Carvalho referente ao artigo “Como Abílio Diniz quebrou a BRF”.

Com todo o respeito à pessoa que possui na sua trajetória de vida os relacionamentos pessoais que construiu e os afetos que conquistou, Abílio Diniz de certa forma é a representação de muitos dos administradores brasileiros. Bem sucedidos por aquilo que construíram ou ajudaram a construir, mas que um dia deitaram na fama e perderam, por assim dizer, o tino.

Contaminados por uma visão de que o Brasil vivia dentro de uma bolha e que “em terra de cego, quem tem um olho é rei”, não refletiram que, assim como o País, também precisavam de constante evolução. Todos poderiam ser muito mais se fizessem o Brasil ser muito mais. Essas ações de atingir metas fragilizando os negócios ao invés de torná-los melhores e mais fortes, com demissões e reduções, é um caminho comum.

Não se pode negar a grandeza do Grupo Pão de Açúcar e o sucesso da família Diniz. A falta de ambição em relação ao País, um maior senso de pertencimento em face do todo, isso fez falta ao empresário Abílio Diniz, sem apagar os méritos do que fez.

Leia mais:

Redação

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador