Ficções paralelas: Tron, Tron Legacy e Lava Jato, por Fábio de Oliveira Ribeiro

Master Control e Clu tem os mesmos defeitos que Sérgio Moro: os três são representações de um poder e manupulam as regras para vencer o jogo a qualquer custo

Imagem: Reprodução filme Tron e Agência Brasil

Tron (1982)
Com ajuda de Tron e Clu, Fynn luta para recuperar os direitos sobre os jogos que criou. Ao final, após derrotar Master Control no mundo virtual ele se torna dono da empresa e patrão dos amigos no mundo real.

Tron Legacy (2010)
O órfão Sam Flynn rejeita o controle da empresa. Ele entra no mundo virtual, reencontra o pai e luta contra o duplo dele. Clu comanda o mundo virtual e quer dominar o mundo real. No final, Flynn se sacrifica para que o filho volte ao seu mundo com Quorra.

Síntese crítica
Tron é uma típica jornada do herói em que a ética capitalista triunfa dentro e fora dos computadores. Melodrama neoliberal em que relações afetivas problemáticas predominam nos dois mundos que convergem para se tornar um só, Tron Legacy se destaca por seu visual e trilha sonora.

Lava Jato
Sérgio Moro devia atuar no mundo real seguindo as regras da Constituição Federal e do Código de Processo Penal. Mas ele as violou no mundo virtual para poder vencer um jogo que estava perdido. Inocente, Lula foi condenado porque o juiz combinou com o promotor, fora dos autos e ilegalmente, o resultado do processo.

Ficções Paralelas
Master Control (Tron) e Clu (Tron Legacy) tem os mesmos defeitos que Sérgio Moro (Lava Jato). Os três são representações de um poder absoluto capaz de manipular as regras para vencer o jogo a qualquer custo. A vitória deles parece inexorável. Mas quando o jogo sofre uma redefinição inesperada eles são derrotados.

Leia também:  Encontro secreto de Deltan envolveu bancos réus na class-action da Petrobras

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora