Israel volta atrás em ameaça a jornalistas

Do O Globo

Israel recua em ameaça a repórteres que acompanham flotilha

JERUSALÉM (Reuters) – Israel voltou atrás nesta segunda-feira da ameaça de proibir a entrada de jornalistas estrangeiros no país pelo período de dez anos se eles embarcassem em uma nova flotilha internacional de ajuda humanitária que pretende desafiar o bloqueio marítimo imposto à Faixa de Gaza.

Um comunicado oficial disse que o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu instruiu as autoridades a isentar jornalistas estrangeiros “da política usual aplicada a infiltradores e aqueles que ingressam ilegalmente”.

Em email enviado no domingo a organizações de mídia estrangeiras, o Escritório de Imprensa do Governo (GPO, na sigla em inglês) disse que a participação de jornalistas na flotilha seria uma “violação internacional” das leis de Israel que resultaria na proibição de entrada em Israel por dez anos e no confisco dos equipamentos dos jornalistas.

A Associação da Imprensa Estrangeira em Jerusalém descreveu o aviso do GPO como uma “mensagem assustadora” que levanta dúvidas quanto ao compromisso de Israel com a liberdade de imprensa. Vários legisladores israelenses também condenaram a iniciativa do GPO.

Israel diz que vai impedir a flotilha de chegar a Gaza, território controlado pelo Hamas, e propõe que os navios que pretendem zarpar de portos europeus esta semana atraquem em Israel ou no Egito e transfiram suas cargas para o enclave por terra.

Um ano atrás nove ativistas turcos, um dos quais com nacionalidade norte-americana, foram mortos por soldados israelenses que invadiram uma flotilha que levava ajuda humanitária a Gaza.

(Por Jeffrey Heller)

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador