Marcelo Bretas passou por formação nos EUA antes de assumir a Lava Jato

Juiz passou por programa que ensina, entre outras coisas, gerenciamento de processos, meios alternativos de resolução de disputas e relações com a imprensa

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O juiz Marcelo Bretas participou de um curso de formação de magistrados e outros profissionais do Direito nos Estados Unidos, antes de assumir a Lava Jato no Rio de Janeiro. A informação, divulgada pelo Conjur nesta quinta (22), consta no currículo que o próprio Bretas enviou ao Conselho Nacional de Justiça para concorrer a uma vaga de conselheiro.

Nos três primeiros meses de 2015, Bretas integrou o Visiting Foreign Judicial Fellows Program do Federal Judicial Center (FJC), em Washington. Ali, teve lições sobre “processos de corrupção e lavagem de dinheiro com autoridades norte-americanas.”

O programa também ensina “gerenciamento de processos, meios alternativos de resolução de disputas, relações com a imprensa e educação judicial”, entre outros módulos. “Até maio de 2020, o FJC já havia recebido 138 pesquisadores de 50 países”, informou o Conjur.

Bretas concluiu a formação em 2015 com um artigo sobre “como o sistema legal dos EUA equilibra as necessidades de aplicação da lei com direitos individuais de privacidade, apurou o site.”

Esse não foi o único curso ou único elo nos EUA de Marcelo Bretas. “Em setembro de 2019, [ele] teve uma reunião com o cônsul-geral no Rio, Scott Hamilton. Quatro meses antes, fez uma palestra sobre o combate contra a corrupção no Brasil na Brazilian-American Chamber of Commerce, em Nova York. Em abril de 2018, participou de seminário na Faculdade de Direito de Harvard”, diz o Conjur.

Recomendado:

Exclusivo: 5 vídeos para entender a influência dos EUA na Lava Jato

 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome