Milhares continuam em protestos do Líbano, mesmo após governo retroceder

Manifestações contra o governo eclodiram em várias partes do país no início do mês; Primeiro-ministro tenta reverter onda anunciando corte nos impostos

Manifestante fazendo uma barricada em Beirute. Foto: AFP / CP

Jornal GGN – No início do mês, milhares de pessoas foram às ruas em várias partes do Líbano contra a decisão do governo Saad Hariri de introduzir, a partir de janeiro de 2020, um imposto de 20 centavos de dólar por cada chamada feita através de serviços como WhatsApp e Viber.

Na tarde deste sábado (19), o ministro das Finanças do país anunciou que o governo voltou atrás em impor o imposto sobre as chamadas realizadas por meio de aplicativos de mensagens na Internet.

Apesar da anulação, os protestos não pararam e dezenas de pessoas já foram feridas nos confrontos entre as forças de segurança e manifestantes.

O portal Sputnik News, transmite ao vivo imagens de protestos nas ruas de Beirute, capital do país.

People Hold Anti-Government Protest in Beirut, Lebanon

People Hold Anti-Government Protest in Beirut, Lebanon

Publicado por Sputnik em Domingo, 20 de outubro de 2019

A revolta popular, aos gritos de “revolução” e “o povo quer a queda do regime” se voltou contra a classe política, acusada de corrupção. Em Beirute, grupos bloquearam, com pneus e contêineres de lixo, várias estradas, inclusive a que leva ao aeroporto internacional que fica na capital.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Ao vivo: simpósio Democracia, Educação e Ciência: para onde o Brasil está indo?

3 comentários

  1. Depois da onda de protestos que levaram ao poder regimes fascistas como o nosso, esperamos uma segunda onda, agora progressista e contra o neoliberalismo, como está ocorrendo no Chile e ocorreu no Equador, sendo que neste caso o povo errou ao cessar os protestos sob promessas vãs

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome