Modelo ocidental e tecnocracia em movimento

Em artigo, Roberto DaMatta explica como países europeus e EUA usam suas regras para moldar a visão do mundo

Foto: Reprodução – brasil247

Os países europeus e os Estados Unidos têm usado o etnocentrismo (rotulado como autoconfiança ou patriotismo) para estabelecer uma “modernidade” por meio do colonialismo e do imperialismo norte-americano.

Dentro dessa análise, o antropólogo Roberto DaMatta destaca em artigo publicado no jornal O Globo que a frase “confiar em Deus” lembra a grande pressão para que a uniformidade exista dentro do modelo ocidental, sendo assim sinônimo de progresso.

Para o antropólogo, essa uniformização acaba relegando o conceito de mundo apenas aos países que integram a Organização das Nações Unidas (ONU), o que relega territórios como Taiwan e Palestina à segunda categoria.

“Território (propriedade) e finanças garantem um mínimo de soberania e tentam transformar a variedade das humanidades do planeta em burguesias euro-americanas”, ressalta DaMatta.

“Existem países tão confiantes em seus valores e tão solidamente ancorados em suas regras, a ponto de ir à guerra como meio de liquidar diferenças, como lamentavelmente exemplifica o caso europeu”, diz DaMatta, lembrando ainda a frase “em Deus confiamos” existente no dólar norte-americano.

Leia Também

Cúpula da Otan e desdobramentos da Reunião do G7, por Joaquim Pinto de Andrade

Hong Kong, 25 anos depois, por Elias Jabbour

A reunião do G7, por Joaquim Pinto de Andrade

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Paulo Dantas

- 2022-07-06 18:10:57

In gold we trust ... “These are my values.. if you don’t like them, I have others!" Groucho Marx

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador