O Tea Party, por Andre Araujo

A abordagem do TEA PARTY como um movimento fascista esta inteiramente equivocada. O Tea Party é mais uma onda ultra conservadora que convive com a democracia americana desde o começo do Seculo XX, desfeita primeiro por Theodore Roosevelt, com seu progressismo anti-trust, depois por Woodrow Wilson com o internacionalismo de Versailles, voltou com os grupos isolacionistas do America First ao tempo do New Deal, combatidos frontalmente por Franklin Roosevelt, depois com o advento da Guerra Fria voltou com o macartismo, que desapareceu completamente e agora volta com esse ultra republicanismo conservador. Não tem nada a ver com Fascismo, que é a predominancia do Estado sobre o individuo, enquanto os ultra conservadores americanos querem o Estado minimo e cada vez menos Estado isso é a antítese do fasciscmo.

Esse quadro de pintura totalitaria nazista ou estalinista não tem a mais remota identidade com a concepção individualista extremada de movimentos ultra conservadores americanos, é uma tentativa canhestra de querer associar o conceito fascista europeu a uma sociedade oposta, que é a que o Tea Party e movimentos similares representam. É uma abordagem completamente anti-historica, para não dizer ridicula, colocando no mesmo balaio ideologias e visões de mundo e de sociedade totalmente diferentes. 

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador