Operação da PF instala de vez as condições para Bolsonaro deixar PSL

Para não desgastar mais a imagem com o escândalo das candidaturas laranjas, Bolsonaro argumenta necessidade de deixar a sigla pela falta de transparência na gestão de contas

Luciano Bivar (presidente nacional do PSL) e Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução/redes sociais

Jornal GGN – A operação da Polícia Federal que realizou buscas e apreensões em endereços ligados ao presidente do PSL, Luciano Bivar, marcou de vez o racha dentro do partido que elegeu Bolsonaro. A avaliação é de parlamentares ouvidos pela coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

Depois desta fase, não há perspectiva nenhuma para uma reconciliação entre a liderança do partido e o presidente Jair Bolsonaro. Nos bastidores, Bolsonaro e cerca de 20 parlamentares do PSL discutem a migração para outra legenda. Eles aceitaram abrir mão do fundo partidário, contanto que a desfiliação não resulte na perda dos mandatos.

A ação da PF aconteceu pouco menos de duas semanas após o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG), ser indiciado e denunciado pelo Ministério Público de Minas Gerais e também pela Polícia Federal, sob a acusação de liderar um esquema de candidaturas de fachada em 2018, mesma questão que colocou Bivar na mira das investigações.

Publicamente, Bolsonaro disse que Bivar está “queimado pra caramba” e orientou um simpatizante a deixar o PSL. O mesmo não ocorre em relação a Marcelo Álvaro Antônio, que segue como ministro do Turismo.

A PF e o Ministério Público abriram investigações sobre candidaturas laranjas do PSL a partir de fevereiro, baseados em reportagens da Folha de S.Paulo. O jornal mostrou que, em Minas Gerais, quatro candidatas receberam R$ 279 mil de verbas publica para campanhas do PSL mineiro, ficando entre as 20 que mais receberam recursos do partido nas eleições passadas.

Leia também:  Bebianno responde Eduardo Bolsonaro: "jamais abri a boca para contar o que sei"

Já em Pernambuco, o jornal revelou que o PSL direcionou R$ 400 mil do fundo partidário para Maria de Lourdes, secretária administrativa do partido no estado que também se tornou candidata. Não há sinais de que as candidatas, que receberam mais recursos para as campanhas do que o próprio Bolsonaro, tenham feito campanhas efetivas. Em Minas, todas juntas somaram cerca de 2.000 votos e em PE, Maria de Lourdes recebeu 274 votos, números insuficientes para se elegerem.

Parte dos parlamentares do PSL, que estão do lado de Bivar, acusam Bolsonaro de estar por trás da operação da PF contra o presidente da sigla. Nesta terça-feira (16), o líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (GO) disse que o “presidente da República tem bola de cristal, porque ele ataca o presidente do partido e na semana depois acontece a operação.”

Waldir até sugeriu que a PF poderia fazer busca nas casas de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, e do próprio senador, filho do presidente.

Na semana passada, Bolsonaro se reuniu com o ministro da Justiça, Sergio Moro, e com o diretor-geral da Polícia Federal Maurício Valeixo. A audiência foi reservada.

Ainda segundo informações da coluna Painel, assim que souberam da operação contra Bivar, deputados de centro-direita abriram especulações sobre o timing da ofensiva com a reunião entre Bolsonaro, Moro e Valeixo. O quadro ampliou a desconfiança do Congresso em relação a Moro.

Em nota, a defesa do presidente do PSL ressaltou a “estranheza” da operação em meio a “turbulência política”.

Leia também:  Lema do novo partido de Bolsonaro é inspirado no movimento fascista, diz advogado

“A defesa enfatiza que o inquérito já se estende há 10 meses, já foram ouvidas diversas testemunhas e não há indícios de fraude no processo eleitoral”, diz o texto do escritório de advocacia de Ademar Rigueira.

O pedido do Ministério Público para que as buscas e apreensões fossem realizadas em endereços ligados à Bivar estava a espera de uma decisão no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de Pernambuco há três meses.

Os pedidos foram enviados pela PF e pelos promotores na segunda quinzena de agosto. A juíza Maria Margarida de Souza Fonseca, da 6ª Zona Eleitoral de Recife, indeferiu os pedidos em setembro, sob o argumento de que não existiam elementos suficientes para a operação. Em 12 de setembro, os investigadores a promotoria recorreu ao TRE e, finalmente, na segunda-feira (14), seis dos sete juízes do Tribunal concordaram com a ação.

Outra questão que envolve a mudança de postura de Bolsonaro em relação ao PSL foi uma matéria da Folha divulgada há cerca de uma semana, revelando que, em depoimento à Justiça, um ex-assessor do ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, comentou que “parte dos valores depositados para as campanhas femininas”, empregadas como laranjas do partido, “na verdade, foi usada para pagar material de campanha de Marcelo Álvaro Antônio e de Jair Bolsonaro”.

A matéria trouxe ainda dados de uma planilha apreendida em uma gráfica pela PF sugerindo que o dinheiro desviado de candidatas laranjas do PSL mineiro foi desviado como caixa dois para a produção de materiais das campanhas de Bolsonaro e Álvaro Antônio.

Leia também:  Ciro: "Existiria bolsonarismo sem o lulopetismo e suas escolhas?"

Apesar de seguir com Álvaro Antônio no Ministério do Turismo, Bolsonaro busca descolar sua imagem dos escândalos das candidaturas de fachada deixando o partido. O argumento que vem sendo utilizado pelo presidente, e parlamentares que querem desembarcar do PSL junto com com ele, é a falta de transparência do partido em abrir as contas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

2 comentários

  1. Se alguém espera alguma honra, altruismo, dignidade do bozo e seus ministros aloprados ou oportunistas, pode ficar bem decepcionado. Isso ja era esperado. E o “tutu” do bozo deve estar contente de se prestar a esse papel. A PF também. A unica coisa a fazer é dançar um tango argentino. Ou rir com a Familia Passos:

    https://youtu.be/lkZvSxVGUFM
    Uma letra/duas melodias/ dois ritmos
    Samba de autoria da Família Passos e tango
    “Por uma cabeça” (Carlos Gardel)

    Bozo tá injuriado
    Com o “toco” que levou
    Tava muito apaixonado
    Mas o Trump o humilhou

    O Brasil ficou de fora
    Não entrou na OCDE
    E do Trump até agora
    Mito só ganhou boné

    Meu coração foi traído
    Contrariou meu Dudu
    Mas continuo te amando
    I love you!
    PSL rachado
    A confusão tá demais
    Eu vou ser investigado
    Tão me passando pra trás

    O Brasil é uma chacota
    É um circo ou um bordel?
    Los hermanos comemoram
    Com um tango de Gardel
    .
    Enfia a cabeça
    Naquele boné
    Você é um puxa saco
    Vai se conformando
    Pode dar no pé

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome