Para Barroso, bloqueio de fake news com a Justiça é algo fantasioso

Ministro está prestes a assumir o TSE, e diz que combate à desinformação com medidas judiciais apresenta risco de censura

Jornal GGN – O ministro Luís Roberto Barroso, vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), afirmou que o combate às fake news com o uso de medidas judiciais pode levar à censura, e que não existem meios materiais ou recursos humanos para enfrentar o problema no ritmo que ele considera necessário.

Segundo informações do jornal O Estado de São Paulo, o ministro – que será o próximo presidente do TSE a partir de maio de 2020 – diz que a Justiça Eleitoral não resolve o problema, e que o combate a notícias falsas depende de parcerias com as plataformas da internet.

Por conta desse cenário, no último dia 18 foi aprovada uma resolução que impõe aos candidatos o dever de checar as informações antes de usá-las para propaganda eleitoral. Caso as fake news sejam usadas, o ofendido terá o direito de resposta garantido. Em casos de calúnia e difamação, também pode haver responsabilização penal.

A atuação do TSE na última eleição foi alvo de sucessivas críticas diante do aumento de proporção das fake news durante a campanha eleitoral – a ponto de a própria Justiça Eleitoral ser alvo de ataques questionando a segurança das urnas eletrônicas.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Justiça baiana impede cremação do corpo de Adriano Nóbrega

5 comentários

    • [28/12 17:56] Edilson Fitterman Amigo: Verdade. Além de Faccin e Carmen Lúcia contra o PT
      [28/12 18:06] José Carlos Lima: Nos EUA os ministros da Suprema Corte assumem claramente sua posições político-partidárias:

      Um ministro indicado pelo Partido Democrata não vota contra os interesses do partido.

      Mas por aqui já essa hipocrisia do ministro “apolítico” que de apolítico não tem nada : é de direita e anti-PT

      Simples assim

  1. É o ministro de sempre justificando a leniência de sempre do sempre leniente TSE com as falcatruas da direita, principalmente.

    Ele e qualquer pessoa minimamente informada sabe que basta deixar de ficar perseguindo bagrinhos e dar uma boa enquadrada em algumas candidatura de tubarões e mais uma ou duas grandes plataformas que todos os bagrinhos se recolhem.

    O que ele tá fazendo é a defesa prévia do uso desse famigerado instrumento que alçou ao poder um energúmeno e sua bancada fascista e miliciana.

  2. Barroso é o ministro que relatou a tomada de contas da campanha do Bolsonaro e rasgou elogios pq eles declararam ter gasto menos de 1 milhão na campanha. Para ele era prova de que é possível se eleger gastando pouco, bem pouco. O pós-doutor de Harvard não desconfiou que com esse valor seria impossivel alcançar 100 milhões de eleitores apenas para meramente informa-los de que era candidato.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome