Sobre o cálculo político de Serra

Por Neotupi

Comentário ao post “Entendendo os movimentos de Freire e Serra

Acho que o André LB acertou quase tudo, menos Eduardo Campos acreditar em Serra e Freire, e menos ainda aceitar ser vice, porque Serra não representa mais perspectiva de poder de fato, e vice do Serra então seria enterrar a carreira política.

Mas o Serra está sim fazendo este aceno, pelo cálculo político:

1) Sinaliza ao PSDB que Aécio não é viável, pois não teria seu apoio, racharia o PSDB, com ele indo para o PPS. Isso pressiona também o Alckmin, pois Serra no PPS, se não conseguisse sair candidato a presidente sairia a governador, sendo mais um para atrapalhar a reeleição de Alckmin. Esse seria o plano “A” de Serra para recuperar o controle e a sua candidatura presidencial do PSDB, inclusive com apoio, ainda que a contragosto, do Alckmin.

2) Serra de fato deverá ir para o PPS se Aécio tomar o controle do PSDB de vez. É o plano B de Serra. Pode encenar a possibilidade de candidatar-se a governador pelo PPS e apoiar Eduardo Campos para presidente, só para enfraquecer a candidatura do Aécio no PSDB e pressionar o Alckmin a empurrar o PSDB para apoiar Serra para presidente no PPS. Mas Serra no PPS sairá candidato é a presidente e com concordância de Freire, porque o Serra poderia ter algo como 10% ou mais dos votos pelo recall e alavancar a eleição de uma bancada na Câmara para o PPS melhor do que a atual, sainda da condição de nanico.

3) Campos sabe que Serra no PPS não o apoiará, mas encenará negociações para ficar em evidência como presidenciável durante 2013 e início de 2014. Se até lá o cenário não for desolador, Campos pode confirmar a candidatura própria. Se a economia estiver bem e Dilma estiver bombando nas pesquisas sem Campos decolar, o PSB, provavelmente, não irá embarcar em uma aventura e perder governos estaduais, pois PT concorrerá em todos nos estados contra o PSB se Campos concorrer ‘a Presidência.

Resumo da Ópera: está todo mundo manobrando para valorizar seu passe, aparecer, aparentar estar crescendo e ter perspectiva de vitória, se viabilizar como presidenciável. Mas não vejo muito como Campos sair candidato, porque para o PSB só seria uma boa de verdade se Dilma estivesse bem vulnerável. Mas aí, se estivesse vulnerável e com toda os partidos da base lançando candidatos que adiquirissem força, ela própria declinaria e deixaria com Lula, que matava todas as outras candidaturas e aglutinaria de novo todos na base.

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador