Toffoli articulou acordo para evitar impeachment de Bolsonaro

No Supremo, Dias Toffoli instaurou inquérito para apurar ameaças contra os ministros, adiou o julgamento que poderia soltar Lula e paralisou as investigações contra o senador Flávio Bolsonaro

Do Opera Mundi

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, afirmou que o Brasil esteve à beira de uma crise institucional entre os meses de abril e maio e disse que atuou para tentar acalmar a situação articulando um grande acordo nacional junto com os presidentes do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para frear o processo de impeachment do presidente Jair Bolsonaro e adiar a sessão em que a Corte julgaria a legalidade das prisões em segunda instância, o que poderia resultar na libertação do ex-presidente Lula.

Em entrevista à revista Veja, divulgada nesta sexta-feira (09/08), o presidente do STF conta que logo nos primeiros meses do governo foi costurou o acordo entre os poderes para evitar a convulsão social e o impedimento de Bolsonaro em razão da insatisfação de militares, da classe política e de empresários, incomodados com a desastrosa condução do país pelo mandatário.

Um dos generais próximos ao chefe do Planalto consultou um ministro do STF para saber se estaria correta a sua interpretação da Constituição segundo a qual o Exército, em caso de necessidade, poderia usar tropas para garantir “a lei e a ordem”.

Segundo a reportagem, o “ponto de ebulição” da crise tinha data para acontecer: 10 de abril, quando Lula poderia ser libertado por uma decisão do STF sobre a ilegalidade da prisão em segunda instância.

Após mais de trinta reuniões entre os chefes do Judiciário e do Legislativo, um grande pacto foi fechado. No Congresso, o projeto do parlamentarismo e a CPI da Lava-Toga foram arquivados e a reforma da Previdência destravada. No Planalto, o vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), foi calado, e Santos Cruz, demitido da Secretaria de Governo.

No Supremo, Dias Toffoli instaurou inquérito para apurar ameaças contra os ministros, adiou o julgamento que poderia soltar Lula e paralisou as investigações contra o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Leia também:  Discussão da PEC sobre Fundeb é adiada para março

“Estávamos em uma situação de muita pressão, com uma insatisfação generalizada. Mas o pacto funcionou. A reforma da Previdência foi aprovada, as instituições estão firmes. Agora o grande desafio é o país voltar a crescer. O Supremo estará atento para que julgamentos não impeçam ou atrapalhem o projeto de desenvolvimento econômico, que é tão necessário”, disse Toffoli na entrevista à Veja.

*Com Fórum e Brasil 247

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

19 comentários

  1. O título poderia ser: general do exército aponta trabuco pra cabeça do presidente do STF, que se comporta como um animal domesticado.

    Se soltar o Lula vai ter golpe militar? Se o país tá sendo ameaçado pelas forças armadas, isso já é um golpe.

    Dá o golpe logo então escumalha verde-oliva. Vamos ver onde isso vai dar.

    22
    1
    • Pois é, deveria ter expulsado o cidadão é que assumissem suas responsabilidades……

      Golpe de milico em pleno século 21? Seriam ridicularizados até o fim dos tempos e nunca mais teriam pendores golpistas……

      Essa é a prova definitiva que Lula é preso político…..

      4
      2
  2. “Um dos generais próximos ao chefe do Planalto consultou um ministro do STF para saber se estaria correta a sua interpretação da Constituição segundo a qual o Exército, em caso de necessidade, poderia usar tropas para garantir “a lei e a ordem””

    O famoso urologista Deltan Dallagnol nao deu a diagnose de “broxa institucional” nesse caso????? O paciente nao era o mesmo??????

  3. O Sr. Dias achou que fez um bem para o país. Canalha !!! Nossas riquezas sendo delapidadas; nossas instituições apequenadas; nossa civilidade esvaziada. Calados e letárgicos permanecemos diante de tantos desmandos na nossa democracia. E o pulso ainda pulsa.

    14
    1
  4. Um delinquente ,confessando seus crímes na maior cara de pau.
    Agindo políticamente com o poder que o cargo lhe confere ,mas,que não lhe autoriza,ao contrário ,proíbe qualquer participação política.
    O presidente que já se colocou a disposição caso seja necessário ,arranjar os processos a serem julgados pelo stf ,para que não atrapalhem o “crescimento económico” dos criminosos do Planalto.
    Tofoli é um delinquente confesso,o Brasil simplesmente morreu.

    19
  5. Blindar Bolsonaro não trará paz social e nem avanços na economia. Pelo contrário, tem deixado a nação em apreensão com uma sensação de desgoverno.

    14
    1
  6. Insatisfação de quem? O país refém de meia dúzia? Quer dizer, aqui nesse pedaço de terra, que se foda o povo…..

    Vale a opinião de alguns que se acreditam iluminados, os outros 210 milhões que se danem…..

    E quem são os empresários que iriam pedir impeachment do coiso? Não há respeito mais ao escrutínio popular, se tais empresários canalhas decidirem, que se dane o resultado das eleições….

    Que cloaca fétida se transformou o país……..não a toa banqueiro tripudia do sofrimento do povo enquanto enche as burras com dinheiro ensanguentado…..

    Será que acreditam que tal situação é permanente????

    Imbecis…….fdp….

    18
    1
  7. Todos se apoiam na mesma falácia: crescimento econômico instantâneo a partir daquilo que chamam “reforma da previdência.
    Afinal, este estupro ocorre durante um governo que a cada dia se mostra mais indigno, durante um congresso em sua maioria composto por quem sequer assinou uma carteira de trabalho, e por setores empresariais, por um judiciário e por forças armadas que apenas trabalharam pela manutenção de seus privilégios.
    Os canalhas que apoiam esta ignomínia sabem que a curto e médio prazo o povo nao sairá da merda e as desiguadades só aumentarão. E a longo prazo todos estaremos mortos.

    11
    1
  8. O que o “juíz” quis dizer é que os membros do congresso e das “instituições” brasileiras foram muito bem subornados ou ameaçados para continuarem apoiando o desmanche do país custe o que custar.

    Eu queria muito ver o motivo para os militares brasileiros entregarem o próprio país para controle estrangeiro…

    9
    1
  9. O sujeito assume que atuou na blindagem de miliciano, na defesa da deforma da previdência e da retirada de receita dos mais pobres com o intuito de impulsionar a economia e o crescimento do país (delírio sofismático anticognitivo), e que as instituições do Brasil estão firmes? Judiciário/STF, PGR/MPF, Presidência da República etc: Firmes?! É realmente num infinito e psicótico delírio onde repousa a firmeza das instituições desse país.

    13
  10. Desde quando é papel do Judiciário, um poder passivo por excelência, fazer articulações políticas ou seja lá para que diabo for? Essa história está muito mal contada.

    10
    • Cabeluda mesmo……se tivéssemos um congresso com vergonha na cara, seria o caso de CPI, impeachment do dito cujo, anulação das eleições, reforma do judiciário e prisão de uns quatro ou cinco……mas perderam a vergonha totalmente neste país……

  11. O Supremo estará atento para que julgamentos não impeçam ou atrapalhem o projeto de desenvolvimento econômico, que é tão necessário”, disse Toffoli na entrevista à Veja.
    Com esse comentário LULA não sai da cadeia tão cedo.

  12. Já que o STF virou partido político e topou manter um inocente preso, motivo não há pra não fechar essa coisa. Melhor chamar o cabo e o soldado, pois que falta alguma fará ao Brasil.

  13. Uma pobre crise que atravessa um terrível país …
    Lembro da cena do Coringa no filme do Batman no hospital , ele ridiculariza a tentativa de controlar a situação. ..

  14. Isso significa claramente que foi quebrada a autonomia entre os poderes, pois o Poder Judiciário está se deixando intimidar por outros poderes e até pelos militares. Em assim sendo, é cúmplice do conluio para destruir o país. Toffoli errou e colocou sob suspeição o STF, que não deveria se curvar à política e sim somente à lei e à ordem. Os militares já andaram consultando todo o Título V da CF (Da Defesa do Estado e das Instituições Democráticas). Estariam se preparando para a eventualidade de um novo golpe militar? Seria altamente conveniente que se monitorassem seus passos.

  15. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome