Vantagens do voto distrital para o modelo brasileiro

Comentário ao post “Os países com o modelo de voto distrital puro

Não há um modelo de votação que não tenha suas vantagens e desvantagens.

Creio, no entanto, que o voto distrital seja vantajoso para o modelo brasileiro. Vejamos, salvo o PT e alguns partidos nanicos mais radicais, principalmente à esquerda, quem vota em partidos no Brasil? Votamos em nomes.

Temos, então, a figura do puxador de votos. E essa figura distorce a reprentatividade, pois os votos são dados a ela mas quem os recebe são outros candidatos em que o eleitor não votou. 

Poder-se-ia argumentar que esse puxador de votos é um representante do partido, assim, quem vota nele vota no ideal defendido pelo partido. Não dá, qual ideal partidário é defendido por Tiririca ou Romário?

Além disso, muitos cadidatos não conseguem se eleger, mas todos os votos somam para eleger alguém em quem o eleitor não votou. 

Com o voto distrital, ganha quem ganhar no distrito, simples assim.

Há uma outra questão, a da ligação entre eleitor e eleito. No Brasil político foge dessa vinculação como o diabo foge da cruz. Se um candidato a deputado federal pode obter votos vindos de qualquer ponto do Estado, ele não está filiado a nenhum ponto específico desse Estado. 

Por isso no Brasil é muito comum o eleitor, passado alguns meses das eleições não lembrar em quem votou e, muito pior, não saber que político representa sua localidade na Câmara Estadual e Federal. No caso de uma cidade como São Paulo, dado o seu tamanho, nem na Câmara Municipal. 

Leia também:  Câmara dos Representantes aprova segundo impeachment de Trump

Logo, o político não se sente pressionado a prestar contas a ninguém. 

Com o voto distrital, cada político estará filiado a um distrito e só lá poderá concorrer na próxima eleição.

Terá de prestar contas a eleitores que o conhecem e com os quais está vinculado. Alguém quer encaminhar uma solicitação a um deputado federal, encaminha a qual? Qual o representa? Com o voto distrital cada eleitor sabe que o representa.

O custo da eleição cai muito com o voto distrital. Hoje numa eleição proporcional a área geográfica a ser coberta pela campanha é do tamanho de todo o Estado, ou de toda a cidade, no caso das eleições municipais. No caso do voto distrital, a campanha será feita pelo candidato apenas no seu distrito.

O voto distrital favorece os pequenos partidos. Um pequeno partido pode ter um bom candidato, porém não terá estrutura para a campanha proporcional. Com o voto distrital podera priorizar um distrito, alocar ali seus recursos e eleger seu candidato. Basta não apresentar candidatos em outros distritos onde sua estrutura não poderia chegar mesmo.

Fim do curral eleitoral. Hoje existem cadidatos tão poderosos em determinadas regiões que outros partidos quase não fazem campanha ali. Com o voto distrital, ou abdicariam da eleição naquele distrito ou teriam de enfrentar o poderoso do local. O poderoso passaria ter oposição, outras idéias e outras proposta surgiriam.

Redução do poder dos presidentes de partido. Como o candidato se elege com votos que não são seus e sim do partido, fica muito vulnerável à burocracia do partido. Um presidente de partido pode não ter recebido nenhum voto e ter um poder enorme sobre o político eleito. O eleitor importa menos que o presidente do partido no modelo proporcional. Com o voto distrital essa relação se inverte.

1 comentário

  1. Para resolver o problema de o

    Para resolver o problema de o deputado ser chegado ao presidente do partido para conseguir se lançar em determinado distrito, poderiam os partidos lançarem até 5 candidatos por distrito e o mais votado de todos, sem considerar a soma, seria o eleito. Mas quem seria o suplente? seria o do mesmo partido ou segundo colocado? entendo que seria o segundo colocado do mesmo partido a fim de manter a representatividade.

    A minha cidade não teve eleitos na ultima eleição mesmo tendo uma população semelhante a outra cidade próxima que elegeu 4 deputados. Os deputados representam uma parcela da população e não apenas ideais como muitos pensam. Então ficamos sem representante… daí qual o lance de ter o distritão? Distritão são os senadores. Na minha opinião é melhor fechar a camara se for para ficar gastando dinheiro com esse tipo de formato que não ajuda em nada. Se tivéssemos um distrito eu saberia a quem cobrar mesmo sabendo que não o elegi.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome