Os avanços no IDEB

Do Estadão.edu

País avança no ensino fundamental e estaciona no médio

Índice da educação básica foi divulgado nesta quinta-feira pelo MEC, em coletiva em Brasília 

O nível das escolas públicas do Brasil está melhor em relação a 2007, apesar de o ensino médio apresentar evolução menor. Isso é o que mostra os dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2009 divulgados nesta quinta-feira, em Brasília, pelo ministro da Educação, Fernando Haddad.

“O que temos pela frente é muito difícil. Estamos distantes do nosso objetivo que é a nota 6, apesar de termos superado as metas que foram estabelecidas”, disse o ministro.

As unidades de ensino superaram todas as metas estabelecidas (veja quadro). A faixa que teve o melhor desempenho foi a dos anos iniciais do ensino fundamental (da 1.ª a 4.ª série), com índice de 4,6 – mostrando crescimento de 0,4 ponto em relação ao desempenho de 2007. O índice superou a meta para o ano, que era 4,2.

Da 5.ª a 8.ª série, o Ideb foi de 4,0 – que é 0,2 ponto melhor que o desempenho de 2007 e supera a meta em 0,3 ponto. O ensino médio foi que registrou menor evolução. O Ideb do ensino médio ficou em 3,6 pontos – apenas 0,1 ponto maior que a meta. 

Apesar das ressalvas, Haddad comemorou os resultados. “Há razões evidentemente, quando um país se propõe, como o Brasil, a fixar metas de qualidade de educação, eu não conheço nenhum outro país que tenha feito isso, penso que, já por si, é algo pra celebrar. Quando cumpre, melhor ainda, mas a distância que nos separa de um sistema educacional desenvolvido ainda requer as cautelas devidas.”  

Até 2021 o MEC pretende alcançar a meta de 6,0 pontos, a média dos países desenvolvidos da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Organizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), o Ideb foi criado em 2005.

Fluxo escolar x Desempenho

O Ideb é o indicador que o MEC leva em consideração para verificar o cumprimento das metas fixadas no Compromisso Todos pela Educação. Há indicadores por redes de ensino referentes a 1.ª e 2.ª fases do ensino fundamental e para o ensino médio. O MEC colocou à disposição consultas às projeções do indicador ao longo dos anos, com metas bienais estipuladas para cada Estado e município.

O Ideb leva em consideração dois fatores que interferem na qualidade do ensino: rendimento escolar, por meio das taxas de aprovação, reprovação e abandono, e as médias de desempenho dos alunos nas avaliações nacionais – Saeb e Prova Brasil. A combinação entre fluxo e aprendizagem resulta em uma média para cada Estado, município e País que varia de 0 a 10. 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome