Marco Aurélio Mello critica aposentadoria compulsória

Do Valor 

Marco Aurélio critica aposentadoria obrigatória aos 70 anos

Por Yvna Sousa

BRASÍLIA – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello defendeu, nesta sexta-feira, mudanças na regra de aposentadoria do servidor público.  Ele afirmou que a aposentadoria compulsória aos 70 anos é um “castigo” e que o “sistema precisa ser revisto”.

“Creio que hoje em dia, pelos avanços da medicina, uma pessoa aos 70 anos não está incapacitada de prestar serviços. Já tivemos dois chefes do Executivo, refiro-me ao general Geisel e ao presidente Fernando Henrique Cardoso, com mais de 70 anos. E não há ‘expulsória’ no Legislativo, mas há no Judiciário”, declarou durante intervalo em audiência pública do STF sobre a utilização do amianto pela indústria.

Em entrevista à Globo News, o ex-ministro Cezar Peluso também criticou a aposentadoria compulsória, afirmando que o instrumento “é coisa de país pouco inteligente”. Peluso, que completa 70 anos na segunda-feira, teve sua aposentadoria oficializada no “Diário Oficial da União” de hoje.

Por ter que deixar a magistratura obrigatoriamente, Cezar Peluso votou apenas na primeira parte do julgamento do mensalão e condenou o deputado federal e ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) pelos crimes de corrupção passiva e peculato. Ele também decidiu condenar o publicitário Marcos Valério e seus ex-sócios Cristiano Paz e Ramon Hollerbach por corrupção ativa e peculato.

(Yvna Sousa / Valor)

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome