Milícias controlam 45% das favelas do Rio, alerta pesquisador

Do Terra Magazine

Milícias do Rio já são maiores que traficantes, alerta Anistia Internacional

Dayanne Sousa 

Os grupos milicianos do Rio de Janeiro ganharam fôlego nos últimos anos e já são a maior forma de crime organizado carioca, afirma o pesquisador da Anistia Internacional Tim Cahill. Responsável por levantar dados no Brasil, ele adianta que uma pesquisa em andamento conclui que os policiais corruptos têm o controle de 45% das favelas do Rio.

Terra Magazine, Cahill explicou os motivos do convite da Anistia Internacional e da ONG Front Line Defenders terem convidado o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol-RJ) a deixar o Brasil. “Freixo recebeu sete novas ameaças recentemente, nós reconhecemos que ele tem proteção no Brasil mas a visita será um momento de alívio. Além disso, queremos reforçar a necessidade de a comunidade internacional combater estes grupos milicianos”.

O pesquisador diz que a viagem de Freixo é uma forma de pressionar o governo do Rio a implementar as recomendações da CPI das Milícias, presidida por Freixo em 2008. “Na época ficou clara a importância de se quebrar o braço financeiro dessas organizações, as suas fontes de renda, mas essas medidas não foram seguidas”, esclarece.

Segundo a Anistia, a principal fonte de renda dos milicianos atualmente é o transporte ilegal: a chamada “máfia das vans”. Denúncias recentes mostram que cooperativas de motoristas eram obrigadas a pagar propina para as milícias.

Outros negócios das milícias incluem a venda de gás, TV a cabo irregular e um esquema de cobrar dos moradores por serviços de segurança. “Outro risco é a força política crescente desses grupos, que patrocinam deputados e vereadores.

A Anistia, que é sediada em Londres, acredita que a ausência de Freixo não será por muito tempo. Ele deverá participar de colóquios sobre crime organizado junto com organizações europeias e retornar ao País em algumas semanas.

Terra Magazine

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador