Petroleiros suspendem a greve e prometem “escrachos” na porta dos diretores da estatal

Jornal GGN – Uma divergência entre as federações que representam a categoria petroleira no país, acabou resultando na suspensão da greve. A FNP (Federação Nacional dos Petroleiros) indicava a continuidade do movimento paredista. Entretanto, a FUP (Federação Única dos Petroleiros) decidiu por esvaziar a paralisação.

A FNP acusa a FUP de encerrar a greve sem garantir integralmente a não punição dos grevistas e também o não pagamento dos dias de greve, já que a metade vai ser abonada e a outra parte compensada.

Para FNP era preciso uma garantia maior da não punição dos grevistas para não serem surpreendidos depois, como aconteceu no passado. Além disso, a federação alega que os petroleiros não conseguiram o aumento no salário básico já que os 8,56% vão incidir na RMNR (Remuneração Mínima por Nível e Regime) 

Isso deixa de fora os aposentados que só vão receber o IPCA (6,09%). E os aposentados pagam para receber o mesmo reajuste. Esse é um dos motivos principais pelo qual FNP rejeitou a proposta. Para a federação não é possível indicar a aceitação de uma proposta que discrimine qualquer setor da categoria. No entanto, a FNP pondera que as assembleias da categoria são soberanas.

Os petroleiros insistem em questionar o leilão de Libra, pedindo o seu cancelamento porque não houve concorrência, com a participação de um único consórcio. Além disso, como parte da campanha do movimento reivindicatório, querem combater o que chamam de “desinvestimento” de Graça Foster.

Em defesa de uma proposta que contemple toda a categoria, os excluídos do Acordo Coletivo vão realizar “escrachos” a partir de sexta-feira (25). Segundo o Sindipetro-RJ (Sindicato dos Petroleiros do Rio de Janeiro), as ações vão acontecer na residência da presidente da Petrobrás, Graça Foster e de todos os diretores da companhia.

O “escracho” é uma criação dos ativistas argentinos que se dirigem a residência de quem se quer denunciar. Tem como finalidade chamar a atenção da opinião pública para denúncias importantes, mas com pouca visibilidade.

Com informações da Agência Petroleira de Notícias

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

1 comentário

  1. Libra é acima de tudo uma falta de respeito ao contribuinte

    A Dilma foi categórica, e demonstrou que realmente o governo não colocou dinheiro público nos estádios da copa.

    Ora, mas se somos o país que mais paga impostos no mundo, e estamos vendo nossos doentes sendo atendidos no chão dos hospitais,

    ONDE FOI PARAR TODO O DINHEIRO DA ARRECADAÇÃO, ENTÃO?

    Realmente, o PSDB estava certo numa coisa,

    NÃO EXISTE NADA QUE DÊ MAIS LUCRO,

    DO QUE VENDER O QUE É DOS OUTROS,

    E PEGAR A COMISSÃO NOS PARAÍSOS FISCAIS…

    Esse tipo de trambique feito sistematicamente, acaba dando um nó na economia. Mais da metade do capital industrial brasileiro está nas mãos de estrangeiros. Os políticos gostam disso, porque pegam a comissão do trambique no exterior. Essas empresas pagam seus altíssimos salários apenas em seus países. fortalecendo o mercado interno deles, e enfraquecendo o nosso. Aqui acabamos criando trabalhadores e pequenas empresas nacionais de segunda categoria, sem a mínima condição de serem comparados com os da Europa e EUA. 

    Observem atentamente o futuro que a corrupção arranca de nossa juventude:

    http://economia.uol.com.br/empregos-e-carreiras/album/2013/09/04/executivas-mais-bem-pagas-ganham-ate-us-52-milhoes.htm

    Quantos de nossos jovens esperam ter uma remuneração dessas?

    O domínio estrangeiro acontece basicamente, porque essas empresas que vem pra cá dominam mercados consumidores fabulosos no exterior, e são super protegidas por seus governos; que lhes fornecem desde tecnologia, até serviços de espionagem. É mais vantajoso vir para cá, produzir aqui, e exportar de volta para seus países, porque nossa mão de obra é quase de graça para eles. Só fica uma pergunta:

    SE TEMOS TANTAS RESERVAS INTERNACIONAIS, SUFICIENTES PARA PAGAR TODOS OS NOSSOS COMPROMISSOS EM DÓLAR, PORQUE PRECISAMOS EXPORTAR TANTO, E PERMITIR QUE VENHAM DO OUTRO LADO DO MUNDO PARA CÁ, A FIM DE MANDAR NOSSAS RIQUEZAS PARA SEUS PAÍSES?

    >>VAMOS RESPONDER : ISSO É PRA QUE OS POLÍTICOS RECEBAM SUA GORDA PROPINA NO EXTERIOR.<<

    http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/bob-fernandes-ruas-e-redes-sociais-rompem-a-blindagem#comment-1482577 

    PORQUE NÃO PRODUZEM E OBTÉM SEUS LUCROS APENAS VENDENDO AQUI NO MERCADO INTERNO?

    QUE BENEFÍCIO NOSSO POVO TEM, QUANDO UMA MINERADORA EXTRANGEIRA EXTRAI NOSSAS RIQUEZAS E MANDA PRO EXTERIOR?

    Na Islândia os protestos fizeram com que os políticos escrevessem na lei do país, que todas as reservas minerais são dos cidadãos, do Estado, e não podem ser vendidas:

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=302887903180212&set=a.300951956707140.1073741826.300330306769305&type=3&theater

    QUE VANTAGEM A SOCIEDADE LEVA, QUANDO UMA EMPRESA ESTRANGEIRA PROCESSA NOSSAS MATÉRIAS PRIMAS, E AS EXPORTA?

    Pois se essas riquezas ficassem aqui, seus preços seriam muito menores, e nossa moeda mais valorizada. Os EUA exportam menos de 5% de sua produção. A Índia se desenvolve num ritmo muito maior que o Brasil, e possui apenas 3% de capital estrangeiro. Quando nossas riquezas são exportadas, a única coisa que recebemos é um monte de papel, que eles chamam de dólar; o qual também não pára por aqui, já que eles o remetem ao exterior em forma de remessa de lucros. 

    Faça as contas você mesmo (a grosso modo). Pegue duas empresas, uma exportadora (normalmente multinacional), e outra fornecedora para o mercado interno. 

    EXPORTADORA:

    A exportadora obtém um lucro bruto, entre o resultado das compras e vendas menos os impostos de 100 mil. Tem custos fixos de 20 mil, e gasta 50 mli com salários. Para achar seu resultado final teríamos um equação assim:

    RESULTADO = LB(lucro bruto) – (CF (custo fixo) + S(salário)

    Simplificando:

    R = LB – (CF + S)

    R = 100 – (20 + 50) = 100 – 70 = 30 mil de lucro líquido 

    I
    FORNECEDORA PARA O MERCADO INTERNO:

    Mesmo faturamento e lucro da exportadora:

    R = 100 – (20 + 50) = 100 – 70 = 30 mil

    DESCUBRA PARA QUEM É BOM O ARROCHO SALARIAL

    VAMOS DOBRAR O SALÁRIO DAS DUAS EMPRESAS (100 mil agora)

    Exportadora:

    (Repare que as vendas vão diminuir, porque terão que elevar os preços.)

    R = 80 – (20 + 100) = 80 – 120 = – 40 (prejuízo de 40 mil)

    Empresa do mercado interno:

    R = 250 – (20 + 100) = 250 – 120 = + 130 mil de lucro

    (Repare que as vendas mais que dobraram, já que se a renda do povo dobrou, o consumo também dobrará, e a margem de lucro também poderá ser maior, num mercado mais aquecido.)

    Mesmo assim, não somos contra as multinacionais, mas achamos um absurdo, que empresas estrangeiras se instalem no Brasil, para exportar seus produtos para seus países. Alguma coisa tem de errado nisso, e é justamente os baixos salários pagos ao nosso povo, decorrentes da roubalheira do governo, que fica sem dinheiro para pagar melhor o funcionalismo, as aposentadorias, e elevar o salário mínimo. 

    Acho até que as multinacionais devem ser estimuladas, porque trazem tecnologia ao país, e aumentam a concorrência; mas não podemos permitir que dominem setores importantes da economia, e nem mesmo que entrem nos setores estratégicos, como comunicação, energia, e mineração, para que nos transformem numa colônia de exploração.

    Observem que são duas forças atuando contra o povo. Primeiro tem o empresário estrangeiro oportunista, e depois a corrupção do governo, que rouba tudo, impedindo que aumentemos o poder aquisitivo do funcionalismo público, aposentadorias e salário mínimo. A mais execrável delas é a corrupção governamental. Porque as multinacionais tem um trânsito até maior entre os próprios países desenvolvidos, e se sentem satisfeitas em explorar um mercado normal, onde a mão de obra não é subvalorizada como aqui. No Brasil, o trambique é feito justmente para que elas explorem o mercado por um lado, mas que por outro, também desviem parte significativa de nossas riquezas para os paraísos fiscais no exterior, na conta dos políticos. É pegar ou largar. O que você faria no lugar de um empresário estrangeiro, que vê seu concorrente entrar na jogada?

    É isso mesmo, empresários estrangeiros são estorquidos por nossos políticos ladrões, para que depositem o excesso de lucros em suas contas nos paraísos fiscais.

    DEFESA AOS CAMPOS DE LIBRA:

    http://tijolaco.com.br/index.php/libra-os-numeros-que-mostram-o-equivoco-de-cancelar/

    A explicação é muito boa. Entretanto, o maior problema é sermos tratados como idiotas. O governo deve satisfação ao povo, e no caso de venda ou concessão de patrimônio público, isso deve ser feito com antecedência. 

    Os monopólios televisivos da época da ditadura deveriam receber a exigência de pelo menos 15 minutos diários no horário nobre, para tratar de assuntos oficiais como esse, e de graça. Quanto custa a concessão que esses caras receberam?

    O povo deve ter direito a um debate oficial, poder fazer perguntas, e até impugnar as propostas do governo. Senão, isso aqui vira a casa da sogra. Não é uma questão da Dilma ter a consciência tranquila, saber o que está fazendo, e poder se explicar ao povo no horário eleitoral. A sociedade não deve ficar à mercê da consciência dos políticos. Do que nos resolveu as explicações do FHC e do Serra, por exemplo, no caso do SIVAM?

    Se os chineses precisam de petróleo, tudo bem, vendemos pra eles.

    Porque precisamos entregar a produção também?

    Acho, inclusive, que deveríamos vender apenas o produto já refinado. Imagine quantos executivos altamente remunerados precisaríamos criar pra isso. O que podemos estar jogando no lixo, é o futuro de nossa juventude.

    Não temos dinheiro?

    E pra que esse governo fez tanto sacrifício para acumular as reservas internacionais?

    Não é ao tesouro nacional, que os chineses entregarão seus dólares?

    Por que o tesouro não deixou de especular no exterior com essa fortuna em reservas internacionais e investiu na Petrobrás, para que ela tivesse condições de operar os campos de petróleo sozinha, aumentando inclusive sua participação na Petrobrás?

    E mais, por que não fomos informados, e consultados antecipadamente sobre esse trambique?

    Vocês não acham que é muita falta de respeito?

    COMO É NA EUROPA

    http://ieeexplore.ieee.org/xpl/login.jsp?tp&arnumber=540447&url=http%3A%2F%2Fieeexplore.ieee.org%2Fxpls%2Fabs_all.jsp%3Farnumber%3D540447 

    “O método de conferências de consenso organiza uma análise de alta qualidade entre um painel de discussão dos leigos e um painel de especialistas, na presença de um auditório… Análise política participativa é definida pelos autores como um modo prático de investigação analítica facilitada, que em diferentes contextos de decisão política amplia o leque de contribuintes, para apoiar a gestão do conhecimento, o processo de decisão e as relações de rede através da criação, aplicação e avaliação de fóruns específicos de comunicação e participação. É equivalente à conferência de consenso utilizada na Europa com um fórum de comunicação e participação dos leigos e especialistas, para decisões sobre questões tecnológicas complexas e controversas da sociedade; como bio-genética e tecnologia. Algumas experiências recentes na Europa são encontradas, e é dada especial atenção a alguns dos resultados de um estudo a respeito de uma conferência de consenso sobre a questão da avaliação preditiva genética humana (experimental), e onde isso vai nos levar. Esta conferência e sua avaliação foram iniciadas pela Plataforma Holandesa Para a Ciência e Ética. A avaliação centrou-se na formação de opinião dos membros do painel de leigos, como resultado de sua participação.”

    http://participedia.net/en/methods/participatory-consensus-conferences

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome