SP tem moradores sem água há 3 dias

Por Luciana Mota

Oi Nassif, desculpe o local impróprio, não achei o fora de pauta.

Mas acho que os três dias de interrupção do fornecimento de água para 800 mil paulistanos não pode passar em branco.

Há umas duas semana atrás durante uma forte chuva, fiquei 12 horas sem energia elétrica em casa.

Moro no Butantã, e hoje completo três dias sem o abastecimento de água por conta (dizem) do rompimento de uma adutora.

Três dias sem água em uma cidade que não foi atingida por nenhum desatre natural. Me pergunto se isso é natural, se teria acontecido em um país realmente civilizado, sem que os responsávei fossem ao menos chamados a dar explicações. A única resposta que me ocorre vem da música de Caetano – ” O Haiti é aqui”.

Abs, LM

Tudo isso estando na 3º/4º maior cidade do mundo.

Por CAIXA PRETA

Luciana,

Embora já se saiba que a SABESB vai justificar o problema com um alibi incontestável, existe algo de muito estranho que ainda não foi esclarecido:

De sábado para domingo, estava programada uma manutenção em uma adutora em COTIA, que iria atingir, com cortes (”rapidos”) a região de ALPHAVILLE (Santana do Parnaiba e Barueri).

Muito bem. Só que às 21 horas de sábado, um amigo de minha filha, que mora na região de Vila Sônia, reclamava com ela, ao telefone, que haviam cortado a água da sua região. Em prédios e casas, àquela hora, poucos se deram conta disso. Mas a turma reclamou porque fazia um churrasco e usava a água de uma torneira do quintal (não descia da caixa d’água – vinha direto do hidrômetro).

Aí fica a pergunta (que, até, nada pode ter a ver, mas não ofende “né”): teria a SABESP aumentado sobremaneira a pressão para que a água chegasse a algum ponto de entroncamento – um ramal – e fosse levada até Alphaville?

O porquê da pergunta? Se a tubulação de 1,5 metros de diâmetro se rompeu a 8 metros de profundidade, algo de muito forte causou este rompimento.

SABESP: Afinal, qual foi a causa?

Acho que dirão que estão sendo obrigados a liberar água da represa de Guarapiranga, porque esta atingiu o nível máximo e, por isto estão mantendo completamente cheios os reservatórios das adutoras (ou que nome técnico lá isto tenha).

E, Isto é tão verdadeiro, que há duas semanas houve uma outra interrupção no fornecimento na sua região, em função de um grande reservatório “não ter aguentado a carga máxima”: apresentou rachaduras e precisou sofrer manutenção. Isto é o que o povo local diz ter sido informado pelo telefone de contato com a SABESP.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora