GREG NEWS: Comunidades terapêuticas e a política de drogas de Bolsonaro

Comunidades terapêuticas são espécies de entidades sem fins lucrativos para atenderem dependentes químicos e que se tornaram carros-chefe da política de drogas de Bolsonaro

Gregorio Duvivier. Reprodução

Jornal GGN – Na mais recente edição do programa Greg News, Gregorio Duvivier faz um resumo da política nacional de drogas do governo Bolsonaro. Mesmo com toda a ironia, o humorista não conseguiu deixar de reconhecer o tom deprimente das propostas do governo aliado à comunidades evangélicas e sem respaldo científico.

Uma investigação do Ministério Público Federal constatou em diversas comunidades terapêuticas no país a prática comum de castigos físicos, trabalhos análogos à escravidão, medicação injustificada, privação de liberdade e eletrochoque.

As comunidades terapêuticas são uma espécie de entidade sem fins lucrativos criadas para atender dependentes do álcool e outras drogas. Elas recebem dinheiro público para exercer suas finalidades em valores que sofrem escalada desde o governo Lula. Bolsonaro dispensou a licitação e 496 comunidade assinaram contratos com o Ministério da Cidadania – 216 novas, as demais renovações. Com os contratos, as entidades receberão R$ 153,7 milhões por ano. A título de comparação, os 331 Centros de Atenção Psicossocial (Caps) especializados no atendimento de pessoas com transtornos decorrentes do abuso de drogas, e que contam com uma equipe multiprofissional entre psiquiatras, psicólogos e outros profissionais da saúde, receberão R$ 158 milhões.

Muitas das comunidades terapêuticas foram criadas por grupos evangélicos e ligados a políticos como Magno Malta (ex-deputado), Pastor Marco Feliciano (PODE-SP) e o Pastor Sargento Isidório (Avante/BA) – esse último se tornou mais conhecido depois de ter viralizado um vídeo onde, durante uma sessão na Câmara dos Deputados, se ofereceu para debater com o presidente Bolsonaro porque ‘para falar com um doido, só outro doido’.

Leia também:  Moro "canalha", Bolsonaro "governa para milicianos": Lula de volta ao ringue

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Nada me surpreende mais.

    Evangelicos e que tais descobriram um novo meio de ganhar dinheiro fácil.
    O que me irrita é com o MEU dinheiro.

    Tudo isso por AMOR ao proximo! Sei…

    O dizimo já não é suficiente…

  2. Bravo! Bravíssimo, Greg! É dever de toda a sociedade civilizada cobrar apuração de todas as denúncias de abusos praticados por organizações que lidam com dependentes químicos sem orientação científica e sem controles transparentes, visto que as práticas denunciadas constituem crimes contra a humanidade — os quais incluem tortura física e psicológica, maus tratos e trabalhos forçados, em regime de semi-escravidão. A verdade nua e crua é o melhor antídoto contra o modus operandi fascitóide, que utiliza a mentira como arma de guerra. E a verdade mostrada com humor, subverte a opressão através da arte, transforma por meio da conscientização. Mais GregNews, menos FakeHills!

  3. Além de tudo isso, comunidades terapêuticas e manicômios se utilizam de técnicas como eletrochoque, banhos gelados e drogas incapacitantes para controlar seus internos, técnicas essas idênticas a torturas aplicadas pelos militares durante anos no Brasil. Não entendem que isso é só uma faxada para retirar as torturas realizadas nos nos porões da ditadura, e coloca-las nos porões dos manicômios e comunidades terapêuticas? Internação compulsória é só um método justificável para sumir com quem não concorda com os métodos do governo? Quero ver alguém provar que não é dependente químico depois de ser internado arbitrariamente e dopado com drogas incapacitantes.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome