Mais de 50% dos microempreendedores estão inadimplentes no Brasil

Dados oficiais apontam que mais da metade dos 8,6 milhões de microempresários tem atrasos com a Receita Federal

Trabalhador autônomo. Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

Jornal GGN – O programa do microempreendedor individual (MEI) conta hoje com 8,6 milhões de pequenos empresários cadastrados e encontra-se com alto patamar de inadimplência: 54%, segundo dados da Receita Federal do mês de maio.

No ano passado, atingiu o pico de 70%, destacou o subsecretário de Desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas, Empreendedorismo e Artesanato do Ministério da Economia, José Ricardo da Veiga, em entrevista ao G1.

“Mas [esses 70%] não é inadimplência acumulada. Tem prestação ‘pulada’, pessoas que estão pagando com algum atraso”, explicou.

O programa completa dez anos em 2019 e nasceu para incentivar a formalização de pequenos negócios e trabalhadores autônomos. Quem tem o faturamento de até R$ 81 mil por ano (ou R$ 6,7 mil por mês) e têm no máximo um funcionário é integrado nessa categoria.

O empreendedor inadimplente deixa de ter acesso a salário-maternidade (a partir de 10 meses de contribuição); aposentadoria por invalidez e auxílio-doença (após 12 meses de contribuição); de auxílio-reclusão e pensão por morte para seus dependentes. O período que fica sem pagar também prejudica a somatória para a aposentadoria por idade.

Para se regularizar, o microempreendedor deve acessar o Portal do Empreendedor onde é possível aderir a um programa de parcelamento da dívida. Ao se cadastrar como MEI, o empresário é enquadrado no Simples Nacional, um modelo de contribuição simplificada, ficando isento dos tributos federais como Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL.

O aumento de inadimplência no setor acompanha o período de recessão econômica. Segundo dados do Portal do Empreendedor, nos últimos cinco anos, a taxa de devedores cresceu 120%.

Leia também:  Saneamento: Câmara e Senado divergem sobre novas regras para ampliar articipação da iniciativa privada

*Com informações do G1

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

5 comentários

  1. Já nem espanta mais que, a cada vez que ando por ruas centrais e olha, aqui no rico interior de SP a quantidade de portas de pequenos negócios fechadas e o tanto de placas de imobiliárias grudadas nelas. E no país onde no planalto não faltam quitutes e sucos à mesa e onde não existe fome, grande parte dos negócios fechados foram restaurantes e lanchonetes. os quais costumam ser uma das primeiras ideias de se estabelecer para os que não tem experiência.

  2. E no estado onde o governador “acelera”, é corretor de negócios para os afiliados de sua lide e quando o presidente “danação” com a estratégia “pé-de-breque”, que acredita que vai melhorar a coisa, vendendo as estatais para as estatais de outros países cuidarem, vejamos o seguinte:
    – Número de indústrias fechadas em SP é o maior em uma década
    – Maior polo industrial do País, Estado de São Paulo viu 2.325 fábricas fecharem as portas entre janeiro e maio

    https://www.terra.com.br/noticias/numero-de-industrias-fechadas-em-sao-paulo-e-o-maior-em-uma-decada,9a7f412eb64e2909500eadc92adc95bca3azf1u1.html?

  3. Conheço alguns. Não tenho provas mas tenho a convicção de que sei em quem votou a maioria deles. A maioria dos inadimplentes.

  4. Sejamos francos, você paga impostos para ter a proteção do Estado… para receber de volta Educação, Saúde, Segurança, serviços públicos de qualidade, proteção contra os abusos dos bancos e dos empresários inescrupulosos e contra os agentes públicos corruptos.

    Aí, você tem um “governo” que não faz nada disso, corta os direitos e serviços devidos ao povo para alimentar o imenso carrapato que é uma elite corrupta, preconceituosa e arrogante… desperdício de dinheiro simplesmente!… melhor gastar com a própria família, em alimentação, saúde e educação.

  5. vamos raciocinar lógicamente:
    pagamos impostos ao Estado, para receber, desse mesmo Estado, saúde, educação, assistência médica, uma aposentadoria digna, segurança para a nossa família e para o país, … proteção para a natureza em busca de um futuro digno para os nossos filhos….

    Ocorre que temos justamente o contrário disso, temos governo formado por debilóides corruptos e lamentavelmente burros. Governo que retira os direitos e a assistência que deveria fornecer em contrapartida aos impostos pagos. Retira recursos do povo para financiar um enorme carrapato arrogante, truculento, burro e corrupto. Esse carrapato, também conhecido pelo nome de funcionalismo público graduado, é podre e malcheiroso por sua própria genética viciada.

    Qualquer um de nós que “ouse” reivindicar um direito, cobrar uma ação mais efetiva de uma “autoridade”, ou vai levar borrachada, ou vai ouvir o clássico “você sabe com quem está falando?”

    Melhor então, ao invés de sustentar vagabundo, gastar nosso rico dinheirinho dando qualidade de vida aos nossos familiares…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome