Vejam os medalhistas. E querem reduzir os programas sociais?, por Marcelo Auler

" Dez das onze medalhas conquistadas pelos brasileiros vieram de atletas beneficiados com programas de incentivo"

Vejam os medalhistas. E querem reduzir (acabar?) os programas sociais?

Por Marcelo Auler

“Essa medalha tem um significado especial por ter vindo de um projeto social, mas me dá tristeza ver que isso acabou no Brasil. Se vocês tiverem como tirar fotos dessa medalha, mostrem aos nossos políticos no Planalto para que eles parem de brigar entre si e continuem a buscar novos atletas. Os EUA são uma potência no esporte porque lá existe incentivo do governo”.

A frase de Isaquias Queiroz, medalha de prata na canoagem, é um soco, tão forte quanto o do baiano Robson Conceição  – medalha de ouro no boxe -. naqueles que criticam e condenam programas sociais. São geralmente os neoliberais que fazem de tudo em defesa do chamado mercado. Falam em reduzir gastos com os mais necessitados para gerar superávit e pagar a dívida (jamais auditada, como deveria ser) e o serviço dela.

Isaquias não é uma exceção. Nestes Jogos Olímpicos Rio 2016, dez das onze medalhas conquistadas pelos brasileiros vieram de atletas beneficiados com programas de incentivo bancados pelo governo,

Para muitos, pode ser considerado dinheiro jogado fora, que poderia gerar o tão desejado superavit que os neo-liberais defendem.

Mas, nem é preciso muito esforço para enxergar que tais projetos não se mostram proveitosos apenas na hora de subir ao pódio, Até chegar lá são centenas de jovens que passam por treinamentos e, com isso, deixam a legião dos desocupados. Consequentemente, a de candidatos à marginalidade.

O mais curioso é que muitos daqueles que aparecem nos estádios, arenas e demais locais de competição trajando o verde amarelo, gritando pelos nossos competidores e vaiando os adversários – em um espírito pouco olímpico -, são os mesmos que foram, com as mesmas camisetas para ruas e avenidas pedir o fim do governo Dilma e ajudar no golpe que levou Michel Temer para o palácio. Ou seja, colocaram no poder, através do golpe do impeachment, quem agora defende reduzir (por terem medo de propor a simples extinção) os programas sociais em geral, inclusive os que ajudaram estes mesmos atletas pelos quais torcem e cobram resultados.

Continue lendo

12 comentários

    • Família Silva é porreta sô!

      Os Silva estão em alta mesmo, é uma grande família brasileira. São gente nota DEZ! Parabéns ao Lula e à Dilma. E VIVA ao PT!

  1. Dilma deveria fechar as Olimpíadas!

    A PRESIDENTE DILMA deveria fechar as Olimpíadas – COM A LEGITIMIDADE QUE LHE CABE -, visto que o golpista está correndo como rabo no meio das pernas…  Ou então o EX-PRESIDENTE LULA deveria ir ao fechamento das Olimpíadas!!!

  2. É DIFÍCIL TRANSFORMAR O BRASIL NUMA POTÊNCIA OLÍMPICA?

    Recentemente vimos e ainda estamos nos emocionando com a participação dos 465 atletas brasileiros nos Jogos Olímpicos de 2016.

    Vibramos com cada conquista, com cada recorde e com cada medalha.

    Quem um dia praticou esportes de alto desempenho sabe o quanto é difícil se condicionar para chegar ao topo de cada categoria.

    Passemos agora a alguns números e depois voltamos ao assunto olímpico.

    O Brasil tem hoje aproximadamente 17.000 juízes, 15.000 promotores públicos e uns 6.500 defensores públicos.

    Todos prestam um excelente serviço – salvo raras exceções – para a sociedade brasileira.

    O ponto não é este e sim a questão do famoso “Auxílio-Moradia”, de incríveis R$ 4.377,73 mensais, que cada um destes quase 40.000 funcionários públicos recebe (o gasto anual com esse “benefício” é de mais de 2 bilhões de reais). 

    É exagero dizer que 75% dos assalariados brasileiros não recebe em vencimentos mensais o que estes funcionários públicos recebem apenas a título de “Auxílio-Moradia”? Penso que não.

    Sabe-se muito bem que juízes, desembargadores e promotores, entre outras carreiras, percebem vencimentos de mais de R$ 20.000,00 mensais (alguns recebem 25, 28, 30 ou 35 mil reais mensais).

    Em outubro de 2014 o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) chancelou essa mamata – que já existia a nível estadual em 17 unidades da federação.

    Sabem vocês qual é o valor das bolsas do ‘Programa Atletas de Alto Rendimento’, criado por Lula em 2008 e que patrocina nossos atletas em modalidades olímpicas?

    É de apenas 3.200 reais mensais!

    Sabem vocês qual é o valor do Bolsa Atleta, criado por Lula em 2004 e que patrocina uma miríade de disciplinas?

    Fica entre R$ 370 e R$ 3.100 mensais!

    Isto sem falar no Bolsa Pódio, criado por Dilma em 2011.

    Este programa foca de forma específica em atletas de alto desempenho profissional (para ser contemplado, o atleta deve atender critérios definidos na lei, como estar situado entre os 20 melhores do ranking mundial ou na prova específica da modalidade).

    O valor, neste caso, varia de R$ 5 mil a R$ 15 mil mensais (são aproximadamente 300 atletas que tem acesso ao benefício).

    Sabendo destes números todos digo sem medo de errar:

    O Brasil teria todas as condições do mundo para se tornar uma imensa potência olímpica, ombreando em resultados com os EUA, a China e a Rússia, entre outras potências desportivas.

    Bastaria, para tanto, que se extinguisse esse pérfido “Auxílio-Moradia” de R$ 4.377,73 mensais, pago a pessoas que já recebem altíssimos salários, e que se investisse tudo na formação dos atletas brasileiros, desde a base.

    A imensa maioria dos atletas vem de famílias humildes, com escassos ou inexistentes recursos. Sobrevivem com imensas dificuldades no dia a dia.

    Não tenho dúvida alguma de que extinguindo o “Auxílio-Moradia”, mordomia indevida que se paga aos abastados, e investindo tudo isso em bolsas esportivas, num prazo curtíssimo teríamos uma verdadeira revolução esportiva neste país chamado Brasil.

    Não é falta de dinheiro. É onde se aplica o mesmo.

  3. EM ABSOLUTA PRIMEIRA MÃO.Os

    EM ABSOLUTA PRIMEIRA MÃO.Os quatros medalhistas olimpicos norte americanos,que completamente embriagados,que se envolveram em arruaças na Barra da Tijuca,danificando o patrimonio publico e privado,para depois forjarem um B.O em Delegacia Especializada,dizendo-se terem sido vitimas de assalto a mão armada,foram convocados ao Palácio do Itamaraty,às 17:00 horas de hoje.Serão condecorados pelo Ministro das Relações Exteriores José Serra e todo corpo diplomatico,quando receberão as Medalhas de Honra ao Mérito Assalto ao Banco Central,a mais alta comenda brasileira do crime organizado. Por problemas de agenda,o Presidente Interino Michael Temer não poderá comparecer.Será representado pela primeira dama Marcela Temer, e pelo seu filho mais novo,Michelzinho.

  4. Petrobrás

    Primeira coisa que o Robson Conceição falou ao dar enrevista para o Sportv foi agradecer a Petrobrás pelo patrocínio. O técnico dele também comentou que, sem o apoio do Governo Federal nos anos anteriores, o boxeador não teria chegado lá.

    Essa a Globo teve que engolir!

  5. Quanto aos que foram as ruas

    Quanto aos que foram as ruas de verdeamarelo zurrando “Fora Dilma” não há muito o que dizer, a não ser que são retardados metais.

    Quanto ao investimento no esporte: é uma das melhores forma de investir o dinheiro do país.

    O problema desse país continua sendo a burrice. Podemos ser muito melhores do que somos, o sucesso da Copa e dos Jogos são provas definitivas. Mas a estupidez e mediocridade dos que nos governam não deixa e a burrice dos que acreditam na Globo nos mantám presos a mediocridade.

    Em tempo: dá nojo assistir a babação de ovo da Globo. Nunca investiu um maldito centavo no esporte e formação de atletas, mas faz de tudo para colher os louros que os outros conquistaram.

  6. O baiano é ROBSON CONCEIÇÃO e

    O baiano é ROBSON CONCEIÇÃO e não Robson Caetano.

    Aliás, esse último é dono da marca de 10s para os 100m desde 1988. Recorde sul-americano e brasileiro.

    Ou seja, nosso atletismo nunca melhorou.

     

  7. Parabéns a todos os

    Parabéns a todos os medalhistas. São heróis incontestes. Ultrapassado esse ponto, acho que está muito cedo para que seja feita qualquer análise vinculando as medalhas aos programas governamentais de apoio. Pois, uma vez que se está lidando com recursos públicos, por definição altamente escassos e disputados, há que se fazer uma análise de custo/benefício desses programas, comparando o quadro de medalhas desta olimpíada  – ou seja com a existência dos programas – com as outras Olímpiadas em que eles não existiam. Já pensou se, mesmo com a existência desses 3 programas,  a quantidade de medalhas amealhadas nesta Olimpíada for inferior às demais? Se isso acontecer, sinto dizer, mas tais programas foram inócuos no geral, uma vez que, sem eles, em outras olimpiadas fomos superiores…

    Inobstante, parece-me que uma ótima aplicação desses recursos escassos é a utlização das forças armadas para o aperfeiçoamento dos atletas, que ali já chegam prontinhos, mas buscando o aprimoramente que vai fazer a diferença. Beleza pura. Mas, como sempre, o resultado vai ser função da busca pessoal de cada um… Programão mesmo de base, já se viu que não existe nadica…

    • É nítido que não sabe o que

      É nítido que não sabe o que diz. Sem alguma foram de apoio estatal simplesmente não existe possibilidade de medalha olímpica. Ou isso, ou o cara é um fenômeno.

      O pouco que esse país aplicou na formação de atletas já fez tremenda diferença na sua posição no quadro de medalhas.

  8. A lista dos 10 primeiros países. . .

    A lista dos 10 primeiros países com medalhas nas Olimpiádas do Rio de Janeiro tem forte correlação com a classificação de rendas per capita desses países,  exceções à parte para a China e Rússia, vejamos: Estados Unidos (5º lugar), Grã Bretanha (13º lugar), China (72º lugar), Alemanha (18º lugar),  Rússia (65º lugar) Japão (24º lugar), França (20º lugar), Itália (25º lugar)  Holanda (Países Baixos) (15º lugar), e Austrália (9º lugar) fonte FMI. Naturalmente é de esperar que esses países apliquem mais recursos em treinamento de seus atletas olímpicos, As exceções Chinaal  e Rússia são explicáveis, a China pelo alto contigente populacional de 1.300.000.000 de habitantes facilita muito a seleção de atletas de alto potencial, e a Rússia mesmo tendo fraca classificação em renda per capita é uma potência olímpica desde os tempos da Guerra Fria. A classificação do Brasil em 15º lugar até o momento, com 4 medalhas de ouro, 4 de prata e 4 de bronze pode ser considerada muito boa e deve muito a isso, a criação do Programa Bolsa Atleta inclusive com associação com as Forças Armadas para treinamento dos atletas olímpicos.

  9. Programas e programas

    O autor do texto não citou as forças armadas no seu post. Por que? 80% dos ganhadores de medalhas são treinados pelos militares.Isto quer dizer que os outros diversos programas sociais esportivos supostamente são ineficientes , não tem qualificação para preparar atletas olímpicos, etc. etc. Portanto é inócuo associar as olimpíadas com tais projetos.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome