Carlos, o filho 2, vai atuar nas redes pela reforma da Previdência

Carlos, o filho 2, já começou a trabalhar. Anda fazendo postagens para ‘informar’ seu público seguidor das vantagens da reforma

Carlos, o filho 2, é aquele que participou do cortejo do presidente eleito, seu pai.

Jornal GGN – As famosas redes que deram suporte à vitória de Jair Bolsonaro voltam ao cenário. Agora, pela reforma da Previdência, o filho 2, Carlos Bolsonaro, irá capitanear o apoio para a aprovação da malfadada matéria. O pai avalia uma estratégia de comunicação combativa nas redes sociais, voltando ao velho e bom torpedeamento dos incautos.

A intenção é fazer a defesa enfática dos principais pontos da proposta nas mídias digitais, rebater críticas da oposição e pressionar os congressistas indecisos. Nessa guerra que se avizinha, Carlos Bolsonaro assessorará o pai. Eleito vereador, o filho 2 tem sido muito ativo nas redes sociais, e se reuniu nesta segunda, dia 25, com o secretário de Comunicação Social Floriano Barbosa, um dos idealizadores da nova guerra de redes sociais. 

Carlos, de 36 anos, já abraçou a causa. Além da visita ao Planalto, o filho 2 foi ao Ministério da Economia conversar com o corpo técnico da Secretaria da Previdência. Segundo a Folha apurou, Carlos se apresentou em postura colaborativa, colocando-se à disposição para ajudar na estratégia das redes. Parece que o discurso foi ameno.

O filho 2 mudou um pouco seu perfil nas redes sociais. Depois de metralhar gregos e troianos, sem distinção, abaixou o tom e elogiou o ministro da Economia. Um feito interessante para quem é conhecido pela alcunha de pitbull, e tem comportamento nas redes que não desmente o apelido.

Ele aparece disposto a ajudar o governo do pai após declaração de Rodrigo Maia, do DEM, presidente da Câmara, que defendeu um retorno às peripécias das redes sociais, que garantiu a vitória de Jair. A defesa teria sido no tom do ‘melhorar a capacidade de comunicação do governo’ pela aprovação da reforma.

Leia também:  Senadores articulam PEC paralela incluindo Estados e Municípios na reforma da Previdência

Carlos, o filho 2, já começou a trabalhar. Anda fazendo postagens para ‘informar’ seu público seguidor das vantagens da reforma da Previdência. Disse no Twitter, ao instar que acompanhassem um dos pronunciamentos do presidente: “Assista aqui, tire muitas dúvidas e desminta muitas desinformações divulgadas propositalmente”, escreveu.

O retorno do filho 2 ao Planalto se dá após a demissão de Gustavo Bebianno, alvo anterior do rapaz e que perdeu nesta queda de braço. O tão famoso ‘pitbull’ criou a primeira crise dentro do governo do pai. E recebeu muitas críticas por isso.

E das críticas chegaram os pedidos para que ele se afastasse do governo federal, e voltasse para o cargo a que tinha direito por ter sido eleito, o de vereador no Rio de Janeiro. E agora ele volta ao Planalto, mostrando que o afastamento durou pouco.

E volta para o trabalho que mais sabe fazer.

Com informações da Folha

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

7 comentários

  1. Essa gente só vai começar a ter crédito,se algum dia vier a ter,se começar a criar empregos e distribuir renda. Fora isso não tem rede social que segure,além do que,agora,diferentemente das eleições,alguns grupos super privilegiados tem interesses contrários,e muito contrários,a qualquer reforminha,mínima que seja,da previdência social.

  2. Quem com rede fere…….

    Que as centrais sindicais e as partes interessadas usem as redes pra esclarecerem a tunga da previdência que o presidente maluquinho quer enfiar goela abaixo do povo em favor dos abutres assassinos do mercado.. logo ele que se aposentou em tenta idade …

  3. Se o Carlos Bolsonaro é vereador pelo município do Rio de Janeiro, por que ele não está trabalhando na Câmara desse município?

    • Porque a câmara é um negócio… os acessores vão lá (ou não) recebem o salário (isso é certo) e repassam 90% pro cidadão de Brokeback (que deve ser onde ele mora, já que no Rio ele não fica).

  4. Fico a pensar na seguinte situação: Uma família de quatro pessoas, os pais e dois filhos. Os dois pais trabalham e cada um ganha um salário mínimo. Um dos pais morre. Se a reforma da previdência for aprovada, o cônjuge sobrevivente não terá direito à pensão do cônjuge que morreu. Em sendo assim, se antes quatro pessoas sobreviviam com dois salários mínimos, três pessoas vão ter que sobreviver com um salário mínimo.
    Se a família tiver cinco membros, a coisa piora, pois ficará um salário mínimo para quatro pessoas.
    Essa reforma é para fazer o Brasil recuar para a Idade da Pedra Fudida.

  5. LÁ VEM GRANA PRETA DOS BANCOS PRIVADOS PARA O WHATSAPP,YOUTUBERS ETC…JÁ ATÉ APROVARAM UM DIVERSIONISMO/DISTRAÇÃO Q É A CPI DO BNDES(a melhor defesa é o ataque e nada melhor q no setor financeiro público né congressistas? Para q não venha a tona o assunto setor financeiro privado e seus jurinhos humanitários)
    Obs:Ótima oportunidade para mapear o modus operandi deles e a postura de muitos ditos progressistas defensores dos pobres mas q já estão macomungados com a reforma (extinção)da previdência humanitária pública,só foi o PT dar a oportunidade de protagonismo a alguns partidos progressistas e estes já se acertaram com o Governo Bolso mostrando a sua verdadeira face,existe milhões de coisas mais importantes q renderão muito mais dinheiro ao governo do q está deforma!
    Obs2:Se o PT falhar ou se aliar disfarçadamente com os bancos será o seu enterro diante do povo pois JÁ ESTÁ DECIDIDO NO JUDICIÁRIO ALGO REFERENTE A SOBREVIVÊNCIA DESTE PARTIDO ,NÃO É Q VÃO DECIDIR JÁ DECIDIRAM E TEM DEDINHO FINANCEIRO PRIVADO AÍ,P O PT SÓ RESTA O POVO!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome