As ciclovias de Haddad e o terraplanismo da cobertura

Ando pela rua Groenlândia. Movimento terrível de carros. Ciclistas, patinetistas, utilizam as calçadas para se locomover. No centro, bicicletas e patinetes passam a ser utilizadas intensivamente para pequenas distâncias.

E aí me lembro do início da implantação das ciclovias, na gestão Fernando Haddad, em pleno processo da guerra ideológica de extermínio. Cada ciclovia em construção era alvo de matérias iracundas, descrevendo o incômodo da vizinhança, as críticas quanto ao trajeto escolhido, os factoides sobre os custos de construção.

Nenhuma palavra sobre a nova tendência das grandes metrópoles, a modernização e a humanização das ruas, reduzindo a ditadura implacável e insustentável dos automóveis. A selvageria foi alimentada até com a OAB-SP entrando na Justiça contra os limites de velocidade impostos pela Prefeitura, desprezando as estatísticas que comprovavam a redução de acidentes e mortes. Era o terraplanismo ideológico dominando a cobertura da mídia e as manifestações de OABs, de tribunais, de promotores.

Hoje em dia, esqueceu-se a cobertura da administração municipal. Não se abriram mais ciclovias, abandonou-se as iniciativas de humanização da cidade. Não se fala mais do lixo, dos semáforos e, vez por outra, tentam transformar em estadista o mais anódino prefeito que governou a cidade.

É o preço do subdesenvolvimento que nunca foi extirpado da vida nacional.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Como o implacável Sérgio Moro livrou a cara do futuro aliado Paulo Guedes

4 comentários

  1. Vejo um episódio raro aqui em sampa todos os domingos por volta das 6 da manhã vem para a feira do bixiga uma senhora idosa com uma imensa mala de ônibus. O motorista curiosamente sempre o mesmo para na esquina abre a porta desce a mala para a senhora lhe deseja um bom dia e se vai. Resquício de um tempo em éramos muito mais sociáveis e decentes. A ele não mais voltaremos, São Paulo está muito pior é isso se reflete nos dirigentes eleitos ou não por eleitores informados a base de fake.

  2. Ciclovias foram uma excelente idéia, mas não podiam ter ficado apenas nisto. Nem deveriam ter sido projetadas apenas para beneficiar a ‘Esquerda Gourmet’ que mora nas imediações da rua Groenlândia ou Praça Panamericana. Novamente afirmo: Excelente Idéia. Mas o abandono do uso de bicicletas na Capital Paulista ou em todo estado, se deu justamente na chegada da Redemocracia e Governos dito Progressistas ou Socializantes. Procure por fotos dos anos anteriores a 1980 de Bicicletários de Empresas como VolksWagen, Scania, Phillips, Pirelli ou Olivetti e surpreenda-se. Eram centenas e centenas, que formavam milhares. Era hábito diário. Meio de Transporte. Era o comum. O mais inacreditável e inaceitável, mesmo na gestão Haddad, é não ter CICLOVIAS nas Laterais das MARGINAIS TiÊTE e PINHEIROS, entre o Aeroporto Internacional em Guarulhos até o Autódromo de Interlagos. 120 Kms de CICLOVIAS TOTALMENTE PLANAS, sem interferência do trânsito rodoviário, interligando toda a Capital, propiciando Qualidade de Vida, praticamente para toda a População e todas Regiões Metropolitanas. Por que não foram construídas?

    • Seria inacreditável se estivéssemos lendo a opinião de alguém com algum conhecimento dos aspectos econômicos e sociais da história do país. Mas é cada vez mais crível que tal ignorância, leva a conclusões ridículas e absurdas como esta de que a esquerda é culpada pelo fato dos trabalhadores terem acesso à veículos. Some-se a esta a ignorância sobre conceitos básicos de urbanização: marginais são vias expressas, que pelo CTB não pode ter tráfego de bicicleta. Logo, impossível tal coexistência a não ser em seus delírios. Logo, não foram construídas porque os gestores não são ignorantes sobre a Lei e planejamento urbano, como o senhor. A qualidade de vida, não deriva do meio de transporte necessariamente, mas do tempo de deslocamento, do conforto para percorrer o caminho, que poderia ser feito se os governos do PSDB houvessem investido mais no metrô e trens, além de organizar o trânsito. Todas estas ações, de responsabilidade do estado de São Paulo que é governado há quase 30 pelo PSDB e que demonstra cada vez mais incompetência. E nem venha dizer que o PSDB é de esquerda, a não ser na sua carta de fundação.

  3. Eugenio, CICLOVIAS nas laterias das Marginais como o Tucanato de Serra, Dória e Picolé já construiu para servir de cenário à Emissora de TV que serve de Porta Voz e Cúmplice das suas mediocridades. E para as pessoas ‘bem-nascidas’ que as frequentam entre a Berrini e os Jardins. Quanto ao Tucanato não ser Esquerda, também sei. Agora, depois de 40 anos de falcatruas, corrupções, lesa-pátria e privatarias deixaram de ser Esquerda para tornar-se Magnatas. Eu sabia disto há 40 anos. Alguns dizem que só enxergaram isto agora. Por que será que este país se tornou esta latrina?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome