Gilmar manda libertar o casal Garotinho, vítima de perseguição implacável

O direito penal do inimigo continua a ser praticado de forma ampla. O casal não foi preso por nenhuma condenação.

O ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, é liberado do presídio de Benfica onde foi preso, durante a Operação Secretum Domus

A decisão do Ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal) de mandar libertar Garotinho e Rosinha é mais um ato de resistência ao arbítrio mais deslavado. A perseguição movida ao casal Garotinho é indecente.

Por trás dela, o mesmo Sistema Globo que condena os arroubos totalitários de Bolsonaro. O desembargador Siro Darlan, que ousou conceder um habeas corpus ao casal, foi crucificado pelo grupo, sem direito a defesa. A intenção foi desestimular qualquer outro desembargador a votar em favor da liberdade do casal, exposto a uma perseguição implacável por Luiz Zveiter.

É um caso sério de democracia relativa. A mesma, aliás, que permitiu a Aécio Neves manter presos dois jornalistas mineiros, sem despertar a menor reação da parte da mídia – que, hoje em dia, luta para recuperar a imagem de defensora dos direitos fundamentais.

São posições superficiais. O direito penal do inimigo continua a ser praticado de forma ampla. O casal não foi preso por nenhuma condenação. Foi preso porque conseguiu-se um delator qualquer que afirmou estar sendo vítima de pressões. É o mesmo delator que forneceu a desculpa para a detenção anterior.

É vergonhoso para o sistema judicial fluminense, para a imprensa e para o país conviver com esse tipo de perseguição.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O pior filme de todos os tempos, por Luis Nassif

6 comentários

  1. Quando o direito fica nas mãos de mentes tortuosas e a justiça passa a ser operada pelos insensíveis, a desonestidade, a violência e a insegurança passam a dominar o espaço e o estado.

  2. Não gosto do casal, mas o min. Gilmar Mendes merece os parabéns pela soltura de ambos.
    São degradantes as ações da “justissa” do RJ em relação aos Garotinhos.

  3. Não sou do Rio, não sei dos reais problemas do casal, mas esse entra e sai na prisão virou uma palhaçada! A justiça se desmoraliza a cada dia com o comportamento de juízes que são mais políticos do que magistrados, sempre tramando contra os cidadãos!

    • …”sempre tramando contra os cidadãos!”

      E não é que o golpe está dando certo, indo de vento em popa?
      A ideia é essa mesmo, induzir-nos a desacreditarmos das instituições democráticas e legais. Veja-se, por exemplo, a mais recente atitude dos Bolsonaro: recriar algo como o AI-5. É, antes de ameaça, uma palhaçada que não tem nada de novo: Bolsonaro faz isso desde sempre. Elogiou o torturador de Dilma e saiu ileso ou mais, carregado nos braços de oportunistas, por ação ou omissão.

      Tudo o que o dólar quer é um país sem governo, sem leis… ou melhor, com a única lei do Capitalismo: “Pereçam os mais fracos ou submetam-se aos mais fortes.” Como dizem que era desde os neandertais…

  4. Nesse caso, foi direito penal do inimigo LITERALMENTE. O Ministério Público enviou um ofício para o atual prefeito de Campos e pediu para o prefeito de Campos investigar o casal Garotinho. Baseado nas informações prestadas pelo adversário político, foi pedida a prisão. É como se o Ministério Público quisesse investigar a ex-presidente Dilma e enviasse um ofício para o Bolsonaro, pedir para Bolsonaro investigar a Dilma e, baseado nas informações prestadas pelo adversário político, pedir a prisão da antecessora no cargo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome