O código de ética que a Globo aplica, mas não segue

Entenda por que cada matéria da Globo contra a Previdência Social passa a servir diretamente os interesses do grupo

Imagem reprodução

Da coluna Notícias da TV da UOL

Reprodução/Globo

Sem avisar a Globo, Dony De Nuccio assinou um contrato polpudo com a Bradesco Seguros e se tornou o rosto do banco em vídeos utilizados para treinamentos de funcionários e em eventos com clientes.
A atitude do apresentador do Jornal Hoje é uma violação ao Código de Ética e Conduta do Grupo Globo, distribuído aos funcionários.
Está certa a Globo, pois poderia comprometer as análises, ou a imagem do apresentador, sempre que o tema fosse abordado pela emissora.

DO BLOG STARSE
Globo investe e se torna sócia de fintech de investimentos

O Grupo Globo comprou uma participação na fintech Órama, com o objetivo de expandir seus negócios para além da mídia. Fundada em 2011 por ex-sócios da corretora Ágora, vendida ao Bradesco em 2008, a empresa é especializada na assessoria de investimentos em plataformas digitais.

Do site da Órama

Reprodução/Órama

Dos veículos da Globo

Cada matéria do grupo, contra a Previdência Social ou a favor da previdência privada, passa a servir diretamente os interesses da Globo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Guerra criptografada: capas da Piauí, temores da Globo e Míriam Leitão e trolagem do livro em branco, por Wilson Ferreira

4 comentários

  1. A história da globo no campo ético dos negócios, se um dia tivesse a sua vazajato seria das coisa mais estarrecedoras que existam: caso NEC-Brasilinvest/Embratel; período ACM como ministro das comunicações no governo Sarney; caso da “Afundação” Roberto Marinho; na ditadura militar, onde a embratel vai a globo segue atrás, onde a globo quer, a embratel coloca uma antena; no período ACM a globo tinha planos de privatizar os correios; sociedade com o ditador Muammar Gadafi através do banco ABC/ROMA (ROberto MArinho); tentativa de entrar no mercado da Europa, através de paraíso fiscal em Monte Carlo; caso FIFA/CBF e desmando no futebol sul americano entre outros tantos casos

  2. Eu conheço bem essas empresas que possuem código de ética, interno, e patrocinam corruptos para governar o país sem o menor pudor. Ou seja, roubar dinheiro público é perdoável, roubar dinheiro da empresa, é impensável. É mais ou menos assim. Dentro da empresa querem ética e exigem completa honestidade dos funcionários, mas praticam atos de corrupção.

  3. Assim como o apoio a ditadura serviu a seus interesses para se transformar no maior conglomerado jornalístico do Brasil. Está apostando na reforma da previdência para abocanhar um naco dessa grana toda. Né não Nassif?

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome