Cenas explícitas de Luis Roberto Barroso em Harvard, por Luis Nassif

Depois de várias palestras justificando o impeachment, o Ministro Luis Roberto Barroso volta a Harvard, para um dos colóquios organizados pelos estudantes.

Depois de várias palestras justificando o impeachment, o Ministro Luis Roberto Barroso volta a Harvard, para um dos colóquios organizados pelos estudantes. Certamente para prestar contas sobre o novo Iluminismo preconizado por ele.

Antes dele, fala Daniel Sarmento, que foi seu orientando na tese de doutorado e se destacou, como ele, em ações pro-bono (sem honorários) junto ao Supremo Tribunal Federal.

Sarmento traça um quadro crítico da vida brasileira, com a eclosão do preconceito, do ódio. Na sua palestra, Barroso traça um quadro cor-de-rosa. É confrontado com a fala anterior, em que Sarmento mencionou amigos gays que estão sendo ameaçados.

Barroso insiste no quadro cor-de-rosa e dispara contra Sarmento:

– Eu orientei ele em sua tese. E ele tem uma enorme inveja de mim.

Alguém ainda há de estudar o fenômeno da vaidade e da inveja na vida pública brasileira, a partir da analise das falas da dupla Barroso e Cardoso.

Outro lado – Sarmento entra em contato com o GGN para admitir que houve a diferença de enfoque com Barroso, mas negar qualquer menção a “inveja” da parte dele. Inclusive, o evento terminou com um almoço em que compartilharam da mesma mesa.

[O GGN prepara uma série no YouTube que vai mostrar a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto pelo interesse público? Clique aqui]

14 comentários

  1. Não aguarde mudanças por estes lados Nassif, o provável é piorar já que a cada dia o tal mundo cor-de-rosa não se mostre visível e real. O que estes tem, já é doença que os incapacita para enxergar a realidade. Alguns chamam de esquizofrenia social. A pesquisadora/doutora em Psicologia Social Elza Pádua relata que a esquizofrenia social surge justamente nas classes de maior poder aquisitivo e contamina a sociedade toda e faz parte de discurso que divide e fragmenta a sociedade, o que favorece com que haja desrespeito pelo outro.

    http://www.ihu.unisinos.br/entrevistas/7781-esquizofrenia-social-loucura-que-assola-a-humanidade-entrevista-especial-com-elza-padua

    https://oglobo.globo.com/rio/sociedade-sofre-influencia-do-que-chama-de-esquizofrenia-social-diz-sociologa-11550781

  2. As únicas pessoas que ainda acreditam no governo Bolsonaro são os oportunistas, que estão ganhando com a balbúrdia criada, e os ignorantes. Qual dos dois será o Barroso ?

    • Um oportunista vaidoso, ignorante e mal intencionado. A combinação perfeita para um homem bomba de fezes…

  3. Certa vez ouvi de um professor de 2o. grau, já em fim de carreira (vitoriosa e magnífica), que sua maior alegria era ver, anos após anos, ser superado por seus ex-alunos. E a maior tristeza quando via alguns que ficavam para trás, momento que julgava não ter feito um bom trabalho. Também está explícito, mas qualquer coisa me diz que se o professor Barroso lesse este comentário não entenderia a explicitude.

    17
  4. Pobre da nação cujos cargos de alto poder são ocupados por pessoas que não possuem nenhum caráter e nenhuma moral.

  5. O ministro Barroso precisa dar umas voltinhas nas periferias das grandes cidades. O mundo cor de rosa que ele vai ver é: esgoto a céu aberto, mendicância, PA lotados, mortes para todos os lados, insegurança, transporte precário etc. Ministro, a vaidade cega. A nossa realidade é outra, diferente dos palácios que VExcia frequenta. Bota os pés no chão. Calce as sandálias da humildade e aí, poderás mudar o mar de misérias em mar de rosas.

  6. Maria Luiza, tenho opinião mais abrangente sobre o Ministro Barroso, mas com certeza ele não é ignorante. Oportunista sim. Sua característica de oportunista é parte de um perfil mais amplo e indesejável.

  7. Fala-se de tudo com ênfase desproporcional, pois se trata do discurso politico em que o confronto ideológico e político partidário é que importa. Pouco se destaca politicamente sobre o maior mal que impede o nosso desenvolvimento social.Estamos falando de corrupção, senão façamos um cálculo de quanto o país perdeu nestes últimos 50 anos.Fica muito acima do que foi foi investido em saúde e educação no mesmo período.Não há como mensurar tal rombo, mas o desconfiômetro da sociedade é praticamente infalível.

    • Não há como mensurar a corrupção? Mediram com muita precisão, números enormes, a corrupção dos petistas. A dos demais, ninguém mediu nem quer medir. Corrupção continua aí, com outra forma, um pouco mais aqui, menos ali. E, se não há como mensurar, como saber se é maior ou menor que o investimento em saúde ou educação.
      O que é urgente é que forças protagonistas do país afastem esse projeto nefasto e nocivo do país. É necessário que forças democráticas unam esforços em torno de um acordo nacional para afastar essa coisa que assumiu o poder executivo.

  8. Para o Jose Adailton e querendo contribuir para a sua.linha de raciocinio: a corrupcao nao e o maior.mal.porque passa o pais. E um de seus grandes males apenas. A corrupcao e um fenomeno humano, que existe em todas as sociedades e que tem que ser combatida pelas suas instituicoes e , sobretudo, pela propria sociedade. O grande mal que assola o pais e nao investir macicamente em educacao como a unica forma eficaz de combate a corrupcao. Crer que instituicoes policiais/judiciais tem essa capacidade e permiti-las ir alem das suas competenciaa em nome desse combate e.ingenuidade ou ma fe. Nao da pra falar em combate a corrupcao e falar tambem em fim do FNDE, future-se etc..Nao nos tornamos melhores apenas por acreditar que a corrupcao e.um horror. Tornamo-nos melhores quando lutamos.por uma sociedade em que todos tenhamos acesso a educacao para que protagonizem esse combate diuturnamente. Fora disso e pura balela, retorica besta e inocua.

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome