Apenas 11 países do mundo estão sem conflitos

Jornal GGN – Dos 162 países cobertos pelo Institute for Economics and Peace’s (IEP’s), em apenas 11 não há registros de nenhum tipo de conflito. O resultado está no documento 2014 Global Peace Index, estudo conduzido pelo IEP. De acordo com especialistas, o fato gera a sensação de que o planeta inteiro está em guerra.

Paz mundial? Estes são os únicos 11 países do mundo que são realmente livre de conflitos

A crise em Gaza, a ascensão de militantes islâmicos no Iraque e na Síria e a situação dos conflitos em curso na Ucrânia, nos fazem sentir que o mundo inteiro está em guerra.

Iraq crisis

A ascensão do Isis no Iraque levou a muita agitação, violência e o deslocamento de milhares de pessoas da minoria Yazidi | REUTERS

Especialistas acreditam que este seja quase universalmente o caso – de acordo com um think-tank que produz uma das análises mais importantes de ‘paz global’ – e as coisas só vão piorar.

Pode ser uma leitura sombria, mas, dos 162 países cobertos pelo Institute for Economics and Peace’s (IEP’s), apenas 11 não estavam envolvidos em nenhum conflito, de acordo com o mais recente estudo do IEP.

República Democrática do Congo

As guerras civis na República Democrática do Congo têm mantido o país como um dos lugares mais conflituosos do mundo

Pior ainda, o mundo, como um todo, foi ficando, progressivamente, menos pacífico a cada ano desde 2007, contrariando nitidamente uma tendência que mantinha um movimento mundial à distância dos conflitos desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

Leia também:  A filosofia diplomática pária-religiosa de Ernesto Araújo

O Reino Unido, por exemplo, é relativamente livre de conflito interno, tornando-se fácil considerá-lo como um estado de paz. Mas o seu envolvimento recente em combates no Afeganistão e o elevado estado de militarização, colocam a  Grã-Bretanha, na verdade, em uma classificação ruim no 2014 Global Peace Index, situando-se próxima de 47 pontos.

Paquistão

A corrupção política e a instabilidade têm perseguido o Paquistão, nos conflitos com a Índia sobre a disputada região da Caxemira.

Por outro lado, existem países que não estão envolvidos em nenhuma guerra no exterior, envolvendo mortes – como a Coreia do Norte -, mas que estão envolvidos em conflitos internos divisivos e arraigados.

As conclusões do IEP mostram que as escolhas são poucas, se alguém quiser viver em um país completamente pacífico. Os únicos a alcançar a pontuação mais baixa em todas as formas de conflito foram: Suíça, Japão, Catar, Ilhas Maurícias, Uruguai, Chile, Botswana, Costa Rica, Vietnã, Panamá e Brasil.

The Global Peace Index chart for internal conflicts, showing the countries defined as having 'no conflict' in dark green (IEP)

O gráfico de conflitos internos do Global Peace Index, mostra os países sem ‘nenhum conflito’ em verde escuro (IEP)

E, mesmo que os países não sejam totalmente isentos de outros problemas, o IEP diz que eles poderiam ser os últimos a entrar em conflito.

No Brasil e na Costa Rica, por exemplo, o nível de conflito interno pode ser o menor possível, mas o acesso a armas de pequeno porte e a probabilidade de manifestações violentas são preocupantemente elevadas.

A Suíça é, destacadamente, famosa quando se trata de envolvimento em conflitos externos e tem um risco muito baixo de problemas internos, de qualquer tipo, mas perde um número elevado de pontos no índice geral, devido à sua enorme taxa de exportações de 100.000 armas por pessoa.

Leia também:  TV GGN 20hs: o advogado de Marcelo Bretas que vendia facilidades

O IEP diz que, para atingir o nível mais baixo em todos os seus indicadores de conflito, o país não deve ser sido envolvido em qualquer ‘incompatibilidade impugnada, que diz respeito a governo e / ou território, onde o uso da força armada entre as duas partes, das quais pelo menos uma é o governo de um estado, resulta em pelo menos 25 mortes em combate relacionadas em um ano’.

Mais difícil ainda, os analistas do Economist Intelligence Unit devem ser convencidos de que o país não tem ‘nenhum conflito’ dentro das suas fronteiras. Esta classificação, em termos de agitação civil, não pode até mesmo incluir conflito ‘latente’, envolvendo ‘diferenças de posição sobre os valores definidos de importância nacional’.

Number of countries involved in external conflicts (defined by which have led to more than 25 deaths). The 'green' countries are the most peaceful (IEP)

Os países ‘verdes’ são os mais pacíficos (IEP) e os demais foram envolvidos em conflitos externos que levaram a mais de 25 mortes.

O Global Peace Index mediu os últimos dados até o final do ano anterior, o que significa que o estado de conflito internacional agora é realmente pior do que o estudo sugere. Como os protestos sobre a Copa do Mundo ainda estão vivos na memória coletiva, por exemplo, o Brasil poderia ficar fora da lista de países pacíficos até 2015.

Em declarações ao The Independent, a diretora do IEP, Camilla Schippaa alertou que o estado de paz do nosso tempo tem sido ‘lento mas constante diminuido’ nos últimos anos.

Coréia do Norte

A Coréia do Norte é uma das nações mais conflituosas do mundo devido a problemas internos

Leia também:  Brasil tem 4ºdia de alta de casos da COVID-19. Confira o TV GGN 20h, com Luis Nassif

‘Os grandes choques econômicos e geopolíticos, como a crise financeira global e a Primavera Árabe, deixaram mais países em risco de cair em conflito. No ano passado vimos um grande aumento na atividade terrorista, o ressurgimento do conflito na Faixa de Gaza e nenhuma solução para a crise na Síria e no Iraque’, disse Ms Schippa.

Nigéria

Desde 2002, o movimento militante islâmico Boko Haram, numa tentativa de estabelecer a lei islâmica e abolir o governo secular, tem causado muita violência na Nigéria

‘Fora do Oriente Médio, a agitação civil na Ucrânia se transformou em rebelião armada e houve aumento da violência no Sudão do Sul e na República Democrática do Congo’, acrescentou Ms Schippa.

‘A continuidade da agitação global significa que é improvável ocorrer uma inversão desta tendência no curto prazo.’

Para explorar a 2014 Global Peace Index, na íntegra, visite o site do IEP aqui.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

27 comentários

  1. PROJETO: AS MÃES DA PAZ DA ONU
    ONU: DireçãoAssunto: sugestão para paz na terra santaAS MÃES DA PAZ DA ONU Prezados senhores (as) na terra santa deveria ser criado um grupo especial as Mães da Paz de Israel e da Palestina, com um missão um pedido de paz, para os seus filhos e maridos, quem sabe com essa apelo de paz, não se tenha um sucesso maior, pois um pedido de mãe é especial. A ONU poderia apoiar esse grupo.  

    • ONU = FRAUDE

      O Conselho de Segurança da ONU é integrado por 5 países-membros permanentes que são os maiores traficantes de armas do mundo.

      Um drone Heron (Machatz-1) da Israel Aerospace Industries (IAI) no Singapore Airshow,  em 14/02/2012 | Reuters

      Lí, durante a fase tumultuada pelos conflitos pré-Copa no Brasil, informações externas sobre a possibilidade do Mossad – o serviço secreto israelense – estar envolvido nas manifestações e nos tumultos que estavam desetabilizando o nosso país.

      Todos conhecem o vergonhoso caso de espionagem no nosso solo, envolvendo o roubo de documentos sigilosos dos computadorees da desleixada Petrobrás em 2008?

      Eles continham informações para desaguar no caso Pasadena?

      Quem roubou os documentos?

      Foi o Mossad ou a CIA?

      Ambos?

  2. Bem na foto

    Aparentemente o Brasil está bem na foto, muito mais para conflitos externos que para conflitos intermnos, como disse a reportagem, que chamou de “preocupante” o teor “violento” das manifestações e o acesso a ” pequenas armas” por parte da população. Ainda assim, é interessante dar uma olhada no mapa mundial com este desenho, que dá uma idéia razoável do “eterno conflito”. Quase que chegamos à conclusão de que paz nunca houve.

  3. O Comércio de Armas no Mundo

     

     

    Maiores Exportadores de Armas do Mundo

     

    1. USA2. Russia3. Germany4. China5. France6. United Kingdom7. Spain8. Ukraine9. Italy10. Israel11. Sweden12. Netherlands13. South Korea14. Switzerland15. Canada16. Belarus17. Norway18. South Africa19. Uzbekistan20. Australia

     

    Maiores Importadores de Armas do Mundo

     

    1. India2. China3. Pakistan4. United Arab Emirates5. Saudi Arabia6. USA7. Australia8. South Korea9. Singapore10. Algeria11. Turkey12. Morocco13. Vietnam14. Venezuela15. Egypt16. United Kingdom17. Iraq18. Afghanistan19. Azerbaijan20. Malaysia

     

     

    Os cinco maiores exportadores de armamento pesado convencional em 2004-2008 e 2009-2013 e os Estados importadores 2009-2013

     

     

    Os importadores de armamento pesado convencional, por região, em 2004-2008 e 2009-2013. 

     

     

    Os 10 maiores exportadores de armas em 2009-2013 e a evolução do mercado desde 2004-2008

     

     

    As principais tendência em transferências internacionais de armas desde 1950 até 2013. 

  4. SKYLARK

    Veículo aéreo não tripulado usado pelas Forças de Defesa de Israel

    “Foi fenomenal… foi um ativo real”, disse o General Brigadeiro Roy Riftin, oficial chefe de artilharia das Forças de Defesa de Israel.

    O Skylark II é um veículo aéreo não tripulados (UAV) de curto alcance tático, concebidos principalmente para as forças de defesa israelenses, canadenses e coreanas,  para realizar operações de inteligência e vigilância para direcionar as ações de aquisição de dados e reconhecimento do terreno hostil.

     O UAV, projetado e fabricado pela Elbit Systems, foi revelado pela primeira vez em 2006 e é derivado do I. Skylark.

    O UAV é principalmente utilizado para condições pioradas de tempo para o reconhecimento, a coleta de dados e amarcação de alvos para missões militares.

    “Enquanto o mini-UAV Skylark está operacional aqui desde 2008, Protetor de Borda marcou a primeira vez que foi usado em quantidades para apoio a ritmo acelerado das forças de terra. Esta foi a primeira vez que implantado de forma genérica”, disse Riftin, sobre o sistema operado pelo Corpo de Artilharia, conhecido aqui como SkyRider.

    “Cada brigada – até mesmo as reservas – tem pelo menos dois veículos aéreos que voam sem parar; ao mesmo tempo “, disse ele.

    Em uma entrevista 12 de agosto, em uma base no sul de Israel, Riftin disse que cerca de 18 sistemas Riftin voaram centenas de horas, gerando dados de aquisição de alvo de inteligência e de fluxo contínuo para a miríade de atiradores no terreno.

    http://www.defensenews.com/article/20140812/DEFREG04/308120026/Israeli-F

    http://www.army-technology.com/projects/skylark-ii/

  5. clausewitzianas

    E mesmo onde não há conflitos explícitos, devemos nos lembrar do que já dizia o velho Karl (que não deve ser confundido com aquele outro Karl barbudo, também alemão): “A guerra nada mais é que a continuação da política por outros meios.”

    Questão para discussão algo bizantina,  mas com certo sabor acadêmico: de certo modo e guardando as devidas proporções, inté a arenga enfadonha entre a presidenta Lula, o sobrinho do Tancredo e Marina, a Amazônica, seria tipo assim e por assim dizer, uma suave guerra civil.

  6. O Poderio Bélico Israelense

    O governo israelense ordenou a ofensiva terrestre na Faixa de Gaza para destruir os túneis utilizados para atividades terroristas em Israel, no mesmo dia que o mundo ficou estarrecido com a queda do avião MH17, da Malaysia Airlines, que foi atingido por um míssil SAM supostamente disparado por militantes separatistas pró-Rússia.

    Caterpillar D9

    A Caterpillar D9 é uma escavadeira blindada construída para atuar em terreno de batalha. Entre suas utilidades está a terraplanagem, demolição de construções e detonação de explosivos. Ela é responsável por abrir caminho para veículos de combate mais pesados.

    A Caterpillar não cria veículos militares; as alterações são obra do próprio exército israelense, que encontrou na D9 uma excelente “arma” para auxiliar durante as batalhas.

    Tanque M109 A5

    O M109 é um tanque de guerra desenvolvido nos Estados Unidos. Esse tanque é um veículo já bastante conhecido, sendo utilizado por muitos exércitos diferentes de todo o mundo, inclusive o Brasil. O M109 carrega seis tripulantes: 2 carregadores, atirador, assistente de atirador, comandante e motorista.

    O canhão principal do M109 é um Howitzer de 155 mm, e uma das armas secundárias é uma metralhadora M2 calibre 50 mm. Além disso ele também possui lançador de granadas e uma metralhadora M240.

    Blindados não tripulados Guardium

    O Guardium é um veículo terrestre blindado não tripulado utilizado para missões de reconhecimento, principalmente em regiões de fronteiras. O objetivo é garantir a segurança de soldados em áreas consideradas de risco.

    O Guardium possui uma série de câmeras e sensores de diversos tipos. Apesar de não ser um veículo de ataque, o Guardium pode utilizar um pequeno arsenal para combater ataques hostis.

    Tanque Merkava MK4

    O Tanque Merkava MK4 é um dos principais veículos de guerra do Exército de Israel. O modelo foi criado em Israel para se adaptar às condições locais. Entre as principais características do tanque está a garantia de máxima sobrevivência da guarnição, poder de fogo e mobilidade. A blindagem resiste contra explosivos incendiários.

    O armamento principal é um canhão de 120 mm, mas ele também pode lançar morteiros e possui três metralhadoras secundárias, sendo duas de 7,62 mm e uma de 12,7 mm. O Merkava pode atingir até 65 km/h na estrada e 55 km/h em terreno irregular. Isso graças a um motor a diesel de 1500 cavalos de potência.

    Sistema Múltiplo de Lançamento de Foguetes M270

    O M270 é um lançador de foguetes completo. Ele pode lançar mísseis em direção a alvos distantes até 300 km a uma altitude de 50 km. Após disparar os mísseis balísticos ele pode rapidamente mudar de posição para evitar contra-ataques.

    O M270 pode disparar até 12 mísseis em apenas 40 segundos ou até 2 mísseis em apenas 10 segundos. Apesar de sua produção ter sido encerrada em 2003, os veículos continuam em atividade em diversos locais do mundo, incluindo Israel.

    Corveta Sa’ar 5

    O Sa’ar 5 é uma classe de corvetas de combate israelenses. Foram construídas por uma das maiores construtoras de navios dos Estados Unidos, com base em projetos israelenses. Ao todo foram produzidos três corvetas que possuem sonar, torpedos, lançadores de mísseis e até mesmo um heliporto e um hangar para helicóptero.

    O navio possui 85 metros de comprimento e pesa 1.227 toneladas quando está completamente carregado. Possui um sistema de propulsão híbrido que funciona com diesel ou gás.

    Submarinos Dolphin

    Esses submarinos possuem propulsão híbrida diesel-elétrica e medem cerca de 57 metros de comprimento.

    Ao todo ele é capaz de carregar 6 torpedos de 533 mm e 4 torpedos de 650 mm. Quando está submerso, um submarino Dolphin pode pesar até 1.900 toneladas.

    Helicóptero AH-64 Apache

    O Apache é um dos helicópteros militares mais mortais do mundo. Desenvolvido nos Estados Unidos em 1975, ele já esteve presente em diversos ambientes hostis com elevadas taxas de sucesso. O Apache é excepcionalmente eficiente na destruição de veículos blindados e tanques.

    A aeronave possui sensores e sistemas de visão noturna para facilitar a identificação de alvos em praticamente qualquer situação. Os armamentos do Apache consistem em mísseis do tipo Hydra 70 e metralhadoras M230 de 30 mm.

    Hermes 900 [ aeronave não tripulada ]

    O Hermes 900 é uma aeronave israelense não tripulada desenvolvida para missões táticas de média altitude e de grande duração. Ele possui energia para voar por até 30 horas a uma altitude de cerca de 10 mil metros.

    O Hermes é pequeno: ele mede cerca de 8,3 metros de comprimento e pesa pouco mais de uma tonelada, podendo carregar até 300 kg. Ele também possui sistemas autônomos de pouso e decolagem. Essa aeronave não é exclusividade de Israel: o Brasil é um dos países que operam com o Hermes 900.

    Eitan [ aeronave não tripulada ]

    O Eitan é um avião não tripulado desenvolvido para missões de reconhecimento. Ele pode voar mais alto que aeronaves comerciais e possui sistemas de pouso e decolagem completamente automáticos. O Eitan também carrega um triplo sistema de redundância para garantir a segurança dos voos.

    O avião pesa cerca de 2 toneladas e mede 13 metros de comprimento. Ele possui energia para voar em uma altitude de quase 14 mil metros por até 70 horas a uma velocidade máxima de 370 km/h.

    Mísseis Arrow

    Os mísseis Arrow são um projeto de parceria de Israel com os Estados Unidos.

    Eles pertencem a uma família de mísseis antibalísticos, ou seja, um sistema de defesa desenvolvido para interceptar outros tipos de foguetes. Possui um alcance médio de 90 a 148 km e possui precisão de 4 metros.

    A região já foi palco de muitos conflitos, por isso o exército de Israel investe muito em tecnologia militar. O orçamento do exército é de US$ 57,7 bilhões, ou seja, cerca de 6,9% do PIB do país (dados de 2011). Ao todo, Israel conta com 176.500 militares na ativa e tem mais 445.000 na reserva.

    O ataque israelense promete “atingir significativamente as infraestruturas terroristas do Hamas e dar segurança aos cidadãos de Israel”, de acordo com o comunicado d gabinete do primeiro ministro Benjamin Netanyahu.

    Tecmundo

    • agosto

      “o território livre do meu lar doce lar”

      Pompeu, não quero ser boca de sapo, mas foi justo no mês de agosto que começou o monumental arranca-rabo da Primeira Guerra Mundial – após um longo interlúdio de paz e prosperiadade…

      Vai que…

      • agosto e “a guerra engraçada” dos franceses

        agosto

        agincourt

        na verdade, já não se fazem mais “guerras engraçadas” como antigamente…

        No livro São Luís – Biografia, de Jacques Le Goff, para explicar uma referência do livro a respeito de uma “drôle de croisade” (cruzada engraçada) comandada pelo imperador Frederico II (1194-1250), em 1228… o tradutor criterioso da obra, Marcos de Castro, explica, nas notas de rodapé, a referência do autor Le Goff à chamada “drôle de croisade” do imperador Frederico II, em 1228:

        “”Cruzada engraçada.” O autor faz referência implícita ao apelido pelo qual ficou conhecido o primeiro ano da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), la drôle de guerre, “a guerra engraçada”, por causa da calma que reinava na frente de batalha. A rigor, trata-se dos primeiros 10 meses a partir da declaração de guerra da França e da Inglaterra contra a Alemanha, a 3 de setembro de 1939. Só no início de julho de 1940, quando os alemães atravessaram a Linha Maginot (pela Bélgica), começaram de fato os combates. Até então Paris e toda a França levavam uma vida em tudo e por tudo normal, mas, como havia uma guerra oficialmente declarada, os franceses a chamavam la drôle de guerre. (N. do T.)”.

         

    • Lógica de Mercado

      Os conflitos étnicos, religiosos, geopolíticos, etc, são maximizados/tensionados para levar aos confrontos diretos que são abastecidos pelos fornecedores de armas.

      O Brasil também dá a sua ‘mãozinha’

      A Embraer e a Helibras, que se especializaram na fabricação de aeronaves de ataque leve e helicópteros, são líderes mundiais em produção de armamento de defesa. Essas empresas se especializaram  na criação de sistemas de defesa de qualidade superior personalizada, e são uma referência popularizada nos países em desenvolvimento, por fornecer uma alternativa acessível para caças avançados.

      http://apublica.org/2012/03/brazil-arms-exports-country-preaches-peace-sells-tons-arms/

      http://defense-update.com/20130407_brazils-defense-industry-market-report-2012-2017.html#.U–kIsWsGpA

      http://www.sldinfo.com/wp-content/uploads/2012/07/The_Australian_Defense_Industry_-_Market_Opportunities_and_Entry_Strategies_Analyses_and_Forecasts_to_2017.pdf

  7. Copa e Olimpíadas

    Israel tentou incrementar a venda de armas para o Brasil

    Comércio de armas de Israel para outros países pode atingir valores da ordem de 7,5 bilhões de dólares

    Aviation Week & Space Technology | Alon Ben David  | 05/08/2013

    Na competição no mercado no mercado internacional, Israel está entre os maiores exportadores de armas do mundo.

    Em 2012, as exportações israelitas chegaram a um recorde de 7,47 bilhões de dólares, tornando-se o sexto maior exportador mundial de armas. O aumento de 30% nas vendas globais de armas, em comparação com níveis 2011, coloca  e Israel atrás dos EUA, Reino Unido, Rússia, China e Alemanha e à frente da França e da Itália.

    “Eu não iria especular sobre nossa posição exata”, disse Shmaya Avieli, chefe das exportações da agência de defesa de Israel Sibat “, mas eu poderia dizer com segurança que estamos bem entre os 10 maiores exportadores.”

    Os números representam o total de contratos do Ministério de Defesa assinado em 2012 por todas as empresas de defesa e de segurança israelenses.

    Os países da Ásia continuam a ser líderes do mercado consumidor das indústrias de defesa israelenses ‘com 50% das vendas, ou US $ 3,7 bilhões, concentrados lá’. A Índia é o principal cliente. As vendas para a Europa aumentaram drasticamente, para US $ 1,6 bilhões, como resultado de um contrato de 1,0 bilhão de dólares assinado com a Itália. No retorno para a aquisição avançado jato treinamento da israelense  Aermacchi M-346 , a Itália comprometeu-se a comprar dois Israel Aerospace Industries (IAI), sistemas eletrônicos especiais Gulfstream G550 de Aeronaves (SEMA) para missões, bem como satélite de reconhecimento óptico da IAI. No início de 2012, a Alemanha também assinou um contrato para compra de mísseis antitanques adicionais Rafael Spike, num total de várias centenas de milhões de dólares.

    A tecnologia de mísseis e sistemas de defesa aéreos representam 25% das vendas de Israel.  O sistema de míssil de defesa aérea e naval Barak-8, da IAI, continua a gerar receitas através de um contrato em curso de 1,4 bilhões de dólares com a Índia. Israel se recusou a confirmar relatos de que o míssil naval de longo alcance também foi vendido para o Azerbaijão, em um contrato estimado em 800 a 900 milhões.

    Surpreendentemente, o sistema de contrafoguete Iron Dome de Israel, que marcou resultados notáveis ​​nos últimos conflitos entre Israel e Gaza, ainda não traduzido o sucesso em combate em venda para a Coreia do Sul e a Índia –  nenhum país escolheu o sistema -, embora a Coreia do Sul tenha adquirido o  radar multimissão Iron Dome (MMR) para a detecção de foguetes e de advertência. O sistema Iron Dome teria sido vendido para Singapura, mas Israel mantém um véu de segredo sobre todos os contratos de defesa com a cidade-estado asiática.

    O terceiro maior mercado para Israel são os EUA e o Canadá, com 1,19 bilhões de dólares de vendas em 2012. As tentativas de dezenas de empresas israelenses para fechar contratos significativos, envolvendo a segurança no Brasil, antes da próxima Copa do Mundo e  das Olimpíadas, alcançaram pouco sucesso. As vendas totais para a América Latina totalizaram 604 milhões de dólares.

    A área em que Israel é considerado um pioneiro, é da tecnologia-UAV, que  constitui apenas 3% do total das exportações de defesa do país. No entanto, diz o General Brigadeiro Eitan Eshel, chefe de Pesquisa e Desenvolvimento do Ministério da Defesa: “ainda estamos perdendo apenas para os EUA nesse campo.”

    Com o mercado de defesa local demasiado pequeno para sustentar as suas indústrias ou manter a custos razoáveis ​​para os seus produtos, a indústria israelense vende 75% de sua produção para o exterior. Israel está endurecendo o monitoramento de licenças de exportação, mas o Ministério da Defesa está constantemente se esforçando para desclassificar o controle interno de tecnologias para permitir a redução de custos de exportação para a Força de Defesa de Israel. O Ministério da Defesa também tem 22 missões atuando, em todo o mundo, para promover as indústrias israelenses.

    “Fomos capazes de aumentar as vendas em 2012, apesar da recessão global”, disse Avieli. “Em meados de 2013 atingiremos quse US $ 4 bilhões em vendas, então eu espero que nós poderíamos repetir o feito este ano, se não até mesmo aumentá-lo.”

    http://aviationweek.com/awin/israel-among-leading-arms-exporters-2012

  8. Morre 50 mil assassinados por

    Morre 50 mil assassinados por ano no país e somos um país pacifico?

    Piada?

    Você corre mais risco de morrer assassinado em Maceio do que diversos países em “guerra”.

    Estamos na prátioca em guerra civil não declarada.

  9. Nós já temos a nossa guerra e

    Nós já temos a nossa guerra e nosso conflitos domésticos, não pricisamos de mais nenhum.

    Se for contabilizado do inicio do ano até o momento, somando tudo que as PMs e Policias Cívis mataram de gente, negros, pobres, dever ser um numéro superior que a guerra dos primos.

    • Quantos policiais foram

      Quantos policiais foram mortos este ano?

      Tenta achar este dado, possivelmente será o policial negro e pobre (não sei se tem policial honesto rico).

      Negros foram mortos por outros negros, pobres foram mortos por outros pobres seja ela bandido seja ele um pobrre policial.

      Usar falsa luta de classe é ativismo politico desonesto que esta pouco se lixando paras as vitimas da violência..

  10. Como esses dados são

    Como esses dados são alarmantes! Entre os 162 países cobertos pelo Institute for Economics and Peace’s (IEP’s) apenas 11 não possuem registros de conflitos! Os recentes conflitos que mais ganharam destaques foram entre os palestinos e os israelenses, que entraram em guerra pela conqusita do território Faixa de Gaza, que segundo a Bíblia, é uma terra sagrada concedida por Deus aos decendentes de Abraão, motivo pelo qual ambas as nações estão em guerra. Outro é a intervenção militar da Rússia em terras Ucranianas, que queriam capturar a Peninsula da Crimeia, região estratégica para a Rússia por fazer fronteira com alguns Mares. a etnia russa contra os abusos cometidos pelas autoridades Ucraniana. O Brasil, por ser um país que ‘ainda’ não se envolveu em conflitos, está indo bem, visto que os recentes acontecimentos trouxeram a tona a insatisfação popular frente às demandas governamentais. Então, logo logo o Brasil entrará na lista dos países que estão em conflitos. Independente do motivo, seja religioso (como no Israel X Palestinos) ou territoriais (Russia X Ucrânia), ou qualquer outro fator.

  11. Enquanto isso, na Ucrãnia…

    http://www.planobrazil.com/enquanto-isso-na-ucrania/

     

    Pravy Sektor ameaça marchar sobre Kiev
    Tradução e adaptação: César Antônio Ferreira (“Ilya Ehrenburg”) para Plano Brasil:

    Segundo informação divulgada pelo site [i]Voenkor.info[/i], o Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko recebeu um ultimato insultuoso do líder do Pravy Sektor, Dimitry Yarosh: Petro Poroshenko realiza um expurgo nas fileiras do Ministério do Interior, ou após

    Yarosh declarou em um comunicado dirigido ao Presidente Petro Poroshenko:
    “Hoje, junto com a agressão aberta da Rússia intensificou-se a contra-revolução interna. A sua avant-gard são forças revanchistas do Ministério do Interior, incluindo aqueles dos mais altos níveis. Grupos de bandidos da milícia dirigida pelos capangas separatista de Moscou, protegidos do Geral Evdokimov. Ele e seus capangas estão fazendo todo o possível para destruir as conquistas de nossa Revolução, e pavimentar o caminho para separatista e grupos terroristas em Kiev “.

    O líder do Pravy Sektor continua a denunciar o Governo da Ucrânia:

    “A partir da sacrifício de nosso irmão Alexander Muzychko,  e dos desenvolvimentos recentes em Striy, Dnipropetrovsk, Kiev e outras cidades, dá-se um jogo metódico nas mãos dos separatistas e ocupantes de Moscou da política. Cedendo a Crimeia, Donetsk e Lugansk, onde milhares desertaram para o inimigo, ao mesmo tempo, recebendo um salário do Estado, para a polícia cercar o rato lutando com combatentes na Ucrânia”’.

    O líder extremista acrescenta:

    “Neste sentido, apelamos ao Presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko, para restaurar imediatamente o Ministério do Interior, descartando representantes das odiosas forças anti-ucranianas dos presentes cargos no Ministério do Interior, e para lançar uma investigação sobre suas atividades criminosas”.

    Além de exigir um expurgo dentro das fileiras do Ministério do Interior, que é o órgão governamental que centraliza o esforço administrativo e político das chamadas Operações Anti – Terrostas, o líder extremista Dimitry Yarosh em de maneira insuspeita revela haver um mal estar entre as fileiras combatentes, mais precisamente entre as forças regulares e os voluntários extremistas, estes inclusos na Guarda Nacional da Ucrânia, pois exige ele no comunicado: “Também exigimos a libertação de todos os presos, encerramento de todos os processos penais contra os combatentes ucranianos Volunteer Corps e outras unidades de voluntários Pravy Sektor, e o retorno de todas as armas e veículos apreendidos ilegalmente na zona de guerra”.

    Por fim, o líder extremista afirma na sua mensagem de cunho ousado e insultuoso, totalmente imprópria para ser endereçada a um líder nacional:

    “Em caso de fracasso das nossas demandas no prazo de 48 horas, serrmod forçados a remover todas as nossas unidades de linha de frente, para declarar uma mobilização geral de batalhões de reserva e começar a caminhada para Kiev, com o objetivo de imprimir uma reforma rápida no Ministério do Interior. Coluna derivada “Sector Right” irá a todo vapor “.

    Pode-se perceber, portanto, que vai muito bem a guerra na Ucrânia: 120.000 homens em armas, com apoio de mercenários de países da OTAN, bem como de material bélico desta, que não consegue desbaratar uma força irregular e mal armada de 10.000 partisans, onde um líder político e militar acaba por afrontar o seu presidente de forma pública, anunciando que irá marchar sobre a Capital se a sua vontade não for… Satisfeita!

     

    Fonte: Voekor

    Kharkov vê surgir atividade Partisan

    Por César Antônio Ferreira (“Ilya Ehrenburg”)

    A área de Kharkov, até então tida como uma área de retaguarda, sem combates, onde inclusive existem instalações para produção e recuperação de Carros de Combate e outros tipos de veículos blindados, viu nascer nesta semana crescente atividade Partisan (guerrilheira). Sob a bandeira da denominada República Popular de Kharkov, células guerrilheiras, descaracterizadas, efetuam atos de sabotagem, captura de material e destruição.

    Neste presente momento, na cidade de Chuiguev, ardem milhares de toneladas de derivados de petróleo, e o ato se deu a partir de armas e explosivos capturados anteriormente pela célula guerrilheira, de um comboio militar ucraniano na data do dia 11.08.2014. Dentre os troféus obtidos se encontravam mísseis de fabricação norte-americana FGM-148 Javelin. Este fato joga por terra o discurso das nações pertencentes à OTAN, de que a ajuda enviada à Ucrânia possui caráter apenas defensivo e humanitário, ou seja, material logístico e médico, além de suprimentos.

    Uma narrativa pitoresca sobre as ações partisans na região de Kharkov versa sobre a abordagem a um caminhão ZIL-131, que transportava soldados da destroçada 24ª Brigada Motorizada. Ao se dar o assalto, os soldados não feridos de imediato pelas rajadas saltaram todos no ar e debandaram em todas as direções, ficando no local apenas três militares, que foram prontamente rendidos. Enquanto os partisans recolhiam as armas, munições e material de interesse, os soldados rendidos repetiam sem parar que “que decidiram não lutar contra o povo” e que esperavam uma oportunidade para “se juntar à resistência”.

    Nem tudo, entretanto, é motivo de riso: mercenários poloneses foram mortos quando se deslocavam no través de Izium. O comboio militar ligeiro era composto por dois veículos blindados leves de reconhecimento e um canhão autopropulsado sobre rodas “DANA”.  A presença do [i]Howitzer, Sel-Propelled[/i] é interessante pelo fato de ser uma arma que faz uso de munição 155mm, que não é usual nas armas ucranianas, que fazem uso de obus calibre 152mm. A força partisan eliminou seis dos mercenários da empresa ASBS Othago (Analizy Sistema Bartlomiej Sienkiewicz), criada pelo  atual ministro de assuntos internos da Polônia, Bartlomiej Sienkiewicz. Esta emboscada se deu no dia 14.08.2014, e foi obra dos partisans da República Popular de Kharkov e resultou na destruição do Howitzer, de um dos VBLR, com a morte de seis mercenários, e outro capturado. Um dos VBLR conseguiu empreender a fuga.

    Forças federalistas abatem outro MiG-29

    Por César Antônio Ferreira (“Ilya Ehrenburg”)

    Em anúncio insuspeito, visto ter sido realizado por um porta-voz das armas ucranianas à AFP – Agence France Press, o mundo soube de mais um sucesso dos insurgentes federalistas: a derrubada de mais uma aeronave de alto desempenho, no caso, um MiG-29, da Força Aérea da Ucrânia.

    O evento deu-se próximo à cidade de Lugansk, que fica no leste da Ucrânia, no amanhecer deste dia 17.08.2014, cidade que se encontra sob severo ataque das tropas governamentais e por isto, bombardeada dia e noite por ações de artilharia, bem como pelas  incursões de caça-bombardeiros da Força Aérea Ucraniana. A cidade de Lugansk é a destinatária da ajuda humanitária enviada da Rússia para minorar a situação de desastre humanitário ao qual é submetida pelas tropas de Kiev.

    Sobre o abate do caça MiG-29, declarou o porta-voz Leonid Matiujin:

    “Um MiG-29 foi abatido por terroristas no domingo depois de realizar bem a sua tarefa e liquidar um grupo separatista”.

    Sobre o estado do piloto, acrescentou:

    “O piloto foi ejetado. Após uma operação de busca, ele foi encontrado e agora está em um lugar seguro”.

    A perda da aeronave, dada a missão, de ataque, parece indicar que se deu em baixa altura, o que é compatível com os meios antiaéreos usualmente em poder dos insurgentes federalistas, que são os MANPADS e os canhões de tiro rápido da série ZU-2 (23mmm). Este é o segundo MiG-29 abatido em combate no conflito do leste ucraniano, o anterior havia sido abatido próximo a Donetsk no dia 08.08.2014

     

  12. Faltou o Brasil

    Esqueceram de nós, 57.000 assassinatos por ano, isto não pode ser chamado de Guerra ??? tá pior do que muitos conflitos estre países, estamos literalmente na ROÇA.

  13. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome