Itamaraty confirma morte de brasileiro na guerra na Ucrânia

Ana Gabriela Sales
Repórter do GGN há 8 anos. Graduada em Jornalismo pela Universidade de Santo Amaro. Especializada em produção de conteúdo para as redes sociais.
[email protected]

De acordo com a família, o homem morreu no sábado (4), em meio a um combate. Ele atuava na Legião Internacional de Defesa Territorial da Ucrânia.

Foto: Arquivo pessoal

O Ministério das Relações Exteriores confirmou, nesta quinta-feira (9), a morte do brasileiro André Luis Hack Bahi, de 44 anos, que estava na guerra na Ucrânia.

O Itamaraty informou que Hack morreu “em decorrência do conflito naquele país e mantém contato com familiares para prestar-lhes toda a assistência cabível, em conformidade com os tratados internacionais vigentes e com a legislação local”.

“Democracia é coisa frágil. Defendê-la requer um jornalismo corajoso e contundente. Junte-se a nós: www.catarse.me/jornalggn “

De acordo com a família, o homem morreu no sábado (4), em meio a um combate. Ele atuava na Legião Internacional de Defesa Territorial da Ucrânia.

Hack, que é pai de sete filhos, foi para a Europa em fevereiro, após passar por Portugal e França. No Brasil ele serviu no Exército por um ano e trabalhou como socorrista em Porto Alegre e Quixadá. Ele também participou de uma missão militar na Costa do Marfim.

Leia também:

Guerra na Ucrânia: A mudança de tom da mídia ocidental

Rússia diz controlar totalmente cidade estratégica do leste ucraniano

Neonazistas do bem na Ucrânia, por Guilherme Scalzilli

Ana Gabriela Sales

Repórter do GGN há 8 anos. Graduada em Jornalismo pela Universidade de Santo Amaro. Especializada em produção de conteúdo para as redes sociais.

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Poderia estar trabalhando para dar de comer aos sete filhos, mas a ideologia fascista tomou conta de sua pobre cabeça, a ideologia de direita, o liberalismo do “quem pode mais chora menos”. Fim inglório.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador