Macron afirma que incêndio na Amazônia é “crise internacional” e pede que tema entre na agenda do G7

Presidente da França colocou o assunto no centro da agenda da reunião do grupo das economias mais influentes no mundo, que acontece neste final de semana

Macron e Bolsonaro em evento do G20. Foto: POOL/AFP

Jornal GGN – “Nossa casa está queimando. A Amazônia, os pulmões que produzem 20% de nosso oxigênio, está queimando. Isso é uma crise internacional”, escreveu o presidente da França, Emmanuel Macron nas redes sociais.

“Membros do G-7, vamos discutir essa emergência de primeira ordem em dois dias”, completou.

Em poucas palavras o mandatário francês disse que o incêndio na Amazônia é uma “crise internacional”, enfrentou o governo Bolsonaro que, apesar de não garantir a preservação da floresta e de propor uma parceria com os Estados Unidos para explorar a região, insiste no mote da “Amazônia é nossa” e, por fim, propôs que o assunto seja inserido na agenda do G7.

O acordo entre a União Europeia e o Mercosul enfrenta oposição da France. O país exige que o Brasil garanta seus compromissos ambientais e não exporte produtos de áreas desmatadas para que o tratado entre os dois blocos seja assinado.

[O GGN prepara uma série no YouTube que vai mostrar a interferência dos EUA na Lava Jato. Quer apoiar o projeto pelo interesse público? Clique aqui]

Bolsonaro, por outro lado, tem feito pouco esforço em abrir diálogo com os franceses. No início do mês, o presidente do Brasil cancelou um encontro com o ministro das Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian, por motivos de agenda. Mas no momento em que deveria estar com o chefe da diplomacia de Paris, foi cortar o cabelo.

Le Drian respondeu à decisão de Bolsonaro de forma irônica. “Todo mundo conhece as restrições próprias das agendas dos chefes de Estado. Ao que parece, houve uma emergência capilar. Essa é uma preocupação estranha para mim”, disse se referindo a sua calvície.

A preocupação com os incêndios na Amazônia não é apenas de Paris. Antônio Guterres, secretário-geral da ONU, que costuma não se manifestar diante de temas polêmicos, usou também as redes sociais para pedir a proteção da floresta.

Leia também:  Na surdina, Bolsonaro assina decreto que cria máquina de vigilância de brasileiros

“Estou profundamente preocupado pelo fogo na floresta amazônica, fonte de oxigênio”, escreveu.

*Com informações do blog de Jamil Chade no UOL.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

11 comentários

  1. As Forças Armadas Brasileiras já haviam alertado para os Interesses Internacionais e as tentativas de eliminar a Soberania Brasileira sobre seu território. Delfim Neto havia alertado que existiam outros processos mais sutis e perigosos, que o uso de armas para interferência estrangeira dentro do Nosso território. ONG’s Internacionais apoiadas por Governos omissos, mostram que não era Teoria de Conspiração. Agora vem o Presidente de uma Nação estranha à Nossa, em quem não votamos, para falar sobre o nosso país. Acordemos. Já existiam territórios e áreas indígenas onde não permitiam nem a entrada das Forças Armadas Brasileiras.

    1
    10
    • Vai a Alcântara, no Maranhão, e tenta visitar a sua Base de lançamentos espaciais?

      Na hipótese do teu pai estar tentando assassinar a tua mãe, um vizinho, que logicamente não é o teu pai, não poderia interferir e evitar o assassinato, só porque não é o teu pai?

    • Uma das ações mais deletérias ao meio ambiente é a extração do gás de xisto feita nos EUA. Quanto a isso, os Europeus nada dizem.

  2. Aliás, a França, como país que faz parte da região amazonica, poderia convocar os demais paises amazonicos para uma reunião de emergencia para discutir o tema. Aí você se pergunta: França paíz que faz parte da região amazonica? Edivaldo surtou. Faz sim, eu mesmo não sabia. Só vim me informar quando vi o antigo presidente daquele país Nicolás Sarkozi numa reunião desses países e na reportagem a informação de que a guiana francesa é um território francês, portanto fazemos fronteira coma França e esse apís tem todo o direito de pressionar o Brasil para que detenha as queimadas que podem afetar o seu território ao norte do Brasil. Haviam ters guianas, a inglesa, a holandesa e francesa, duas se tornaram independentes mas a francesa continua. A frança paga a população a peso de ouro para que eles não se envolvam em luta pela independencia.

    1
    1
  3. Vamos tentar ver além desse jogo de cena!
    Todos eles – Bozo (apenas um fantoche, é claro), Trump, Macron, Merkel, Noruega (hipócrita, empresa sua causou desastre ambiental no Pará) e etc. – estão unidos sob um único propósito.
    Bozo – que nunca escondeu o seu desejo de submeter o Brasil ao interesse de estrangeiros (no que é apoiado por alguns generais para quem o nacionalismo não é prioridade) – montou o palco para a ação do imperialismo sobre a Amazônia.
    O capitalismo em crise quer depenar o Brasil.
    E o mais rápido possível.

    1
    2
  4. As Forças Armadas são co-responsáveis por essa maldição que se abate sobre o Brasil.
    O general Villas Boas não vai ameaçar pelo Twitter ? Claro que não… é cúmplice…

    10
  5. Bolsonaro colocou o Brasil a dois passos de um boicote mundial a tudo que venha de área ilegalmente desmatada ou retirada dos seus legítimos donos…

    torcendo aqui para que o G7 esfregue nas fuças de Bolsonaro que o fim de toda fúria destrutiva é morrer asfixiada pela queima criminosa das páginas da sua própria Constituição

  6. Ei Macron! Ajude o Brasil e o mundo, temos um presidente doido!Ajude o povo brasileiro! O débil mental ao invés de agir em defesa da Amazônia quer desqualificar sua fala em decorrência da foto divulgada! Obrigado por se preocupar com o Brasil e a humanidade! Não se importe com os surtos do doido!

  7. Vocês sabiam que para Kant a estupidez, a imbecilidade e a idiotia eram doenças mentais?

    Enfim, vamos la…
    A soberania da Amazônia não esta gravada na pedra sagrada. A soberania brasileira na Amazônia deve ser analisada no mesmo contexto geopolítico que tudo mais. Nao existem santos nesse jogo obviamente, mas é inegável, sob qualquer ponto de vista que a conservação da Amazônia é um assunto de interesse mundial, para o bem e para o mal. Também é inegável que a destruição dessa floresta representa um grave risco ao equilíbrio climático do planeta, e que o bioma da Amazônia é o maior repositório potencial de biotecnologia do mundo. Dito isto, qual é a melhor forma de assegurar a soberania sobre a regiao?
    Além de investir na infraestrutura de segurança, me parece claro que regular o uso dos recursos da região de forma responsável, negociando contrapartidas para econômicas para viabilizar o desenvolvimento do pais sem degradacao da floresta sao o caminho a seguir.

    Essa era de fato a estrategia que estava sendo seguida no Brasil, durante os governos do PT e que gerou resultados positivos.
    [ sidebar: Não obstante, todo vez que um peixinho morria, tinha-se uma enxurrada de videos de artistas Globais criticando a politica ambiental do governo.
    Me pergunto onde estariam esses “artistinhas eco-responsáveis” agora…]

    Um dos fenômenos que sempre me fascinaram na psichê nativa é o ufanismo brasileiro, que entendo como especie de cegueira seletiva, ou em certos casos mais agudos, dissonância cognitiva.
    Me refiro obviamente aos comentários de alguns leitores, que insistem em debater o acessório sem reconhecer, e criticar, o essencial.

    Bolsonaro, e seu governo de terra arrasada cultural e destruição institucional, oferece uma oportunidade histórica para todas as potencias que sempre ameaçaram a soberania brasileira na Amazônia. O negaciosismo de vocês não ajuda em nada! Se tem ONG com atividades pouco claras, regule-se as ONGs. O governo de vocês não passa um dia sem destruir ou atacar uma instituição. Esta financiando um movimento de destruição da floresta em um ritmo sem precedentes, promovendo todo tipo de negocio escuso na area, acobertando massacres, demitindo agentes de fiscalização que ousem divulgar a verdade, encorajando queimadas e disseminando desinformação.

    Essa conversa fiada sobre este ou aquele pais que destruiu as próprias florestas para se desenvolver e agora quer opinar aqui no Brasil… sinceramente, trata-se de uma coleção de besteiras. O fato é que hoje sabe-se muito mais sobre a dinâmica do clima do que sabia-se ha dois seculos. E desmatar a floresta não serve para nada, pois ela é mais valiosa como repositório de bioma do que como pasto para gado ou terra arável para soja. Não estamos mais na era revolução industrial das maquinas a vapor, tampouco na era dos barcos de madeira.

    O Brasil, entendo, seu povo, e principalmente suas elites, demonstram mais uma vez em que ponto estão na escala historica da evolucao cultural: baixa idade media!

    post scriptum: vai ter sanção economica, e talvez invasao e internacionalização da Amazonia sim. Vamos perder a floresta por sermos uma naçao de parvos jurassicos, “liderados” (sic) por um psicopata iletrado, burro, imbecil e idiota.

  8. “Não há passageiros na nave espacial Terra; somos todos tripulantes”. Marshall McLuhan

    O Macron, tanto quanto o Bolsonaro, eu e você, não é um passageiro da Nave Espacial Terra, é apenas mais um tripulante, enquanto a Amazônia, em chamas, se desfaz em cinzas, só que, ao contrário da Fênix, ela não ressurgirá das próprias cinzas, mas será desertificada.

  9. “Quando a última árvore tiver sido derrubada, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, vocês vão entender que não se come dinheiro”.

  10. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome