A importância do Mais Médicos para Cuba

Sugerido por Celso Orrico

o Físico Rogério Cerqueira Leite rebate as argumentações de Ives Granda Martins sobre a importância do Mais Médicos para Cuba e seu povo e o motivo do contrato de trabalho ser como é..
 
Da Folha
 
 
ROGÉRIO CEZAR DE CERQUEIRA LEITE
 
Um contrato como o que Cuba assinou com o Brasil serve para garantir a sobrevivência de centenas de milhares de indivíduos daquele país
 
O eminente jurista Ives Gandra acusa Cuba e o Brasil de serem responsáveis pela condição que classifica como de escravatura do contrato que rege o programa do governo federal Mais Médicos (“O neoescravagismo cubano”, 17/2).
 
Sua argumentação exclusivamente burocrática ignora as condições em que Cuba se encontra. Para entendermos a realidade daquele país, comecemos por uma analogia.
 
Quando um país é ameaçado, o seu governo atribui a um grupo de cidadãos, voluntária ou compulsoriamente, a missão de defendê-lo. Essa é uma prática universal.
 
Com frequência, os salários desses soldados são insignificantes. Não obstante, se qualquer um se recusar a servir seu país, será considerado um criminoso.
 
Há mais de 50 anos, os Estados Unidos impuseram drásticas sanções econômicas contra Cuba, resultando na extrema pobreza daquele povo. Sua principal fonte de renda de então, a indústria de açúcar, perdeu competitividade e hoje está em frangalhos.

 
Para sobreviver e assegurar insumos vitais, tais como remédios, certos alimentos, combustíveis etc., conta Cuba quase que exclusivamente com a exportação de tabaco (charutos), rum e, intermitentemente, dos serviços prestados pelos seus médicos no exterior.
 
Podemos imaginar o quanto de renúncia do povo de um país pobre como Cuba significa custear a formação desses médicos.
 
Um contrato como esse que Cuba assinou com o Brasil não serve apenas para reduzir a miséria das famílias dos participantes do programa Mais Médicos, mas antes de tudo serve para garantir a sobrevivência de centenas de milhares de indivíduos daquele país.
 
Pergunto àqueles que argumentarem que os recursos provenientes do programa Mais Médicos vão para o bolso dos “opressores”, baseados exclusivamente em hipóteses, sem evidências concretas, se sua atitude não poderia ser enquadrada naquilo que os juristas chamam de difamação.
 
Se meia dúzia de médicos cubanos oportunistas se valeu desse subterfúgio para se refastelar nas praias da rica Miami, às custas de um programa ignóbil da potência americana, não deveríamos enaltecê-la, mas deplorá-la, pois apenas 1 em 1.000 traiu o seu compromisso com o Brasil e com o seu povo.
 
Quantos na sua própria família e em seu país vão sofrer por causa da fuga de cada inadimplente?
 
Apoiar esses poucos infensos não é apenas uma falta de percepção da questão social envolvida, mas é, antes de tudo, falta de humanidade.
 
Reduzir a questão do Mais Médicos a uma infringência burocrática ou, pior ainda, a um conflito partidário ou ideológico –o que certamente não é o caso do jurista– é uma indignidade.
 
ROGÉRIO CEZAR DE CERQUEIRA LEITE, 82, físico, é professor emérito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e membro do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia e do Conselho Editorial da Folha

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Governo federal pode descartar 6,8 milhões de testes contra covid-19

52 comentários

  1. desculpem-me, mas eu não

    desculpem-me, mas eu não aceito esse argumento. o brasil precisa dos medicos para atender a população do pais mais fragil e que mais necessita deles. os salarios desses medicos estão sendo pagos com os impostos dos cidadãos brasileiros. então o que eu aceito como verdade é o fato de que esses medicos, para mim pouco importa a nacionalidade, tem que ser bem reminurados pois os cidadãos e contribuintes do brasil fazem um esforço para isso. então a remuneração tem que ser justa e igual para todos eles. recentemente o governo brasileiro anunciou um aumento na remuneração dos medicos cubanos. foi bom. mas outros medicos de outras nacionalidades ganham mais. e os seus paises  também passam por amargura economica… e  é justo o brasileiro pagar impostos para uma remuneração menor para os medicos cubanos e o restante do valor ficar retido em  cuba? o governo cubano é quem tem que cuidar de seu pais. não o cidadão brasileiro.

    • “é justo o brasileiro pagar

      “é justo o brasileiro pagar impostos para uma remuneração menor para os medicos cubanos e o restante do valor ficar retido em  cuba? o governo cubano é quem tem que cuidar de seu pais”:

      Ou um ou outro, os dois nao.  Ou o governo cubano ja esta cuidando do seu pais ou o Brasil faz 10 mil contratos individuais pra contratar 10 mil medicos independente de pais -essa solucao foi uma maravilha com os medicos brasileiros, nao foi?

    • Um pouco do verdadeiro socialismo

      Esse médicos cubanos se formaram graças ao seu Pais; ao esforço de todos para que haja uma elite médica, por isso que apos os anos de estudo inteiramente gratuitos, livros, absolutamente tudo, eles têm o compromisso com o seu povo, de trabalhar para eles e não apenas para si mesmos, como é a pratica em nosso Pais. Dai a dificuldade em se entender porquê uma parte do salario dos médicos cubanos que participam do MM, fica retida em Cuba. Em Cuba, acho que é o unico lugar do mundo, em que a maxima dos Mosqueteiros é ainda valida: um por todos e todos por um.

      • 1) Trabalhar assim por

        1) Trabalhar assim por quantos anos? Há limite?

        2) Assinaram um papel ao entrarem para universidade concordando, está implícito ou foi imposto?

        3) Assino embaixo do texto quando diz as condições a que vem sendo submetida a Ilha.

        4) Se você estudou em Universidade Pública concordaria em algo semelhante- e olha que nem precisa sair do país? Eu como professor, confesso que trabalho para mim, feliz ou infelizmente.

        • Tentando responder

          1) que eu saiba nao há limite de anos, nem a mais, nem a menos: nao é obrigatório participar desses contratos no exterior; interessa a alguns seja por ideologia de querer ajudar, seja porque permite a eles formar uma poupança que é pouca coisa aqui mas é uma fortuna em Cuba; 

          2) Naos sei se assinam um papel; é mais que justo que quem recebe auxílio público para seus estudos devolva algo a seu país; eles nao sao obrigados a trabalhar no exterior

          3) nao há o que dizer

          4) As condiçoes sao completamente diferentes. Diga-se de passagem, eu concordaria com a exigência de alguns anos de servi’vo civil. Mas, no Brasil, nao há nenhuma garantia de saúde, educaçao para filhos, moradia, etc, você tem que trabalhar para você para ter o essencial que seja (e no caso de professores é até difícil conseguir isso…). Em Cuba a populaçao é assitida, e o dinheiro que vem do esforço de todos volta para o bem de todos. 

      • Que papo desavergonhado esse

        Que papo desavergonhado esse heim Maria?

        Dar educaçao é OBRIGAÇAO do estado

        E vc ja paga o investimento nao sendo uma vitima social que depende do estado para custear sua sobrevivencia 

        Faça um favor para a humanidade e pare de falar bobagens para defender ditadura ok?  

         

    • Rita, para quem não conhece o

      Rita, para quem não conhece o significado de nobreza, de caráter e de solidariedade realmente fica difícil aceitar que as ações de uma pessoa sejam ditadas por valores ou responsabilidades de outro tipo que não o cálculo materialista. Outrossim, é impressionante como a sua visão de humanidade não consegue ultrapassar os limites das fronteiras físicas do Brasil. “Que o governo cubano cuide dos dele” é não somente um ultraje aos valores solidários que marcam a personalidade do povo Brasileiro, mas também um indicativo da condição de “terra arrasada” que a expressão humanidade possui em sua cabeça. Você pode até não precisar, mas sem este sentimento universal de humanidade seria impossível o contato, a convivência e o intercâmbio entre os diferentes povos do mundo, e muitos fora de sua terra natal já foram salvos ou acolhidos em terras estranhas por conta deste sentimento e valor universal: humanidade.

    • Seu comentário ignora várias coisas

      1) Eles sao funcionários de Cuba em missao no exterior; missao de participaçao voluntária, e de que eles conhecem os termos ao aceitar; estao habituados com esse tipo de programa; 

      2) o que recebem no Brasil nao é tudo o que recebem; a família continua recebendo o salário deles em Cuba, e há tb uma poupança de 600 dólares por mês que eles recebem no final do programa, além da parcela paga aqui no Brasil e da ajuda de custo das prefeituras, que garante moradia, transporte e alimentaçao; o que recebem é dinheiro praticamente líquido apenas para pequenas despesas pessoais; 

      3) nao há outra opçao para o Brasil, porque Cuba cede os médicos por um contrato que é o mesmo com vários países; e médicos de outras nacionalidades interessados no Mais Médicos foram em número insuficiente para nossas necessidades, e os coxinhas brasileiros nao querem sair das grandes cidades. 

    • Um mundo diferente!

      Rita!

      Desculpe se ficou confuso tentei esclarecer.

      É comum este tipo de contrato entre governos e contratados,  entre empresas e empregados, entre várias companhias e terceiros. Assim por adiante. Tem contratos que se paga a diária e o salario é pago no país de origem, outros não. Torna-se tanto complexo como os salarios da Globo do exterior e a do Rio, como exemplos, embaixadas mundo a fora e bolsas de estudo no exterior, um salario do Brasil e pago no país e outro salario pago no exterior  onde o funcionário, empregado, terceirizado, autônomo, prestador de serviço atuam podem ser completamente diferentes.

      Outro exemplo: Uma grande companhia como a GE tem funcionários em vários países e diferentes valores para as situações econômicas locais, um funcionário da GE argentina não ganhava o mesmo que da Venezuela e nem de New York, com mesma especialização sendo mesma empresa. Nesta comparação, as diárias variavam para deslocamento de especialistas da Argentina para o Brasil, como também dos Estados Unidos para o Brasil e a Venezuela.

      Entre vários tipos de contratos, ate mesmo com a ONU, para determinados países muitas das vezes se ganha ou ate sai perdendo do próprio trabalhador. Outro ponto muito importante. Determinada companhia estrangeira tem um contrato de garantia com o governo ou empresa brasileira para assistência técnica de milhões de dólares, por um período de tempo, então  envia seus empregados ou outros( como dito acima), ou pessoas do próprio pais, treinadas ou capazes de dar assistência técnica, quem paga e quanto paga sempre é uma mixaria a estes serviços e o contratante que recebe os milhões. Neste caso a firma em Cuba faz o mesmo que as companhias de altas especializações e tecnologias, serviços. Como a própria Embraer deve estar fazendo, ela quem fica com o dinheiro grosso,  o empregado vai  na América fazer a “revisões” dos aviões vendidos.

      Rita não vai mudar o foco dos brasileiros, como a mídia e os reacionários querem, os mais médicos estão atendendo as necessidades brasileiras e a população, o serviço é este, o objetivo será  melhorar a saúde e principalmente a assistência em saúde.

      Outro ponto ressaltante é do trabalho escravo e da ditadura cubana. Será que se fosse tão maquiavelista, sem o patriotismo, amor e renúncia humana pela medicina os numerosos médicos não teria “renunciado, abandonado, desertado e largado família, parentes e seu país por outros”?

      O negocio entre a empresa e o contratado faz parte do concordado.  

      É sempre bom olhar os médicos na Europa, principalmente na Inglaterra, na América.  Primeiro mundo como nos brasileiros gostamos de falar e verá que os contratos de trabalho são em termos piores que no Brasil, a saúde publica como funciona  e na importação, arregimentação de médicos estrangeiros para diminuir o déficit interno esta relacionados com o alto risco, trabalho imenso e benefícios muito pouco .

  2. Cortesia com chapéu alheio…

    Eu sempre deplorei a pobreza de nossa academia, mas desta vez ela se superou. O professor acusa o jurista de reduzir o assunto a um conflito partidário-ideológico fazendo a mesmíssima coisa.

    Será que ele se sujeitaria às condições de trabalho imposta SOMENTE aos médicos cubanos que ele pensa estar defendendo? Ou ainda: ele duvida que a grana está fluindo para a ditadura da ilha mas não tem dúvida que os médicos são seus (da ditadura) soldados. Então tá…

    • Saltou uma sentenca.  Comece

      Saltou uma sentenca.  Comece em “comecemos por uma analogia” pra ver se funciona.

      • Leituras…

        A “analogia” mal durou dois parágrafos, se voce prestou atenção. O libelo de centro acadêmico retomou o tom de sempre logo depois da menção ao “crime” (se negar a servir a ditadura). Mas o professor deve ter tido um bom “motivo”: vai que alguém entendesse que somos coautores deste crime…

        • é! o mundo anda desconhecendo

          é! o mundo anda desconhecendo o que seja a solidariedade, o humanismo.  Aqui no Brasil somos mestres em apreender tudo o que vem dos isteites. Egoismo, o meu pirão primeiro, eu me amo em 1º lugar, pq “Se eu não me amar, não serei amado jamais” Ah! como recebi emails desse tipo, nos tempos em que se ainda enviavam emails. É a eterna mania dos americanos em difundir seu modo de vida e de pensar: Tenho de ser um “vencedor”, um “famoso”, e se não conseguir, sairei matando todos os culpados pelo meu fracasso. Como isto tem influenciado os jovens no mundo inteiro e até uns que passaram dos 50, mas ainda se acham “Jovens”, cujo significado é “Sou o bom, por ser jovem”. Pobres de espírito ! E o que tudo isto tem a ver com os Cubanos ? Só Freud explica.

  3. Se Ives Gandra esta tao

    Se Ives Gandra esta tao preocupado assim com trabalho escravo, porque nunca disse nada a respeito da situacao dos professores brasileiros?

    A quem ele ta enganando?

      • Seus amigos que concorda

        Seus amigos que concorda contigo é tudo pelego

        nao acreditam no que voce fala por ser realidade e sim por cumplicidade ideologica

        Vcs ditos progressistas deveriam ter vergonha de viver falando  contra a ditadura militar brasileira, com todo aquele papinho sobre a necessidade do brasil passar sua historia a limpo e viver ao mesmo tempo defendendo ditadura no lombo alheio 

        Mas vergonha e honestidade ideologica  nao é algo viavel no peleguismo né? rs

    • E os outros ?

      Tb nunca li nada do prof. Gandra s/ a situação dos Bolivianos, paraguaios, Venezuelanos (ops, esses nunca soube), que vivem como escravos no Brasil e dos brasileiros que vivem nos EUA. Será que não merecem tb a compaixão do Ilmo professor ?

  4. MARAVILHOSA SENSIBILIDADE

    Os argumentos devem ser racionais. Mas fala muito mais ,alto o coração. Nele, reside a sensibilidade. E são poucos que percebem que ainda existem, no ser humano, a solidariedade e a compaixão. Este é o mérito deste texto extraordinário.

    Em Cuba, com todos os problemas financeiros, acima muito bem colocados, não há uma criança fora da escola; a mortalidade infantil é uma das mais baixas em todo o mundo;  não há um velho abandonado pelas ruas; não existem pessoas jogadas na rua; ninguém passa fome; todo o povo tem direito à saúde e à educação; não há poluição, a criminalidade é uma das mais baixas em todo o mundo; o povo é alegre, adora música e literatura, solidário e amigo.

    Se o PIB cubano é quase zero,  seu IDH é maravilhoso.  E penso que é isto que importa para o povo. Poderiam estar muito melhores,  se o mundo não obedecesse o Tio Sam e investisse em Cuba!

    Hoje, os americanos todos estão fazendo um barulho todo porque a Rússia postou, na fronteira, suas forças militares, para garantir a população russa que vive na Criméia. Há um início de guerra fria, tudo porque houve uma pequena reação russa no caso de flagrante financiamento de uma deposição de um governo eleito democraticamente pelo povo,  por um grupo de oposicionista. Nem se lembram que invadiram o Iraque, o Afganistão, detonaram o Egito e a Síria. Agora, estão querendo tomar o petróleo da Venezuela. Querem avançar para dentro da Rússia: lembro que a posição geográfica da Ucrânia está no estômago da Rússia. Imaginem se as coisas fossem ao contrário e se o Méximo fosse o palco de uma revolução que colocasse em risco os EEUU?

    Volto, lá em 1962, quando os papéis estavam invertidos. Desde lá, quando houve uma ameaça muito forte de guerra nuclear, o Tio Sam nunca mais perdoou Cuba e até agora mantém o cerco econômico, que reduz as condições de sobrevivência daquele povo como um País.

    Porém, o Tio Sam não contava com os sentimentos humanos maravilhosos que abrigava o coração de um povo sofrido, máxime pelo regime anterior, que era ditatorial, explorava-os, para benefícios de poucos e que estava de braços dados com os EEUU,

    Esses sentimentos humanos, fundamentados no patriotismo, são efetivamente, como já acima disse, a solidariedade e a compaixão. Existe, no povo cubano, a noção de que dependemos uns dos outros e que temos que nos unir.  A raiz am, de união, de amizade, de amor,está latente, pululante, batendo forte no coração de cada cubano.

    Hoje em um mundo consumista, onde a ambição capitalista assume os pensamentos de milhares de pessoas, num salve-se quem puder. Hoje, em nossa sociedade, vale muito mais um carro zero na garagem, do que ter em seu patrimônio pessoal valores humanos como a honestidade, a verdade, a  dignidade, o trabalho,  o respeito às leis e à ordem, a amizade, insisto, a compaixão, a solidariedade, tudo que nos dava a certeza de vivem em paz e com muita alegria

    É evidente que os seres humanos são imperfeitos. E é claro que os cubanos não são santos e, como todos nós, são imperfeitos, mas habita-os estes sentimentos, de uma forma muito mais geral. Sabem todos eles que precisam dar as mãos para sobreviverem em paz, sem ódio,sem violência.

    Isto não pode ser entendido por aquele que vive em um mundo onde  o consumismo é novo Deus!

    Entender, pois, o Mais Médicos é entender este espírito maravilhoso que hoje abriga o povo cubano.

  5. Va viajar para Cuba e

    Va viajar para Cuba e descobrirá como os cubanos nos vêem:€€€, £££, $$$, $$$.Simples assim! É só um cubano descobrir que você é brasileiro que vão arrumar maneiras de extorquir seus dólares. A única diferença em lugares turísticos no Brasil é que lá eles não te matar . Também pudera não há como fugir da ilha e tem o paredon né?  Experiência própria nunca mais faço turismo naquela ilha.E não foi somente comigoAmiga foi fazer mestrado em Cuba: toda hora um cubano querendo extorqui-la com o jeitinho cubano de ser.Eu se quiser agora vivenciar experiência socialista vou para Dinamarca, Suécia, Noruega, Finlândia.Paises que conheço e nos quais tenho menos chance de ser extorquido como turista e onde a violência é das menores do mundo e o IDH dos melhores.Cuba de novo jamais!

    • “Dinamarca, Suécia, Noruega,

      “Dinamarca, Suécia, Noruega, Finlândia.Paises que conheço e nos quais tenho menos chance de ser extorquido como turista”:

      Entao conte nos o preco de uma janta em Paris ou Suecia.

      • Ivan, esse rapaz gosta de ser

        Ivan, esse rapaz gosta de ser extorquido em francês, ou em línguas nórdicas. É preciso glamour na hora de extorquir. Negões malandros que falam espanhol com sotaque cucaracha querendo beliscar sua mufunfa, ofende o bom gosto de turistas como ele

    • A sua opinião

      Eu já tenho outras fontes de informação, como do meu irmão que morou lá mais de 10 anos. Não é uma beleza, mas muito animador para visitar e conhecer. Tente estacionar o seu carro aqui no Brasil e me conte se não foi extorquido por um flanelinha!

      Tente ir para Haiti, que fica pertinho e não tem nada de comunista nem contato político com Cuba.Quem sabe encontre um povo mais feliz e realizado, onde não seja extorquido.

  6. O governo cubano poderia

    O governo cubano poderia taxar os rendimentos dos médicos em 50%. Os médicos poderiam fazer o que lhes aprouvesse com o restante, inclusive enviar para Cuba. Acho que seria uma solução satisfatória para todos os envolvidos.

    • Como o governo cubano

      Como o governo cubano cobraria impostos sobre uma atividade realizada em outro país? Suscitar esse tipo de alternativa exdrúxula só demonstra como os indivíduos naquele país são vistos como bens do Estado, que não importa onde vão, “devem” ao Estado cubano.

      • Bem, na prática o dinheiro

        Bem, na prática o dinheiro fica em grande parte para  Cuba. A ideia do imposto é para ter uma conotação, digamos, legal (ou internacionalmente aceitável) a essa apropriação. O ponto é que sobraria mais dinheiro para o médico e ele poderia (ou não) enviar para Cuba, a seu critério. É importante salientar que o contrato é mediado pela Opas, entre os governos brasileiro e cubano. Não é um contrato com os médicos, em particular. Assim, a meu ver, a tributação tem sentido.

    • Entao vai pro paraiso do norte

      Vá, então, pros USA, onde cê vai trabalhar quase o mesmo, e nao ter saude publica alguma.

      Ou pra escandinávia, onde cê vai trabalhar 6 meses pra pagar os impostos.

      Isso pra nao responder a tua infeliz ideia de que o governo brasileiro faz a mesma coisa. Leia de novo o texto, e voce verá que se encaixa na turma dos desinformados.

      Realmente,

       

      Onkoto c. Numvaeh

      • kakakaka…. so 6 meses? acho

        kakakaka…. so 6 meses? acho que vai trabalhar mais, pois so de impostos diretos e indiretos, paises escandinavos estao entre os maiores impostos do mundo. algo em torno de 60% da sua renda bruta…entao sendo assim: 60% de 12=7.2 meses

         

        Desinformados sao os que mais existem nos espacos de comentarios. Isso, muitas vezes aliados a completa dificuldade de interpretacao de texto, para nao dizer analfabetos funcionais, ha tambem um clara deficiencia em formular criticas, pois nao sabem escrever. Esse saber escrever, provem de um saber pensar, que nao esta ao alcance dessa geracao funk. So conhecem vogais…aaa eee iii ooo uuuu

  7. Existem Pessoas Melhores

    A falta de interesse de médicos brasileiros para trabalhar fazendo medicina preventiva e tratando pacientes pobres no interior do seu próprio país, por R$10 mil mensais, contrasta com o desejo de milhares de médicos cubanos, que sim prestam esse serviços, com solidariedade e amor. Cuba está quebrando o galho do Brasil, por conta de gananciosos profissionais brasileiros que não estudam para curar ninguém, mas apenas para ganhar dinheiro e crescer socialmente.

    Quem hoje reclama pelo baixo salário recebido pelo médico cubano, não enxerga a enorme diferença entre pessoas diferentes, mas tenta olhar pelo mesmo prisma monetarista e comercial com o qual o sistema capitalista nos ensina. Cuba exporta o melhor que tem: a sua gente. Existem pessoas no mundo que fazem trabalhos voluntários, outras não; existem pessoas que doam parte da sua remuneração a uma igreja, outras não.

    Existem pessoas que fazem da sua vida uma causa coletiva, onde, atendendo a um bem superior, destinam grande parte da sua remuneração para pagar a manutenção da sua própria família em Cuba; devolver o investimento que o Governo fez na sua própria formação; para pagar o investimento que este mesmo Governo fará na formação de novos jovens médicos e, ainda; que deixará lucro operacional dentro do território cubano, para ajudar a alimentar a uma nação inteira castigada com um embargo cruel.

    Muitos neste blog esquecem que numerosos meninos brasileiros alucinados pelos EUA, vestem o uniforme norte americano em guerras inglórias, apenas para ganhar o Green Card. Como podemos chamar a esses jovens: heróis? Onde fica o dinheiro da remuneração a eles paga? Existe lucro dos EUA pelo uso dessa carne de canhão?

  8. Quem bancou os estudos dos

    Quem bancou os estudos dos médicos cubanos? O povo cubano, nao?

    Pois, acho que é justo que ele retribua esse estudo com redimentos provenientes de sua formaçao e trabalho.

    Imaginem, se os médicos brasileiros formados em universidades públicas (portanto, bancados por nós, cidadaos sem médicos ) fossem obrigados a trabalhar em UBSs, pronto-socorros públicos. Nao seria ótimo, nao seria justo?

    Penso que sim.

    Acho que o errado nao é o governo cubano cobrar, o Brasil pagar parte aos médicos, ao contrario, é JUSTÌSSIMO!

  9. Programas como o Mais Médicos

    Programas como o Mais Médicos garantem também a manutenção do ensino e prática médica de excelência dos cubanos. Curioso como pessoas como o Ives Gandra nunca dizem nada se o salário de fome é pago por multinacionais, na verdade, muito pelo contrário, não são esses grupos que vivem reclamando que os salários pagos no Brasil não são competitivos, e devíamos seguir o modelo chinês?

    Gandra só reclama dos salários pagos para manter o mais bem sucedido programa de medicina da América Latina,s e salários de fomes forem pagos para sustentar lucros de multinacionais, ele vai exaltar como uma virtude do livre-comércio.

  10. Muita desinformação. Ainda

    Muita desinformação. Ainda mais se o assunto é Cuba. Aí é clichê emcima de clichê. Mas o que digo para os coxinhas é que o Brasil contrata médicos não apenas cubanos. Eles retrucam que deveriam gastar essa grana investindo em sáude invés de pagar salário, sendo que o “Fidel embolsa metade”.

    Esse é o problema de coxinhas. Não tem a menor noção das dimensões das coisas. O salário pago é mil vezes menor do necessário para construir hospitais ou adquirir equipamentos e remédios. O montante pago aos médicos importados nem sequer faz cosquinha nos gastos desse tipo. Não tem nada a ver uma coisa com a outra.

    E existem locais remotos do país, em que pessoas não são atendidas por falta de médicos nos postos de saúde que lá estão. Aí dizem que os brasileiros não vão porque falta estrutura. Mentira, eles nem sequer vão lá conferir qual a estrutura. Isso é desculpa. Se recusam a ir para pressionar o governo a aumentar ainda mais o oferecido a eles para irem até os cafundó do Judas. Tem gente que vai, fica um ano, faz um pé de meia e volta para dar entrada num consultório só seu. Um médico desses numa dessas localidades é um marajá.

     

  11. Curioso como ninguém comenta

    Curioso como ninguém comenta as práticas do Estado de São Paulo (e provavelmente outros, mas conheço apenas SP). Tenho uma amiga que foi contratada pelo estado para receber salário mínimo, o qual era complementado através de vários adiconais até chegar a um valor aceitável para uma profissional da área de saúde formada na USP. Adicionais que não contam em caso de férias, aposentadoria. ou FGTS e representavam muito mais que 50% do pagamento total.

  12. Ideologia da desigualdade

    O Sr. Yves é um grande jurista, tributarista acho.

    Mas também é, antes de tudo, um ideólogo da desigualdade.

     

  13. li tudo. ninguem ainda me

    li tudo. ninguem ainda me convenceu de que o medico cubano  servindo a população brasileira e pago pelo o contribuinte brasileiro tenha que receber menos, pelo o mesmo trabalho, do que um profissional espanhol, peruano, boliviano, americano, suiço… ou qualquer estrangeiro que queira trabalhar aqui. esse tema já havia aparecido em outra ocasião e meu ponto de vista não mudou… muito antes de qualquer medico reclamar e ser destaque na midia. tanto é que depois disso o governo brasileiro correu para dar um reajuste salarial para os medicos de cuba. o que eu defendo é a igualdade de tratamento.  o medico cubano trabalhando no brasil merece ser tratado da mesma forma do que qualquer outro medico que queira trabalhar aqui. essa é a minha verdade.

    • Nao sei uma unica verdade!

      Primeiro respondi lá abaixo, noutro seu comentário!

      Segundo, houve um caso e não recordo se foi na Fropane ou Eletronorte e outro no exterior, mas os militares sabem como funciona, houvesse processo da família do empregado, caso trabalhista, pq os pagamentos eram feito nos locais de atuação dos empregados e ou militares, longe dos locais de moradia e da família, algumas esposas e filhos ficavam sem poder pagar os encargos e num destes casos houve a morte de uma criança.

      Não consigo convencer a mim mesmo, por nada e imagine a outros!

    • Na minha terra, RS, se diz

      Na minha terra, RS, se diz que e duro nadar de poncho.! Duro no sentido de dificil. Aqueles que nao sabem o que é um poncho, explico:poncho e uma veste que cobre praticamente o corpo todo, tipo um cobertor, feito de lã, para ser usado nos dias frios, que por aqui e na zona da campanha, onde mais se usa, o frio pode chegar facilmente aos -5 graus celsios.Entao nadar de poncho, e realmente muito dificil, pois aliado ao peso do dito, soma-se o peso da agua.Essa expressao se usa, para designar pessoas que tem um entendimento dificil das coisas, ou que entende superficialmente o assunto, e mesmo assim saem a dar pitacos. Nem que seja so para contrariar. Seu caso, dona rita.Nao leu, fez que nao leu, nao quer nem saber: seu comentario denota profundo desconhecimento dos contratos, e a pouca relacao que mantem com a verdade dos fatos. Os valores pagos aos medicos, nao importando de onde venham, sao rigorosamente iguais. A maneira de repassa-los aos medicos, segue um protocolo assinado com uma outra instituicao e o governo cubano. A presidente Dilma, nao deu nenhum aumento aos cubanos, pois se assim fosse, teria que aumentor os outros tambem (voce mesmo disse: atividades iguais, salarios iguais). O que a presidencia fez, foi acordada entre as partes envolvidas, foi um repasse maior aos cubanos residentes aqui, de 400, para algo em torno de 1400 dolares…consequentemente, a parte retida ficara tambem menor, quando do reembolso pelo medico. Por que voce nao protesta efetivamente onde precisa? Ha inumeros casos de trabalho escravo em nosso pais, com brasileiros, sem falar com bolivianos em sao paulo, onde empresas de confeccoes empregam centenas de “escravos” (empregam e um eufemismo), politicos do congresso em inumeros casos mantem em suas fazenda trabalhadores e regime de escravidao.

      É dona Rita, criticas sao a base de melhorias, pois podemos corrijir acoes, como o governo fez, repassando um valor maior a bolsa dos medicos. Mas e preciso ao criticar, ter o bom senso de saber o que se esta criticando.Infelizmente dona Rita, opiniao sobre qq coisa todo mundo tem. E a sua opiniao nao é melhor ou pior do que a minha.É somente a sua opiniao.

  14. Os reis africanos no final do

    Os reis africanos no final do século 19 escreviam cartas a Dom Pedro para não permitir que se interrompesse o tráfico negreiro de modo a não colocar em risco seus reinos e impérios….será que todo mundo perdeu a vergonha na cara?

  15. 1)A população carente

    1)A população carente brasileira sai ganhando quando o posto de saúde de sua cidade passa a ter um médico. Mesmo que com pouca infra-estrutura, esta situação é melhor do que o Posto sem um médico.

    2)Os médicos brasileiros que não vão para estes Postos de Saúde não devem reclamar que outros possam ir, nem serem recriminados por não irem, é uma questão de escolha.

    3) O médico cubano deveria ter o direito de trazer a sua familía para o Brasil e receber o equivalente aos demais, isto eliminaria suspeitas de coação. Fica claro que o governo de Cuba não confia em seu “voluntário!.

    4) Por outro lado o médico brasileiro quando tenta trabalhar na Europa ou nos Estados Unidos também enfrenta restrições, eles também protegem o seu mercado de trabalho. E isto não é apenas para os médicos, e nós não reclamamos com a mesma ênfase.

    Devemos tentar resolver os problemas, o Mais Médico é uma boa iniciativa que precisa ser melhorada, não devemos ser a favor ou contra por sermos governo ou oposição. Acredito que todos precisam repensar suas posições e colaborar para o aperfeiçoamento do programa respeitando as opinões divergentes e as pessoas que as expressam.

     

  16. Opressão à Ilha?

    Tem muita gente que precisaria ir à Cuba. Não como turista, mas como pesquisador.

    Aquilo é um lixo criado por ditadura lixo.

    Qualquer lugar  no mundo que os cidadãos são proibidos de sair, não deve ser agradável.

    Qualquer lugar onde reclamar significa prisão ou morte…. não deve ser bom;

    Qualquer lugar onde não haja eleição e pluralidade de ideias não pode ser um bom lugar;

    Os familiares dos médicos são reféns de um regime sanguinário.

    Só se deu bem em Cuba os dirigentes e seus puxa-sacos.

    Lá não tem mortadela nem coxinha, alías é capaz de se achar para os turistas e dirigentes, pelo cambio negro.

    Prá todos os lugares que o comunismo, socialismo e ditadura não deu certo ( que alias, nunca deu) o discurso é o mesmo: “A culpa é dos imperialistas americanos.

    Só que todos querem fugir para os USA, curioso né?

    Só não enxerga quem não quer. Que tal abrir os olhos e parar com o sempre mesmo discurso?

    ACC

     

  17. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome