Análise da PROTESTE confirma excesso de aditivos em embutidos

As carnes processadas, que segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), aumentam o risco de câncer, foram testadas pela PROTESTE Associação de Consumidores, que confirmou o excesso de aditivos em três de 41 produtos testados. Três apresentaram teor de nitrito residual acima dos limites máximos estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Foram avaliados os teores dos aditivos nitrito e nitrato (expressos como nitrito residual) de sete categorias de produtos: linguiça calabresa, salame tipo italiano, mortadela, salsicha, presunto, blanquet de peru e peito de peru defumado no produto, pronto para consumo.

A mortadela da marca Maná apresentou 196,6 mg/kg de nitrito residual, cerca de 31% a mais que o limite máximo (150 mg/kg). Dois outros produtos, ambos da marca Palmali, tiveram teores de nitrito residual acima do permitido pela lei: mortadela e linguiça tipo calabresa, com 177,1 e 159,3 mg/kg de nitrito residual, respectivamente.

A PROTESTE enviará o resultado para as empresas e para a Anvisa pedindo fiscalização e providências para que os fabricantes adequem os produtos às normas, para não por a saúde do consumidor em risco. Até porque a legislação brasileira é mais permissiva ao limitar a presença desses aditivos em 150 e 300 mg/kg, valores limites considerados elevados, uma vez que, em outros países, a legislação estabelece valores inferiores.

Os nitratos e os nitritos são usados como condimentos no processo de fabricação desses embutidos, atuando como agentes de cura,  para dar uma coloração rósea e sabor típico dos produtos curados. Além disso, inibem ou retardam o crescimento microbiano, prolongando a vida de prateleira desses alimentos. Também são antioxidantes. O relatório da OMS intensificou o debate sobre o uso de aditivos em alimentos. Embora estudos científicos mostrem a toxicidade destas substâncias químicas utilizadas na fabricação de alimentos, muitas deles são permitidas pela lei. É o caso dos sais de nitrito.

Leia também:  Subprocuradores cobram recomendação de Aras a Bolsonaro para seguir as normas da saúde

Todos os salames apresentaram baixas concentrações de nitrito residual. Entretanto, deve-se estar atento à rotulagem destes alimentos, em especial à quantidade de sódio e gordura na hora da escolha do produto que levar para casa. Mesmo que a maioria dos embutidos avaliados tenha apresentado concentrações de nitrito residual permitida pela lei, a PROTESTE orienta limitar o consumo destes alimentos. O Guia Alimentar para a População Brasileira, do Ministério da Saúde, estimula a fazer dos alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação e limitar o consumo de alimentos ultraprocessados. Os embutidos são alimentos ultraprocessados e devem ser consumidos esporadicamente, segundo o Guia. Outro motivo para comer embutidos sem exageros é que eles costumam ter altos teores de gordura e sódio.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome