OMS alerta sobre letalidade do novo vírus da gripe aviária

A nova cepa do vírus H7N9, a chamada gripe aviária, já é considerada uma das “mais letais” já detectadas pela literatura médica. O vírus já matou 22 pessoas e infectou outras 108 na China e é transmitido mais facilmente aos seres humanos do que outras variações dessa gripe, que mataram centenas de pessoas em 2003. O alerta é da Organização Mundial de Saúde (OMS), que fez comunicado nesta quarta-feira (24).

A OMS, organismo da ONU com sede em Genebra, no entanto, ainda não soube informar como as pessoas estão sendo infectadas. Especialistas dizem que não veem nenhuma evidência, até agora, do cenário mais preocupante: a chamada “transmissão sustentada” entre pessoas. Nesses casos, o vírus seria transmitido entre seres humanos, não apenas de aves para pessoas.

Uma equipe internacional de cientistas liderada pela Organização Mundial da Saúde e pelo governo chinês realizou uma investigação de cinco dias no país, mas informou que não está mais perto de determinar se o vírus pode se tornar transmissível entre humanos. Keiji Fukuda, diretor-geral assistente para segurança em saúde da OMS, afirmou que “a situação continua complexa e difícil, e evoluindo”.

Brasil

No país, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou que o país está vigilante em relação aos casos registrados na China. “Não existe clareza ainda sobre a fonte de transmissão”, disse, em entrevista à EBC. Ele destacou que a maior probabilidade é que ela ocorra por meio do contato com aves vivas. “Não existe transmissão sustentável de pessoa para pessoa”, acrescentou.

Até o momento, diz o ministro, não há recomendação de restrição comercial com a China por parte da Organização Mundial da Saúde. O que permanece, segundo ele, são medidas restritivas adotadas desde 2006 nos portos brasileiros em relação à entrada de aves vivas provenientes daquele país. “Vamos manter essa vigilância”, destacou.

Ver original

0 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador