ONU alerta para aumento acelerado de infecções por ebola

Enviado por RMoraes

da Agência Brasil

Organização das Nações Unidas (ONU) informou, nessa terça-feira (2), que as infecções por ebola estão aumentando a cada dia e que é possível que surjam novos casos em países onde a doença ainda não chegou.  A informação foi dada pelo coordenador da ONU para o ebola, David Nabarro.

Leandra Felipe – Correspondente da Agência Brasil/EBC visto na Agência Brasil

Surto de ebola na África (EPA/Agência Lusa/Direitos Reservados)

Surto de ebola na África EPA/Agência Lusa/Direitos Reservados

Também ontem, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, divulgou mensagem no Youtube sobre a epidemia do vírus, dizendo que conter o ebola não será uma tarefa fácil. “Conter o avanço dessa doença não será fácil, mas sabemos como fazer isso”, disse ele na mensagem enviada aos países do Oeste africano. O vídeo foi divulgado horas antes da reunião entre David Nabarro, a diretora-geral da Organização Mundial da Saúde, Margaret Chan, e o secretário-geral adjunto da ONU, Jan Eliasson. 

Para as Nações Unidas, será complicado combater a proliferação do vírus. Segundo Nabarro, será muito difícil definir os passos a serem tomados para controlar a epidemia de ebola. Ele defendeu uma coordenação mundial para lidar com a doença.

“Não podemos aceitar a ideia de que perdemos a batalha contra o ebola. Temos de reagir de maneira forte, porque a doença está avançando mais depressa que os nossos esforços”, acrescentou, lembrando que, na última semana, o número de infectados na Guiné, em Serra Leoa e na Libéria superou os 3,5 mil, com mais de 1,5 mil mortes.

Leia também:  The Guardian - Relatório global: obedeçam regras para evitar o segundo bloqueio do Covid-19, alertam líderes

A ONU voltou a recomendar que os cuidados básicos de saúde nos países afetados sejam mantidos, bem como as condições hospitalares e o tratamento adequado para os pacientes.

A mesma recomendação foi feita por Obama em vídeo direcionado aos países mais afetados.

Nabarro reiterou a necessidade de as linhas áreas internacionais restabelecerem os seus voos para os países atingidos, a fim de facilitar o trabalho de socorro.

Para a OMS, este é o maior surto da história desde a descoberta do vírus em 1976. Entretanto, a diretora-geral pediu que o “alarmismo” seja evitado, sem deixar de destacar a necessidade da prevenção  bem feita. “Uma pessoa com suspeita de contaminação não pode viajar”, defendeu Margaret Chan.

Ela também pediu que sejam aceleradas as pesquisas que trabalham na descoberta de uma vacina. “Há duas ou três vacinas potenciais e é importante que a comunidade científica una as suas forças nesta situação sem precedentes. Temos de acelerar os testes experimentais e utilizá-los de forma eticamente aceitável antes que passem a ser produzidos de forma industrial”.

Na semana passada, o governo americano anunciou que vai começar neste mês os testes em humanos de uma vacina contra o vírus.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

1 comentário

  1. A epidemia de Ebola vai atingir outros países, questão de tempo

    A doença está em franco avanço. Só essa semana morreram 400 pessoas (de domingo até hoje). E vai morrer muito mais. O Ebola é particularmente mortal em países com baixo nível de saneamento, com uma saúde pública pouco desenvolvida, com uma medicina preventiva pouco atuante, com uma saúde pública incapaz de atuar no combate à epidemia de forma eficaz, sem remédios, etc. O Brasil tem regiões muito sensíveis nessas áreas e se a doença chegar aqui, pode ser um problema seríssimo. Brasileiro é muito indisciplinado e só se combatem doenças como o Ebola com muita disciplina, em tudo. Se chegar aqui no Brasil, eu temo pelo efeito que terá. O Brasil tem que estar preparado para enfrentar a epidemia. É questão de tempo chegar no Brasil e na América Latina.

    O Ebola não é um vírus difícil de ser combatido. Ao contrário, ele é até relativamente fácil, se comparado com outros vírus. É uma doença de países pobres, com condições sofríveis. Uma boa higiene já resolve muita coisa.

    Eu tenho poucas dúvidas sobre o alastramento da epidemia de Ebola. Não vai ficar somente na África. Quem pensa assim está errado. É uma doença que está fora de controle. Ela terá que ser combatida sem a técnica exclusiva de confinamento geográfico ou físico dos doentes. Se essa for a melhor forma que um país tiver para enfrentar a doença, o isolamento, a quarentena, os resultados serão catastróficos. A doença terá que ser enfrentada diretamente, com remédios e políticas de prevenção, e não apenas com isolamento físico das pessoas infectadas. O Ebola será uma doença presente no mundo. A OMS já sabe disso e já vem alertando indiretamente as pessoas sobre essa dura realidade. Não quer provocar pânico, mas pouco a pouco eles dizem a verdade. Para mim, é o problema mais sério no mundo hoje. Muita gente ainda irá morrer de Ebola. E não serão apenas as pessoas dos países africanos hoje afetados. O Brasil tem que começar a se preparar seriamente contra o Ebola.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome