Por baixa adesão ao isolamento, Doria aumenta o tom e mostra médicos mortos por Covid em publicidade

No horizonte de São Paulo, segundo especialistas, está o lockdown, caso a curva da doença não mude.

Foto Folha

Jornal GGN – A baixa adesão ao isolamento social no estado de São Paulo fez com que o governador João Doria aumentasse o tom na campanha publicitária, modificando o apelo para que as pessoas fiquem em casa.

A partir desta quinta, dia 14, os filmetes de 1 minuto a serem veiculados na TV e internet, mostrarão casos reais de mortes de profissionais de saúde devido ao novo coronavírus. Seus nomes, função, idade e cidade onde atuam aparecem nas fotos e a explicação das condições do óbito.

O tom dramático do vídeo retrata a preocupação do governo com a pandemia, e a consequente baixa adesão do estado aos apelos. A adesão inicial manteve-se acima dos 50%, mas baixou, o que fez com que o tom dos alertas tivesse que ser outro.

A explicação para a debanda dos paulistas ao isolamento pode ser explicada pela atuação do presidente Jair Bolsonaro. O mandatário, constantemente, minimiza os aspectos médicos e clama pela abertura da economia, enquanto o governador mantém a quarentena, que foi estendida até 31 de maio.

No horizonte de São Paulo, segundo especialistas, está o lockdown, caso a curva da doença não mude.

Na terça, dia 12, o confinamento medido a partir da movimentação de pessoas com celulares em 104 cidades com mais de 70 mil habitantes estava em apenas 47%.

Com informações da Folha.

4 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

doria, cade os EPI

- 2020-05-14 12:57:00

Doria, cade os EPIs. tem medico morrendo, culpa sua

Li de Brusque

- 2020-05-14 12:28:35

Eu falei. Os politicos querem jogar nas costas da população a culpa pela falta de competencia em lidar com essa epidemia. Já estamos há mais de 2 meses com esse isolamento social. Pelo jeito vamos pra quatro meses. O isolamento é uma não solução. É impossível estender por 4, 6 meses. Tem de encontrar uma outra saída. Países da Europa estão saindo com 2 meses. Aqui, se continuar essa incompetencia toda, somente no final do ano. Como pode só a poucos dias se tornar obrigatório o uso de mascara e no início dessa semana um prefeito de tresloucado instituir um rodízio idiota de veículos que está, na prática, trocando o transporte individual, risco zero de contaminação, pelo transporte coletivo com riscos máximo de contaminação. Isso é insano.

Rui Ribeiro

- 2020-05-14 11:48:48

Está morrendo gente? Está! Lamento! Mas vai morrer muito mais se a economia continuar a ser destroçada". - Bolsomerda "Essa é uma realidade, o vírus tá aí. Vamos ter que enfrentá-lo, mas enfrentar como homem, porra, não como um moleque. Vamos enfrentar o vírus com a realidade. É a vida. Todos nós iremos morrer um dia". - Bolsobosta Já que todos nós iremos morrer um dia, que não seja de fome, mas de corona. Portanto, vamos salvar a economia ao invés de combatermos o vírus. Se eu fosse governador, eu responderia ao saco de Bosta Naro: "E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Se você, que é Messias, não faz milagres, imagine Eu, que não sou Messias. Se todos nós iremos morrer um dia, que seja de fome, e não de Covid-19". Para o Bolsonaro, não é RUIM morrer gente. Prá ele, é MELHOR morrer pouca gente do que morrer MUITA gente. Para o Bostonaro, o problema não são as mortes, mas a quantidade de mortos. Por isso, ele não quer salvar as pessoas, mas a economia.

Zé Sérgio

- 2020-05-14 11:26:34

...Unicef ​​diz que lockdown em áreas de pobreza pode matar mais que coronavírus...Logo aqui ao lado. 'Conheceis a Verdade. E a Verdade Vos Libertará'.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador