As ameaças aos migrantes em Santa Catarina

Sugerido por Assis Ribeiro

Do A Tarde

Carta ameaça migrantes baianos em cidade de Santa Catarina

Uma carta intitulada “aviso para os baianos” circula nas redes sociais na última semana em tom de ameaça aos baianos que moram em Brusque, em Santa Catarina. No documento, que não é assinado, os moradores ameaçam matar os migrantes que, de acordo com eles, “perturbam o sossego” da população local.

A carta diz que Brusque foi invadida nos últimos cinco anos “por migrantes de outros estados, principalmente da Bahia, das cidades de Itabuna, Ilhéus e Buerarema”. De acordo com o documento, a maioria desses migrantes está “incomodando a vida dos moradores locais fazendo um inferno como: ouvir música em alto volume”.

O aviso diz que foi formado um grupo com 28 pessoas para “dar um basta nessa situação”. Eles alegam que fizeram um levantamento e identificaram 34 carros e 22 motos de baianos, que, de acordo com eles, são desordeiros. O grupo afirma também que guarda fotos dessas pessoas.

No alerta, os moradores dizem que pretendem “eliminar” essas pessoas, matando os migrantes. A assessoria da Polícia Civil de Santa Catarina disse que não foi registrado Boletim de Ocorrência (B.O) sobre o caso, o que impede que a suposta ameaça seja investigada.

Confira a íntegra da carta:

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

71 comentários

    • Bem o aviso deixa claro (

      Bem o aviso deixa claro ( apesar de ser inadmissivel algo assim ) que nao ha nada contra as pessoas que sejam da Bahia mas que nao tenha comportoamente como o relatado

      Entao vamos evitar misturar as coisas né?

      • Preconceito

        Esta carta é uma infamia, feita por bandidos. Mereciam cadeia. Processo e investigação. Existe justiça pra resolver problemas, se não atua, cobrem, afinal sao pagos para isto.

  1. é um conflito

    não vou embarcar na onda de chamar racismo todo conflito de grupos.

    está havendo um conflito no lugar e as autoridades não estão sabendo administrar. essa carta é um aviso aos autoridades. a aplicação das leis neste país já é, de modo geral, inoperando. é o modo cordial de agir, sempre no âmbito pessoal e emocional. e o caso do incômodo por barulho e algazarra é patente. onde moro em São Paulo (bela vista) é assim também. quem tem de dormir está obrigado a aguentar as peripécias e escândalos de baladeiros que descem da orgia na Augusta. e é assim, “na moral”. ninguém dá jeito na questão e fica-se como está. com um grupo menor envolvendo toda a coletividade em suas orgias e bebedeiras.

    essa carta é um aviso, sim, às autoridades. é preciso tomar as medidas cabíveis concernentes a ambos os lados. antes que seja tarde. onde não há lei a barbárie impera.

  2. Nem uma coisa, nem outra.

    Não sou a favor de medidas radicais como essa. Mas tem que haver respeito aos direitos do outro. Tal situação não chegaria a esse extremo gratuitamente. Se eu vou a outro país e desrespeito os locais, sou preso e posso ser deportado com a roupa do corpo. Do mesmo modo, os supracitados cidadãos migrantes têm que respeitar a população local. Ninguém gosta de gente folgada, seja de qual região for. Eu moro em São José dos Campos e tem um monte de gente folgada e arrogante aqui, inclusive nascidos na cidade, e ficaria muito feliz que aprendessem a respeitar as regras e a conviver em sociedade, e caso não conseguissem, sumissem daqui. Mas como no Brasil tudo é levado para o lado do radicalismo, cria-se uma adjetivação, abole-se a discussão política e parte-se para o Fla-Flu ideológico onde todo mundo perde. A atitude desse grupo de cidadãos de Brusque é tão errada quanto a atitude da parte dos migrantes baianos que não respeitam o espaço dos moradores locais. Isso se deve a um vácuo na atuação das autoridades, que ficam com medo de desagradar a um ou a outro. Isso é que tem que acabar no Brasil. Aplique-se as leis e cumpra-se as regras doa a quem doer. Mas como aqui no Brasil já se fala da eleição seguinte mal concluída a atual, ficamos eternamente amarrados por essa politicagem barata sem resultados práticos.

      • Leu!?

        Onde, em meu comentário, vc encontrou referência à discriminação de cor de pele, “cara pálida”? Leia de novo e aprenda a interpretar, antes de sair por aí falando besteira.

    • Imigrantes baianos

      São baianos mesmo, ou pura ignorancia do povo do sul, que acha que todo nordestino é baiano?

      E alias, os unicos errados são estes estupidos que acham que podem fazer justiça com as proprias maos. Alias, são bandidos e não pessoas. Pra isto existe justiça, senão atual, cobrem, são pagos para isto. O resto é lorota.

      E olhe que sou gaucha de nascimento e com familias em Sta catarina, Tubarão, descendentes de italian os, bem mais educados que os alemães náo é?

  3. Obviamente é uma carta

    Obviamente é uma carta extremamente preconceituosa e é um completo absurdo.

    Mas levanto o questionamento para os amigos do Blog. Atualmente, estou trabalhando ha um mês na Bahia, e como qualquer um que esteve aqui sabe que a cultura é totalmente diferente do resto do país e até muito diferente dos outros estados do nordeste (infelizmente muitos do sul/sudeste generalizam as coisas)…

    Quando acontece um caso desses, o que se deve fazer? Pelo visto a policia não faz (ou pode fazer nada)…

    Como se resolve um problema desses?

    Como se educa um povo, da maior herança escravocrata, históricamente jogado ao relento por nossas elites?

    Realmente não tenho a resposta para isso…

    • Não é racismo

      O local de onde estes migrantes vêem não importa. Mas neste caso, os baderneiros marginais não são do sul do pais. Nós os sulistas temos tradição e costume de respeitar o espaço alheio, somos em sua maioria pessoas decentes, trabalhadoras e educadas e isto já vem de muitas gerações , faz parte de nossa história. Nós somos pessoas pacifistas e não gostamos de bagunça e encomodação muito menos de lixo cultural. Agora o que está acontecendo é este pessoal de fora que vem pra cá e acha que pode impor e forçar o seu modo de vida, violando  a paz e serenidade que tanto lutamos para preservar e passar para nossas gerações futuras, e estes na sua grande maioria são o pessoal do norte do país. A questão aqui nao é raça, tanto faz um negro, nordestino , amarelo, seja o que for, se vier morar aqui no sul e quiser fazer parte de nossa sociedade tem que no mínimo respeitar a tradição local e a maneira de vida das pessoas que construíram com muito suor e trabalho este lugar. Para os que vem na paz e queiram morar e trabalhar aqui e se integrarem, estamos de braços e coração abertos. Mas, aos outros que vem trazer discórdia e destriuir harmonia da paz alheia com os seus lixos contra-culturais de música funk, drogas, indecência e falta de respeito e educação voltem pra favela de onde vieram, simples assim.  Nossa tolerância está no fim e é claro que iremos fazer justiça com nossas próprias mãos, como é de costume, se as coisas não mudarem. Sabemos que o sistema de justiça está falhando muito nos últimos anos pois o número de marginais  que se deslocaram de outras partes do país pra cá é enorme, mas não iremos permitir que isto faça com que nossa amada terra  sulina  se transforme  no que outras partes do brasil se transformou. Amamos de mais este lugar e nossas tradições, se não respeitarem justiça será feita doa a quem doer.

       

      •  Nossa…para justificar a

         Nossa…para justificar a barbárie vale tudo, até apelar para uma certa ”virtude fleumática”, braço legítimo da civilização europeia em terras selváticas. Claro que contrapondo aos esfusiantes e protocivilizatórios apelos nordestinos que não reconhecem a superioridade civilizacional dos catarinas herdeiros do Kant, Hegel e cia bela….

         

        Que tal dizer sobre o racismo institucionalizado em SC em certas mentes retrógradas do poder público executivo e judiciário? E que dizer ainda do ideario mítico (portanto protocivilizatório) vindo do discurso estático excelente que fomenta páginas de moda com gurias esquálidas que parecem terem saído de uma guerra civil?

        E o que dizer da sina de superioridade onanista, que nutre o mercado do sexo (superior, evidente), por exemplo em SP,. onde é possível iniciar uma carreira rentosa de prostituta de luxo, apenas com o RG e uma boa estratégia de marketing em jornais e internet, apelando para o ”moças do sul”? 

        Claro que não, apelar para a simbologia reacionária de uma civilização estacionária e que vê em si virtudes relativas desconectadas do contexto social seria demais para sua mente xenófoba e preconceituosa

  4. Verdade

    É bem verdade que o pessoal de fora enche a paciencia, mas nada justifica matar alguém, a menos que seja bandido e seja condenado pela justiça.

     

    Moro em Florianopolis e com o BOOM da construção civil vieram milhares de pessoas de outros estados, e junto com eles um pouco mais de desrespeito ao cidadão e à comunidade onde se alojam. Mas Florianopolis ainda não representa tanto, pois já é uma cidade com muitas favelas e grande parte da população é de muito baixa renda, moradores de encostas, favelas mesmo, com nivel de instrução e discernimento baixo, onde impera quem “pode mais”.

    Nas cidades de colonização alemã o caso é mais grave, a exemplo de Joinville, onde houve a necessidade de pessoas há cerca de 40/50 anos atras para trabalhar nas grandes empresas. Porém, criou-se uma via de mão única por onde vem gente de todo tipo, gente honesta e trabalhadora, mas também  gente que não presta, bandidos, prostitutas, etc. Nos útimo 20 anos Joinville virou “point” da prostituição, abrindo uma casa de massagens em cada esquina. E a bandidagem aumento tanto, a ponto de proibirem que os programas de TV falassem que o bandido era natural de tal lugar.

    As áreas de manguezal dizimadas nas últimas décadas foram invadidas pelas pessoas de fora que vieram para trabalhar nas empresas ou pra “se virar” na cidade. Hoje Joinville sofre mais com enchentes também pela impermeabilização do solo nestas áreas onde o escoamento das chuvas eram facilitado. A cada ciclo de alguns anos (5 talvez) se invade alguma área que deveria ser de preservação. Se loteiam áreas (com anuencia não sei de quem) e então está feito o estrago. Temos uma “vila paranaense” que foi invasão de mangue. Temos uma “invasão”, que tem este nome não sei por que (ironia, ok?), temos bairros criados para suprir este volume de “novos moradores”, e se olharmos o mapa da cidade ficaremos de boca aberta pelo que ocorreu com os mangues nas ultimas décadas, um crime  ambiental absurdo.

     

    Não estamos falando de nada desconhecido, pois SP viveu o mesmo problema, e é muito inocencia ou muita “vontade de querer ser politico” se taparmos o sol com a peneira. O problema da migração é latente em várias cidades, e a “minha opinião” é que houvesse SIM algum tipo de controle. Não do tipo que diz o panfleto, um absurdo, mas as prefeituras deveriam ter o poder de dizer “não, aqui não pode entrar!”…

    • “Pessoal de fora ?”  E nada

      “Pessoal de fora ?”  E nada justifica matar alguém, mas bandido condenado pode né… E os argumentos são os mesmos dos europeus.

      Eh facil dizer que os europeus são xenofobos e racistas, não querem imigrantes pobres. Assim como amercianos idem. Mas porque sera que no Brasil da democracia racial não é nem um pouco diferente? Diria mesmo pior: o preconceito e racismo é dirigirido aos pobres do proprio Pais, “o pessoal de fora”. 

  5. Klux klux klan formada por

    Klux klux klan formada por gente “civilizada” do sul do país. E o governo brasileiro que tratou tão bem os imigantes alemães, dos quais 90% dos moradores de Brusque descendem. No final do século XIX e início do século XX os imigrantes alemães receberam terras, de graça, do governo brasileiro para iniciar suas comunidades – terras de baianos e outros brasileiros. Brusque talvez tenha começado assim….

    • Terras de baianos? Como assim?

      Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná eram superhabitadas por baianos, que foram expulsos para dar terra aos alemães?

      Por favor, Orlando, desenhe, porque não entendi.

      • Ele estava falando que os

        Ele estava falando que os imigrantes alemães receberam terras brasileiras, que pertencem à todo o povo brasileiro (incluindo aí os baianos), e não que os baianos teriam sido expulsos do Sul.

        • mas os baianos e todos os

          mas os baianos e todos os demais brasileiros não tomaram essas terras do pobres indios?  então como eram dos brasileiros se eles tinham tomado!

           

          conversa mole essa de terra dada, os alemães vieram para cá para trabalhar duro, e assim o fizeram!  tanto que tornaram aquela região em seu tempo, no maior produtor de alimentos do pais!  Pois São Paulo somente produzia cafe e açucar para exportação!

           

        • A colonização alemã e
          A colonização alemã e italiana do sul maravilha como gostam de dizer em muito contribuiu para hoje sermos o que somos. Nessa construção não houve nenhuma contribuição significativa do povo nordestino. Então que se faça respeitar nosso passado e nossas tradições. Porque é aqui que estão vindo procurar o trabalho. Se o nordestino fosse tão poderoso assim o nordeste seria a região mais desenvolvida do Brasil. Somos um país com características culturais das mais diversas. Deve se respeitar a cultura local. Mas isso é algo que brasileiro tem dificuldade de entender. E se alguém um dia se deparar com preconceito..Resposta: preconceito de combate com competência e não com lamentações. A vida é difícil para todos! A pessoas só olham o que os outros têm e suas vidas mas não olham o que fazem deles mesmos.

  6. Por que os arianos da cidade

    Por que os arianos da cidade não criam um campo de concentração ?

    Fica mais fácil o extermínio, por ex. poderiam criar uma câmara de gás.

    • racismo as avessas!

      porque vc acha que foram os “arianos” da cidade?  

      para vcs todo cidadão que nasceu de SP para baixo e branco de origem europeia!  racista e o que vc e!

      • Para seu governo sou negro

        Para seu governo sou negro retinto.

        Se não são os arianos da cidade que querem expulsar os baianos, será quem então ?

        Os pretos da cidade ?

        Só se foram os “pretos alemães”.

        Essas cidades de SC possuem muitas colônias alemães.

  7. O artigo fala da carta e seus

    O artigo fala da carta e seus termos. Alerta para o conteúdo que é um verdadeiro chamamento ao crime. E mais, demonstra a gravidade de pessoas fazerem “justiça” com as próprias mãos, relegando o Estado e suas instituições e suas responsabilidades.

    E ainda vem Leônidas sofismar e relativizar o problema que é levantado. Triste Brasil.

    • Pô, Assis!… confundir uma

      Pô, Assis!… confundir uma coisa chamada Leoncio – ou algo parecido – com o Brasil!… tenha dó!

      Eu, quando vejo algum comentário com esse nome Leoncio – ou algo parecido – passo rápido… dar comida para troll?… prefiro ir na praça aos pombos.

  8. Está faltando ação por parte

    Está faltando ação por parte da Prefeitura de Brusque criando restrições ao barulho na vias e criando multas a serem aplicadas por fiscais de plantão dia e noite na hora em que o  barulho se dá. Simples assim. Sem polícia, sem repressão violenta, sem ação armada à moda nazista dos descendentes de alemães com um cunho racista inconfundível sim, pois dirigido a “baianos”. Será que são todos baianos? Pois aqui em São Paulo, em área nobre, na rua Maria Antonia, alunos do Mackenzie, um dos mais caros colégios e faculdades da cidade, descendentes de brancos, loiros e ricos cidadãos daqui e do interior do Estado se acham no direito de ocupar as calçadas da rua nas manhãs-tardes de sábado fazendo churrasquinho em churrasqueiras a carvão bebendo cerveja e jogando tudo pelo chão, seja garrafas vazias, guardanapos, pedaços de linguiça e não limpando nada quando decidem ir embora meio bêbados. Falta de educação e de civilidade por parte dos descendentes da rica Casa Grande e não de escravos. E aí senhores de Brusque e defensores destas medidas? O que dizem? Querem matar os riquinhos futuros engenheiros, advogados, etc?

  9. Fiscalização

    Moro em Caraguatatuba, cidade litorâneo. Sofríamos com o problema de som alto, de moradores locais e de visitantes.

    Foi feita uma lei municipal mais rigorosa (o limite é de 40 decibéis) em relação ao som de veículo (salvo os comerciais) que além de multa, resulta na apreensão do veículo, recolhe-se o mesmo e só é liberado quando a multa é efetivamente paga, ou seja, o dinheiro entra na conta da prefeitura municipal. Isso costuma levar ao menos uns 3 dias uteis. Se a documentação do veículo estiver irregular, não é liberado o veículo a menos que o proprietário regularize antes a documentação.

    Os agentes de trânsito minicipais, fazem a aferição com um decibelímetro (equipamento que mede o volume do som) e junto com a polícia militar fazem a abordagem e a apreensão do veículo.

    No inicio foram apreendidos vários veículos, mas após alguns anos raramente acontece a apreensão, uma vez que apenas com a orientaçãooral do dono do veículo a respeito da lei municipal é o suficiente para acabar com o som alto.

    Não precisamos ameçar ninguém de morte, seja vindo de Paris, Berlim ou de Itabuna.

    Fiscalização eficiente faz milagres.

     

  10. Se fossem alemães, franceses,

    Se fossem alemães, franceses, italianos, ou até mesmo gaúchos ou paulistas a reação seria a mesma? Tenho minhas dúvidas. 

    De qualquer modo, os moradores de Brusque que elaboraram essa carta-ameaça podem até estar corretos nas suas reclamações contra eventuais ações que pertubam a ordem pública. Entretanto, perdem-na, e pior, incorrem em prática criminosa, quando ameaçam matar seus semelhantes.  

    Isso merece uma reação enérgica do Poder Público. 

    • Ouso afirmar: seria. Barulho

      Ouso afirmar: seria. Barulho deixa qualquer um louco. Ainda assim as ameaças não têm cabimento, só se explicam por desespero ante a ineficiências das autoridades.

  11. A dedução é tua, leonidas, só

    A dedução é tua, leonidas, só tua. Infelizmente, dado o teor criminoso dessa carta, nem o benefício da dúvida quem a redigiu merece. 

    Assim, opino que houve, há, inspiração preconceituosa, sim. 

    • a carta aberta e

      a carta aberta e preconceituosa sem duvida!  mas por outro lado atribuir isso “aos moradores” da cidade e não para um ou dois idiotas e forçar a barra!

      mas tem um outro ponto, e isso não e nada com baianos, paulista, cariocas ou marcianos, não tem coisa mais irritante que um vizinho barulhento que não respeita os costumes locais.  Novamente não importa a origem, mas para que uma carta racista como essa tenha tido um minimo de repercussão e porque alguns tem abusado das regras de convivencia!

       

      PS.: por engano eu cliquei em denunciar a mensagem do colega, por favor desconsiderar!

       

  12. O racismo dos Catarinas

    Moro a 23 anos em Itajaí e até hoje escuto piadinha de carioca sendo vagabundo, “velhaco” (trambiqueiro na linguaguem peixeira) e aproveitador. Normalmente esse tipo de comentário vez de pessoas com baixo índice escolar e ignorantes. Minha esposa que é do Rio Grande do Norte já perguntaram diversas vezes a ela se é “baiana”.

    Santa Catarina é um estado maravilhoso, com um povo tipicamente brasileiro com as suas características regionais e uma sociedade civil que considero “leniente” com esse tipo de “racismo” implícito e provocativo. A reação é igualzinha da polícia, não tem BO, então não vamos fazer nada.

    No ano passado, em plena onda de atentados comandados dentro das cadeias catarinenses, o que mais se ouvia que os atentados não eram de gente de “lá” e sim de “fora”. Eram os cariocas, os baianos e os nordestinos.

    Os orgãos de imprensa empregavam e ainda empregam alguns “colunistas” que são porta – vozes desse tipo de racismo, falando toscamente com diversos erros de português e expressões de calão para mostrarem que são “catarinas” autênticos. Quem não se lembra daquele da RBS, o tal do Prates, que falou que o culpado dos engarrafamentos era o Lula, que elevou muita gente das classes C e D e hoje a maioria tem carro?

    O ministério público catarinense é que teria que ir atrás dessas denúnicas, já que a maioria dos politicos catarinenses se alimentam desta cantinela que são os “catarinas” são europeus que nasceram no Brasil. Estes com certeza não irão atrás das denúncias.

    Quando o PCB existia, lá em Blumenau eles uma vez lavaram o monumento sobre a imigração alemã em protesto contra a estória do “sul é meu” alimentada por uma meia dúzia de idiotas de 1ª linha.

  13. a tatica do terrorismo!

    porque terroristas realizam ataques crueis contra alvos civis, como a Alqaeda faz?  simples para conseguir que os radicais do outro lado generalizem seus ataques contra todos os mulcumanos.  Com essa reação dos reacionarios ocidentais, a Alqaeda espera unir os mulcumanos que se assustam com os radicais do outro lado.

    aqui isso ficou claro, os racistas que escreveram a carta provocaram a reação desproporcional dos radicais do outro lado, que generalizaram o ataque para todos os “arianos catarinenses”,  de forma a tornar a carta um problema menor ante o ataque do racistas do outro lado!

     

     

  14. Preconteito de bandidos

    Nao acreditei  no que li. Carta de bandidos preconceituosos. Justiça neles. Afinal a policia é pra resolver estes tipos de problemas, afinal pagamos seus salarios aatraves de impostos.  Só mostra sua ignorancia, afinal, chamam todos nordestinos de baianos. E olha que o nordeste esta invadido por gauchos, catarinas e paranaense (vide Luis Eduardo).  Antes de qualquer coisa, posso falar, afinal sou gaucha, mas as vezes tbem tenho vergonha de algumas atitudes de certos “gauchos”, e meus pais são catarinenses, de Tubarão, cidade descenentes de imigrangtes italianos, pelo menos mais educados. Decepção com Sta Catarina.

  15. Ma que bando de braquelo

    Ma que bando de braquelo bocó! Tão pensando que tá nas Oropa, éh? Que tem hora prá tudo, lugá prá tudo? Qué isso mano?

    Aqui, não, violão. Aqui tem direitos humanos, direitos fundamentais e direito dos baianos!

    Aqui mano enche a cara de marafo, fuma, xeira, c. , m., p. e fim de pago!!! Nâo gostô, cai fora… Não gostô, bota açucar… Não quer, tem quem queira… Não tem hora, nada, toda hora é hora de festa, ora…

    Só o que fartava…

    Vai te queixá pro Turco…

     

    • Bocó é quem acha que

      Bocó é quem acha que democracia é sinonimo de qualquer um fazer o que acha que deva

      Democracio é o imperio da lei

      E lei nao deve existir só para prender racista ou maluco que queira matar imigirante nao 

      Existe para fazer  migrante vandalo safado e descarado a respeitar o direito dos outros tambem

      Ser sem vergonha nao tem relaçao com geografia nao …

  16. Viva o sossego

    Abaixo o barulho!

    Traço cultural, característica de povo alegre, etc., nada disso. Incivilidade em estado bruto, isso sim.

    Quem acha que encher o saco alheio com som alto é um “direito”: o que seria se todos nós resolvêssemos exercer este direito no mesmo local e na mesma hora? Precisa desenhar mais?

  17. Erro absurdo

    Falta ação da prefeitura e das autoridades locais. É péssimo acordar as três horas da manhã com um “mala sem alça” passando na rua com o som de um pancadão funk nas alturas. Desrespeito, falta de educação e de civilização. Multa e atividades educativas seriam ótimas. Começo sugerindo uma punição exemplar: aulas de teoria musical e 60 minutos por dia de Johann Sebastian Bach por 6 meses.  

    • Moro no sétimo andar, os

      Moro no sétimo andar, os quartos são do lado oposto à rua, e principalmente sexta, sabado e domingo, mas os outros dias também, acordo com cama, vidros e portas vibrando!  Independente de gosto musical, esse volume merecia uma apreensão do carro/equipamento de som, e uma multa de pelo menos 1000 reais. Li aqui que em Caraguatatuba já existe lei que funciona.   Mas…  parece que os deseducados estão se tornando a maioria…

      Cadê o político com coragem para decretar uma lei dessas em SP?

    • Concordo . . .

      . . . com a falta de respeito, Eusper. Afinal tem muita gente que precisa acordas às 3 da matina para pegar às 5 no batentes das fábricas. Mas se fizéssemos uma triagem dos que andam pelas madrugadas distribuindo pancadão pelas ruas tenho certeza que a maioria seria de locais. Nós, baianos, fazemos um barulhinho mesmo é em casa, assando um churrasquinho e tomando umas cervas. Abrs.

    • Usar Johann Sebastian Bach

       Usar Johann Sebastian Bach como punição alem do contra-senso é a prova “cabal de que alguns ouvem

      e se impregnam  de superioridade abjeta .Arte pura de Bach  é acessível a qualquer um  e mais facilmente   ….

      inteligível  pelos sentidos,  antes da explicação , e nunca pelo adestramente  elitista, autoritário e bunda mole.

  18. É SÓ UM TRAQUE

    Nassif & Amigos, sou “baiano” do Ceará, moro em Blumenau faz 11 anos e meu trabalho (técnico em tinturaria) está concentrado na vizinha Brusque. (Aliás, estou acabando de chegar de lá, são pouco mais de 40 km distantes). Pois bem, com o boom econômico da cidade, uma grande parte da mão-de-obra das indústrias locais, principalmente no setor de tingimento de malha e afins, que antes era fornecida pelos paranaenses egressos da sobra de trabalhadores do campo por conta de mecanização, acabou vindo dos estados nordestinos e, curiosamente, até do Pará, a cerca de 3.500 km . Brusque é um cidade ordeira, com muitas oportunidades, e levas de famílias dos fosteiros acabaram se inserindo nesse cenário de oportunidades, por que não? De colonização germânica, polonesa e italiana, principalmente dos alemães, possuem costumes bem diferentes dos nossos irmãos nordestinos, chegados a fazer barulho com som alto fora dos horários normais, o que deve ter ter incomodado uma meia dúzia de gatos pingados. Mas nada que merecesse todo esse barulho que a imprensa vem alardeando. O povo brusquense tem muito mais com o que se preocupar e, principalmente, o que fazer. É somente falta de assunto, mesmo! Abrs.

  19. Pois é

    Com a carta dos catarina, da minha bela e santa catarina, vou aprendendo coisas que não aprendo, ou pior, desaprendo, lendo outros posts do blog.

    Parece que tal do Bolsa -Família não serviu para fixar os nordestinos no Nordeste e que as ações governamentais dos últimos 10 anos também não foram capazes de criar oportunidades para eles para além do programinha neo-liberal, que seria a salvação geral da nação. Ou seja, em 10 anos, parece que o Brasil não mudou tudo isso que falam por aí, graciosa ou profissionalmente.

    • PERGUNTE…

      … aos donos das empresas de Brusque onde eles arrumariam mão-de-obra para dar conta de tanta produção e se eles concordam com esse “traque”, JC. Aliás, o bolsa-família não tinha (tem) o objetivo principal de evitar migrações. E a prova de que as ações governamentais dos últimos dez anos são acertadas é que, mesmo com tanto baiano em Brusque (e em Jaraguá, Apiúna, Blumenau, Indaial, Timbó, Joinville, etc.), ainda falta mão-de-obra, uai!

      • Não entendeu…

        Eu explico:

        Eu quero saber é porque as vagas de emprego não vão para o Nordeste em lugar da mão-de-obra ir para o sul. Era o mínimo a se esperar de um governo com um pouco menos preguiçoso e um pouco mais preparado que esse aí.

        Agora, se você acha realmente que deve ser desse jeito que tem que ser, então tá bom. Mas prá isso não precisava do PT, o sul-maravilha foi criado bem antes do Lula.

        Só espero, de coração que, quando o trabalho desaparecer, a mão-de-obra consiga ter comprado a empresa do patrão, e não precise se engrossar a população do Beco das Cabras ou da Toca da Onça.

         

         

  20. A questão é…

    Boa noite.

     

    Por que depois de 500 anos os brasileiros do nordeste precisam sair em busca de oportunidades no sul

    do país?

    AInda não deu tempo para que os governos locais criassem essas oportunidades? E olha que elas existem!

    Cada migrante (negro, branco, mulato etc.) que o nordeste perde é um consumidor, um contribuinte a mais para o sul.

    Agora, um cidadão a menos é um problema a menos para os políticos, para a elite nordestina. Esta sim, deveria

    ir pra cadeia. Eles são os verdadeiros criminosos.

     

    Abs.

     

    Gelson

    Araquari/SC ( a cidade catarinense que mais recebeu migrantes nos últimos anos, inclusive do nordeste)

     

     

     

     

  21. Pelos comentários publicados
    Pelos comentários publicados aqui lemos literalmente ou nas entrelinhas que muitos concordam com essa barbárie. Tentam justificar o injustificável. O preconceito latente do brasileiro. Não é de se admirar, pois tem gente até hoje que acha o nazismo necessário.

  22. Sem querer assassinar

    Sem querer assassinar ninguém, mas que dá vontade de matar “alguns” que vem com o som no último, isso dá!

    Aliás, dizem que se barulho alto no carro ganhasse as minas, o homem da pamonha era o maior comedor da cidade…

    • Então,
       
      Isto prova a

      Então,

       

      Isto prova a barbárie que vivemos, a certeza da impunidade.

      Obviamente nem precisa entrar no campo do bom senso, da solidariedade.

      E as motos, que saem de fábrica com barulho ensurdecedor, incomodando todo o coletivo na cara dura e a polícia não faz nada? isto é que soma à violência. Querem combatera violência, entre outras coisas, passem a cobrar também da classe média, qualquer tido de abuso.

      Se abrir o escapamento e/ou tiver um barulho acima de determinado decibel, guincha-se.

      Um dia liguei para a polícia reclamando de um idiota com uma moto aqui perto de casa e 190 ficou me intimidando, dizendo que aquilo era bobagem, que eu deveria estar lá para identificar o “meliante”, etc. Todas aquelas conversas de polícia. 

  23. Trololó de cidade pequena

    E daí?

    Como se só acontecesse em Brusque.

    Deixa os caras ouvirem a porcaria deles, o brusquino desconta isso com preconceito.

    Cara isso já velho em São Paulo.

  24. Aqui em Sp.. já existem até

    Aqui em Sp.. já existem até gangs ant Bolivianos, o pau quebra feio  nas madrugadas

    do bairro do Pari, segundo consta  ainda não houve “bolsa familia na  Bolívia e mesmo

    que haja  que eles sejam bem vindos.. sempre..e espertos para não serem  tratados como

    escravos por alguma empresa de “grife.Alguem se lembra de um politico ” Bruno Feder? Que

    tentou barrar a entrada de nordestinos em sp? Tá criando  escola entre os coxinhas de qualquer

    lugar.

  25. De fato catarina é racista

    De fato catarina é racista mesmo (ainda que venham me dizer que existam exceções)

    Agora, paulista também, carioca, mineiro, e assim vai, não me venham com este caô de jogar somente nas costas dos catarinas. Vocês ainda não conheceram paranaenses e paulistas.

    Aliás, brasileiro de uma maneira geral é racista mesmo e vamos parar de hipocrisia (claro, devemos ser menos que um alemão, mas não alivia em nada)

    Fica este joguinho de empurra quando na verdade todos nós temos nossa contribuição. 

    Outra constatação: por quê os nordestinos estão indo se instalar em SC? exatamente porque no interior de SC a população tem decrescido, dai a necessidade de mão-de-obra para movimentar a economia e consequentemente, os excedentes econômicos. Os nordestinos estão ajudando os ricos a ficarem ricos e ainda são discriminados? não tem lógica. Isto prova que nossos ricos são mais burros que os outros.

  26. A questao é mais profunda e atinge a propria Bahia

    Sou baiano de Feira de Santana e vou fazer um comentario ilustrativo mas puramente simbolico: “Se quiserem ajuda para eliminar, contem comigo”

    Venho tocando nessa tecla a anos, mandando emails pra autoridades e professores da UFBA e nada, esse assunto é mais profundo…está vinculada inclusive que com declirio da cultura interna baiana.

    Esse som (particularmente) de merda sendo importo por esses veiculos turbinados ta sendo responsavel inclusive pelo sufocamente da cultura afro de Salvador. Em Salvador você não ver mais Oloduns e Timbaladas..apenas esses bregas, arrichas  e pagodes escrotos. E pior alimentado pela própria mídia baiana.

    Eu sofria muito com isso lá, e vai falar pra um cara desses baixar o som e respeitar os outros..se você falar e tocar pra frente um conflito com esse pessoal  ELES QUE TE ALIMINAM….Isso dentro da própria Bahia…E esdes retardados acham que sua imposição vale em qualquer lugar do mundo, que vão mudar de estado e continuar como eram na Bahia que vai ficar tudo bem.

    Não moro mais na Bahia, moro em Curitiba faz sete anos, já vi casos dos indios peruanos está fazendo um som na praça e chegar um desses carros tocando “arrocha” no machimo forçando os peruanos irem para outro lugar com todos os seus apetrechos…Na Praia de Cabo Sul, próximo a Salvador é comum ter um carro tocando MUITO alto e chegar um outro carro tocando mais alto ainda para sobrepor e assim começa um duelo…Enfim, e eles acham que saindo da Bahia pode levar seus costumes para qualquer lugar que não terá nenhum problema..pois bem..eu já esperava  que reações como a dessa carta fossem acontecer, e entendo.

    Os proprios baianos também tem que fazer suas cartas, mas em vez de eliminar fisicamente esse lixo, deve-se eliminar culturalmente recuperando os antigos festivais de musica brasileira, revelando talentos e pondo aquelas musicas que alegram o espirito de volta nas radios baianas, que nuca deveria ter saido. Carlinhos Brown este ano criou um movimento chamado Afrodromo” no intuito que revitalizar a verdadeira cultura baiana, vamos apoia-lo! 

     

    tenho muito pra falar sobre esse assunto..quem quiser conversar mais comigo pode entrar em contato [email protected]..abraços

  27. Nojo

    É lamentável um povo que se acha superior às demais pessoas e etnias alegando uma suposta pureza racial, ou origem europeia. E olha que pagam para isso com mentiras e falsos testemunhos por puro racismo, como se vê nesse estado catarinense. Sou paranaense e sinto por não ser o RS o estado de divisa com o belo Paraná; alguém tinha que estragar tudo se fixando entre nós, fora raça de hitlerianos nojentos!!!!

    • cuspiu para cima

      É lamentável um povo que se acha superior às demais pessoas e etnias alegando uma suposta pureza racial.E olha que pagam para isso com mentiras e falsos testemunhos por puro racismo

      vc deixa claro que tbm nao tem a capacidade de entender a diferença que não são todos que pensam e agem da mesma maneira. assim como sei que não são todos os paranaenses que são preconceituosos,racistas e contra etinias como vc.

  28. Somos todos Humanos d vivemos no brasil vamos respeitar as diferenças e viver em paz como irmão.
    Sul,Sudeste,Norte,Centro oeste e Nordeste é tudo parte da Republica Federativa do Brasil.
    Por isso temos que combater Discriminação no Brasil. Temos que Combater o Racismo e combater. a Xenofobia.
    O Brasil Unido gerar progresso, segurança e paz para nossa sociedade.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome