Bolsonaro e Flávio afirmam que já visitaram “inúmeras vezes” PMs presos

"Vários foram inocentados e voltaram para seus batalhões, trabalhando desmotivados porque foram abandonados pela Corporação quando mais precisavam", havia defendido Flávio Bolsonaro

Jornal GGN – O presidente Jair Bolsonaro afirmou que seu filho, Flávio Bolsonaro, e ele já visitaram “inúmeras vezes” policiais militares presos. A declaração foi em uma tentativa de minimizar a informação de que Flávio visitou Adriano da Nóbrega, quando o ex-capitão do Bope foi preso.

“Para começar, eu já fui, olha só, bota aí, eu já fui várias vezes no BEP, Batalhão Especial Prisional lá no Rio de Janeiro, eu já fui no presídio da Marinha no passado também, está certo?”, disse Bolsonaro, retrucando a jornalistas, após ser questionado sobre as visitas de seu filho ao ex-policial que foi morto no último dia 9 em Operação da Polícia Militar da Bahia em ação com o Rio de Janeiro.

Nóbrega tinha suspeitas de envolvimento com a milícia acusada pela morte da vereadora Marielle Franco e Anderson. Depois de dar a declaração a jornalistas, Bolsonaro saiu imediatamente e entrou no carro da Presidência.

Um dia antes, Flávio saiu em defesa de Anderson em sua conta no Twitter, dizendo que visitou “inúmeras vezes o Batalhão Prisional da PM (BEP) para ouvir PMs presos injustamente”. “Vários foram inocentados e voltaram para seus batalhões, trabalhando desmotivados porque foram abandonados pela Corporação quando mais precisavam”, escreveu o senador.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Bolsonaro, o vírus letal, por Henrique Matthiesen

3 comentários

  1. Nassif: admiro esse comportamento de amizade e lealdade. Por exemplo, se você for em cana (as probabilidade são inúmeras, na DemocraciaDaBaioneta) eu darei um jeitinho de visitá-lo. Assim fazem os amigos. E esses milicianos são do peito do MessiasDoBras e família. Tem mais é que levar o apoio moral (“tamos contigo e não abrimos”). Como diz o cancioneiro, “amigos são pra essas coisas”…

  2. Primeiro, que se comprove o que dizem pois esta familia vive de mentiras. Segundo, não existe solidariedade por parte destes sujeitos, o que procuram são escudos que os escondam e quanto mais delinquirem estes escudos melhor será. Houvesse realmente atenção com órgãos e profissionais de segurança, eles teriam apresentado projetos factíveis que melhorassem de forma consistente e sustentável suas condições de trabalho. Tiveram anos para isso mas nada fizeram, a não ser incentivar comportamentos criminosos dentro da corporação, seja através da concessão de medalhas ou contratação de familiares de suspeitos para seus gabinetes.
    Por fim, apesar de tudo se mostrar “dentro do plano” bozo deveria aprender que foi a democracia(*) que o colocou na gestao do executivo. Estivessemos num regime de terror e ditadorial, como o que vem tentando implantar, teriamos um general não um simples capitão no poder.

    (*) vale destacar que apesar de democrático, creio que o processo foi manipulado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome