Relatora do decreto de intervenção reclama da ausência de dados

“Estou aqui num imbróglio porque tem alguns textos que deveriam estar no decreto e não estão; É como se você fosse para uma guerra sem saber os recursos que você tem. Não é de pessoal não, é de logística”, disse deputada  
 
laura_carneiro.jpg
(Foto Agência Câmara)
 
Jornal GGN – Mais um elemento se reúne à suspeita de que o decreto de intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro, com o uso ostensivo das Forças Armadas que passam a comandar o setor no Estado, foi uma decisão intempestiva do governo Temer.
 
Ao ler o documento a deputada federal Laura Carneiro (MDB-RJ), favorável a medida e escolhida como relatora do decreto na Câmara dos Deputados, questionou publicamente na Casa a ausência de um plano básico de estratégia e do detalhamento de recursos no decreto. 
 
“Estou aqui num imbróglio porque tem alguns textos que deveriam estar no decreto e não estão. Onde estão os recursos? Qual é a estratégica básica pelo menos? (Falta) pelo menos exemplificar, determinar a base da estratégia, como a contenção das fronteiras do Rio, por exemplo”, disse a deputada, segundo informações do Estado de S.Paulo.
 
“É como se você fosse para uma guerra sem saber os recursos que você tem. Não é de pessoal não, é de logística. Tem que ver como vai ser feito, é uma questão mais técnica. E a gente (vai) especificar recursos da União”, completou.
 
A deputada terá um trabalho além das expectativas normais de um deputado relator, isso porque nesse caso, do decreto de intervenção, o Congresso não tem poder de alterar o teor. Por isso, disse que precisará conversar com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).
 
“Vou conversar com deputado Rodrigo Maia. O decreto fala em usar os recursos do Estado. O Orçamento (para a Segurança Pública) no Rio de Janeiro é de 8 bilhões (por ano), mas quanto efetivamente você tem? A questão é qual a estrutura que basicamente o (general) Braga Neto vai ter?”, explicou Laura.  
 
Logo quando a medida foi anunciada, Maia comparou com “um salto triplo sem rede” onde “não dá para errar”, aparentando estar incomodado com a proposta de intervenção. Leia a matéria na íntegra no Estado de S.Paulo. 
 
 

12 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

aureliojunior50

- 2018-02-19 05:12:01

Ninguem sabe

    Talvez só o GSI de alguma resposta a "nobre" deputada

Não é o Riocentro

- 2018-02-19 03:41:59

A bomba explode no colo e

A bomba explode no colo e finge-se não saber sua origem e nem o seu objetivo. 

ocastro

- 2018-02-19 00:22:29

Relatora do decreto de intervenção reclama da ausência de dados

Senhora deputada federal Laura Carneiro (MDB-RJ) não se preocupe com nada, assim como em 1964 a embaixada AMERICANA provera tudo que for necessário inclusive as propinas para compra de votos no parlamento TOLINHA.

Serjao

- 2018-02-18 19:22:56

Vou conversar com o Maia

Reclama com o chefe.

Resultado de imagem para manifestoches

Moraes

- 2018-02-18 18:55:49

Para que ela quer os dados?

Para que ela quer os dados? Vai abrir um cassino? Se é do PMDB-RJ, deve ser isso. O Cassino da Urca, sob nova direção.

Atreio

- 2018-02-18 16:58:21

o lado de lá da caçada ta

o lado de lá da caçada ta esvaziando....

 

bravos permanecem ao lado dos justos.

aos canalhas restam os covardes.

 

ninguem mais topa estar na foto ao lado de golpista - muito menos de vampirão (com ou sem faixa na avenida, dotô pato.)

Orlando Soares Varêda

- 2018-02-18 16:58:09

Onde esta senhora se

Onde esta senhora se encontrava no dia do golpe e durante esse tempo todo em que os incompetentes bandoleiros do traidor e ladrão mishell treme se acoitaram no Alvorada ? Ou, será que ela está empenhada em debochar com nossa cara?

Até o homem do marketing que planeja a governança dessa quadrilha, que alguns chamam de governo. Olhe! São de uma incompetência monumental, esses velhos-brancos trombadinhas de colarinho branco. Como uns filhos da puta desses, tem coragem de lançar no mercado uma porcaria dessas? Como se fosse um "plano de intervenção militar" para a segurança pública do Rio de Janeiro? Ah!...Vosmecês tão de bricadeira. O pior e mais trágico, é o Exército do país, se permitir envolver numa trapaça ridícula e improvisada, e de inócua eficácia. Diria que é de uma irresponsabilidade, até criminosa. Isso fica registrado general.

Primeiro que os verdadeiros objetivos dessa armação, não visam em absoluto, reduzir índices fajutados e, até identificados pelo general designado para dirigir a pantomima, que enojado, não se conteve, e disse que a tal "violéncia descontrolada tinha muita mídia atrás disso."  Não exatamente nesses termos. Mais, deixou claro que tem muita coisa oculta nessa bandalheira armada pelos mafiosos irmãos marinhos da Globo.

Muitos devem lembrar, quando os canalhas dessa mesma TV Globo, promoviam sistemáticos "arrastões" dominicais contra o governo de Leonel Brizola. Quando eram filmados ônibus repletos de "trombadinhas" descarregando sua mercadoria de Pretos-Pobres, tratando todos como bandidos. Descritos como se invasores fossem, das praias de Copacabana, reservadas aos brancos.

Ora, repetem em parte, a mesma estratégia. São CANALHAS! Muito além do que se possa imaginar.

Orlando

Renato Lazzari

- 2018-02-18 16:18:29

Cara deputada golpista, não

Cara deputada golpista, não adianta fingir-se de alarmada, querer agora tirar o seu da reta, medo de não ser reeleita. Se você não tinha os dados necessários sobre a segurança do Rio, com certeza sabia que apito a sua turma toca. E muito me espanta o fingimento de espanto também do OESP, mais que sabedor da orientação da turma Globo-Cunha-Temer-Dória etc., privatistas em geral.

É apenas o OESP sendo OESP, tocando terror, esfregando na cara das pessoas, ainda que em tom de fingido espanto, que daqui por diante é assim que a banda vai tocar. Só vai piorar e quem quiser se salvar que fique quieto em casa, amargando falta de dinheiro, de aposentadoria, de cidadania, de liberdade. Pode, no máximo, assistir à TV.

Francisco de Assis

- 2018-02-18 16:08:33

Mais uma golpista vigarista da quadrilha do MDB de Temer

Mais uma golpista vigarista da quadrilha do MDB de Temer

Laura Carneiro (MDB-RJ) - mais uma golpista vigarista da quadrilha do MDB de Temer, Eduardo Cunha, Picciani, Sergio Cabral, Moreira et caterva - criando dificuldades para a bandidagem golpista, em troca de qual facilidade?

Canalhas nojentos.

peregrino

- 2018-02-18 15:40:15

e não foi Temer quem desejou...

foi a lava jato.............................

com ela passou a não existir mais nada pontual, incluindo corrupção e insegurança

peregrino

- 2018-02-18 15:27:46

preparem-se para o pior...

porque para que a "salvação pública" dê certo, como a globo quer, é preciso que poder executivo esteja em uma úncia instância........................

vão tomar todo o estado, com legislativo, com tudo

Ugo

- 2018-02-18 15:14:39

assim boia a m....

de vice presidente decorativo à presidente golpista para presidentoche, é assim qie a m#$%@ boia.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador