A bancada social

Palestrante da manhã, Rômulo Paes de Souza, Secretário de Avaliação e Gestão da Informação do Ministério do Desenvolvimento Social, deixou clara a linha evolutiva e continuada das políticas sociais brasileiras.

Desde 1998 com o SUS, o Brasil criou uma burocracia apta a atuar na ponta, e uma universalização das crianças nos serviços básicos, diz ele. A partir daí, aumentou nossa competência em administrar programas. O desafio está na qualidade.
Previsto pela Constituição o Benefício de Prestação Continuada foi implementado em 1996 para pessoas com renda familiar inferior a ¼ do salário mínimo, com deficiências incapacitadas para o trabalho e para a vida independente, e idosos com mais de 65 anos.

A exemplo do SUS, está sendo criada uma bancada da inclusão social que, nos próximos anos, será independente de governos e de partidos.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora