A diplomacia derrotada

De um leitor do Blog que vem acompanhando atentamente a cobertura da imprensa árabe:

Um balanço da imprensa árabe de hoje, somado à mídia européia e americana, dá uma idéia das conseqüências que advirão do conflito Israel-Libano. Existe hoje uma imprensa árabe de alto nível técnico e profissional, especialmente o Kuwait Times, Khaleej Times (Emirados), o Middle East Times (Egito). A TV Al Jazeera tem em Washington um bureau com mais de 100 jornalistas e é hoje respeitada até nos EUA.

As cenas on line das TVs árabes e da CNN (que está cobrindo o conflito com razoável neutralidade) e o que se pode razoavelmente deduzir do ponto de vista de hoje é:

1º Israel não conseguiu e não conseguirá vencer totalmente o Hezbollah, como era seu objetivo tático e estratégico. A milícia tem muita mobilidade, muda de lugar facilmente, pode ir para o norte do Líbano ou para a Síria e já demonstrou capacidade inesperada de enfrentamento do poderoso Exercito israelense.

2º Israel já perdeu a batalha de relações públicas. Fora dos EUA e das comunidades judaicas, a ação israelense é hoje universalmente condenada, não importa quais as razões de Israel.

3º A ação inconclusiva após três semanas de luta violenta está causando sérias fissuras na elite israelense e já começa a produzir tensões inesperadas em Washington, onde um dos Senadores de maior prestigio do Partido Republicano fez ontem à noite um violento discurso rompendo com Bush por causa da “loucura” da ação israelense. Segunda imprensa americana e britânica, a Secretaria de Estado Condolezza Rice ficou extremamente irritada com a quebra do compromisso israelense de trégua humanitária de 48 horas. A palavra dela ficou desmoralizada e Israel aparentemente não toma conhecimento de qualquer conselho de Washington.

4º O desastre humanitário está agravando a situação no Líbano e vai imediatamente atingir ainda mais a imagem de Israel. No Sul do Líbano esta faltando água de beber, comida, medicamentos, colchões e abrigos. Os caminhões com ajuda humanitária da Europa não estão conseguindo chegar de Beirute ao sul do Líbano porque Israel não respeita nenhum caminhão e não dá garantia de passagem nem para ambulâncias da Cruz Vermelha, das quais onze foram atingidas por projeteis diretos israelenses. Registre-se que até o Exército alemão garantia esse direito aos comboios e ambulâncias da Cruz Vermelha durante a 2ª Guerra.

5º Por ultimo, a situação geopolítica no Oriente Média vai ser profundamente alterada por causa da pressão da rua árabe sobre os governos considerados pró-ocidente, especialmente o trio Egito – Jordânia – Arábia Saudita, o que por sua ver esta deixando nervosos os respectivos governos. Alem disso o conflito vai afetar a situação do Irã que agora, mais do que nunca, vai manter seu programa nuclear, com o apoio dos paises árabes, pois ninguém vai aceitar que no Oriente Médio só Israel possa se defender.

6º O ataque israelense vai afetar e muito as relações entre sunitas e xiitas, entre o Hezbollah e a população cristãos libanesa, entre a Al Qaeda e o Hezbollah. Vai também aumentar o fosso entre a oposição e o Governo na Inglaterra e desgastar em todo o mundo a imagem dos Estados Unidos.

Esse é um senhor conflito, de aparente escala regional, mas com efeitos geopolíticos mundiais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora