Bush e os juros

Jantar em Washington. Do lado brasileiro, o presidente Lula e os ministros José Dirceu e Antonio Palocci. Do lado americano, o president George W. Bush e assessors. Dirceu começa a expor os fundamentos da política econômica brasileira, sendo traduzido por um intérprete. Quando menciona a taxa de juros básica da economia, algo como 16 ou 17% ao ano na época, Bush balança a cabeça e chama a intérprete.

Conversa com a intérprete, balança a cabeça, ela vai até Dirceu e pergunta o nível da taxa novamente. Aí Palocci entra na conversa e passa a discorrer, em ingles, sobre o controle das contas públicas e bate na taxa Selic. Quando reafirma o nível da taxa, Bush dá-se conta de que não tinha sido engano da intérprete, começa a rir. Em Wall Street o pessoal ria também, mas pelo menos disfarçava.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora