Dos fatos e das manchetes

Publicado originalmente na “Folha” em 29/07/2000 +

Um breve apanhado do uso da manchete por diversos jornais que cobrem a crise política:

Francisco Lopes informa que almoçou com FHC no dia da crise cambial, que o informou sobre o risco sistêmico do mercado, mas nada disse sobre a operação de salvação dos bancos Marka e FonteCindam.

Manchete: ‘FHC sabia da crise na BM&F, afirma Lopes’.

O empresário Pedro Paulo, da Encol, conta que teve contato com FHC, que se sensibilizou com o pleito da empresa, devido ao fato de ter 22 mil funcionários e 42 mil clientes. FHC incumbiu-o de conversar com Eduardo Jorge. Indignado, Pedro Paulo informa que não conseguiu nenhuma ajuda nem conseguiu viabilizar um único empréstimo.

Manchete de um jornal: ‘FHC pediu por Encol, diz ex-dono’.

Manchete do outro: ‘Ex-presidente da Encol disse que teve promessa de ajuda’.

Outro jornal: ‘Encol: MP vê indícios de tráfico de influência de Eduardo Jorge’.

O jornal da TV fala em suspeitas de vazamento de informações do BC. Ouve o procurador, que diz que vai abrir inquérito. O repórter pergunta: ‘Quais as evidências que o senhor possui?’. O procurador: ‘Nenhuma, mas o inquérito vai levantar’. Isso para 40 milhões de telespectadores.

O ex-diretor de Fiscalização do Banco Central Gustavo Mauch vai prestar depoimento na Justiça sobre operação de salvamento do Marka. O juiz pede que ele explique o tal ‘risco sistêmico’, possibilidade que estava nas manchetes de todos os jornais que cobriram a crise cambial na época. Mauch explica e utiliza termos técnicos que o juiz não entende.

Manchete: ‘Procurador afirma que Mauch se comprometeu porque não conseguiu explicar risco sistêmico’.

José Maria Monteiro, presidente da Brasil Saúde, convoca a imprensa para explicar que jamais teve envolvimento com Eduardo Jorge e que recorreu a ele apenas uma vez, por sugestão de FHC, na condição de presidente da Cosesp -seguradora do governo do Estado de São Paulo-, ameaçada de liquidação pelo Instituto de Resseguros do Brasil.

Manchete: ‘Monteiro confirma ação de EJ na Cosesp’.

Grampo mostra conversa de um diretor de fundo contando como foi buscar ajuda de Eduardo Jorge para enfrentar um conluio de deputados do PPB, liderados pelo notório Eduardo Cunha.

Manchete: ‘Fitas expõem ação de EJ nos fundos’.

Reportagem com Eduardo Cunha em que ele atribui a Eduardo Jorge a indicação do diretor do fundo que, segundo o grampo, resistia ao assédio dele e de sua turma.

Manchete: ‘EJ é acusado de infiltrar amigo em fundo’.

O ministro Pedro Malan presta depoimento, diz que não foi informado do socorro ao Marka e ao FonteCindam e afirma que essa ausência de comunicação ‘não pode fundamentar nenhuma ilação sobre a natureza das operações realizadas’.

Manchete: ‘Procurador diz que suspeita aumentou’.

Pesquisa do Datafolha informa que 45% da opinião pública acha que caso Eduardo Jorge envolve FHC. (…)”

Observação

Seis anos depois, Eduardo Jorge ganha diversas em diversas ações que moveu contra procuradores e jornais.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora