Fotos da guerra

Da Comunidade do Blog

Por Maria Dirce

Luis Nassif

97 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. A pior foto , para mim, foi
    A pior foto , para mim, foi do pai palestino, ao lado de seus tres filhinhos pequenos, mortos por uma bomba de Israel. Essa foto está em muitos jornais de hoje. Infanticídio intolerável!!!
    Essa imagem, que vi otem na net, tirou meu sono, e ainda tem gente que é a favor de guerras!!!

  2. Guerras, guerras. Esta então,
    Guerras, guerras. Esta então, motivada por, motivos religiosos e, pricipalmente, políticos não me gera mais desconforto, angústia do que a quantidade de pessoas que morrem de forma violenta no Brasil todos os dias.
    Como obter um acordo? Unir um povo que se diz o escolhido de Deus (veja a força deste pensamento!) com um que diz que tem a obrigação divina de espalhar sua religião. Ambos com uma visão teocrática de estado.
    Está na hora de ensinarmos aos nossos filhos valores humanos , éticos e morais sem filtros religiosos, sejam eles quais forem.

  3. Discutindo apenas a questão
    Discutindo apenas a questão do conflito em si e tomando o Rio (poderia ser qualquer cidade) como exemplo. Se traficantes ou milícias, que deteem armamento e estão inseridos no meio da população “civil” resolvessem atirar contra os moradores de bairros “normais”, qual seria ou deveria ser a reaçao policial? Confesso que desconheço a solução ( ao que parece a política ou a religiosa jamais virão – haja visto que o conflito é dos tempos bíblicos)

  4. Por que os direitistas são
    Por que os direitistas são tão incensíveis ? .
    Por que os mesmos que apelidam o bolsa família de bolsa esmola são os mesmos que designam os insurgentes iraquianos e palestinos de terroristas ? .
    Será que o J.Serra aceita o apoio dessa gente sem nenhum constrangimento ? .
    TUDO MUITO DEPLORÁVEL .

    Saudações !

  5. Nassif, me desculpe, mas
    Nassif, me desculpe, mas parece que o Estadfo de Israel aprendeu a lição de Hitler direitinho e sofisticou os métodos.
    Penso que fica cada vez mais dificil para os Judeus justificarem o Holocausto, quando fazem pior do que foram feito a eles.
    Nada jusutifica esta barbarie.
    Como dissem: a criatura superou o criador.

  6. Eu não tomarei partido nessa
    Eu não tomarei partido nessa guerra. Não posso apoiar loucos sádicos ou malucos fanáticos. O mundo civilizado deveria se unir contra os dois lados, antes que eles destruam a si ao máximo de pessoas e países que conseguirem arrastar para o conflito. Quem procura acha e ambos estão encontrando a destruição, a morte, o ódio, a carnificina, a covardia o militarismo do cotidiano e a desagregação que parece ter sido a grande ambição deles. Ficar ao lado de palestinos ou israelenses me parece uma insanidade tão grande quanto esse conflito.

  7. Sobre textos longos e a
    Sobre textos longos e a guerra:

    Os livros de Sarney são relativamente curtos.

    O livro Guerra e Paz ultrapassa mil páginas.

    Quem é mais lido?

    O único desconforto de liberar textos longos é pro blogueiro.Que tem que le-los.

    Por isso essa discussão não tem sentido pra comentaristas.Não gosta de textos longos? Não leia.Simples assim.

    SOBRE A GUERRA( É LONGO,LEIA QUEM QUISER)

    Saliento o fim da crônica:A ignorância tem cura.A estupidez é que não.

    E por que não dou só o link? Porque nem todos sãp assinantes Uol ou da Folha.

    LÁ VAI:

    JOÃO PEREIRA COUTINHO

    Mudar as palavras

    ——————————————————————————–
    Imaginem o Brasil atacado por potências, que desejavam aniquilar cada um dos brasileiros
    ——————————————————————————–

    ISRAEL ESTÁ novamente em guerra com os terroristas do Hamas, e não existe comediante na face da Terra que não tenha opinião a respeito. Engraçado. Faz lembrar a última vez que estive em Israel e ouvi, quase sem acreditar, um colega meu, acadêmico, que em pleno Ministério da Defesa, em Jerusalém, começou a “ensinar” os analistas do sítio sobre a melhor forma de acabarem com o conflito. Israel luta há 60 anos por reconhecimento e paz.
    Mas ele, professor em Coimbra, acreditava que tinha a chave do problema. Recordo a cara dos israelenses quando ele começou o seu delírio. Uma mistura de incredulidade e compaixão.
    Não vou gastar o meu latim a tentar convencer os leitores desta Folha sobre quem tem, ou não tem, razão na guerra em curso. Prefiro contar uma história.
    Imaginem os leitores que, em 1967, o Brasil era atacado por três potências da América Latina. As potências desejavam destruir o país e aniquilar cada um dos brasileiros. O Brasil venceria essa guerra e, por motivos de segurança, ocupava, digamos, o Uruguai, um dos agressores derrotados.
    Os anos passavam. A situação no ocupado Uruguai era intolerável: a presença brasileira no país recebia a condenação da esmagadora maioria do mundo e, além disso, a ocupação brasileira fizera despertar um grupo terrorista uruguaio que atacava indiscriminadamente civis brasileiros no Rio de Janeiro ou em São Paulo.
    Perante esse cenário, o Brasil chegaria à conclusão de que só existiria verdadeira paz quando os uruguaios tivessem o seu Estado, o que implicava a retirada das tropas e dos colonos brasileiros da região. Dito e feito: em 2005, o Brasil se retira do Uruguai convencido de que essa concessão é o primeiro passo para a existência de dois Estados soberanos: o Brasil e o Uruguai.
    Acontece que os uruguaios não pensam da mesma forma e, chamados às urnas, eles resolvem eleger um grupo terrorista ainda mais radical do que o anterior. Um grupo terrorista que não tem como objetivo a existência de dois Estados, mas a existência de um único Estado pela eliminação total do Brasil e do seu povo.
    É assim que, nos três anos seguintes à retirada, os terroristas uruguaios lançam mais de 6.000 foguetes contra o Sul do Brasil, atingindo as povoações fronteiriças e matando indiscriminadamente civis brasileiros. A morte dos brasileiros não provoca nenhuma comoção internacional.
    Subitamente, surge um período de trégua, mediado por um país da América Latina interessado em promover a paz e regressar ao paradigma dos “dois Estados”. O Brasil respeita a trégua de seis meses; mas o grupo terrorista uruguaio decide quebrá-la, lançando 300 mísseis, matando civis brasileiros e aterrorizando as populações do Sul.
    Pergunta: o que faz o presidente do Brasil?
    Esqueçam o presidente real, que pelos vistos jamais defenderia o seu povo da agressão.
    Na minha história imaginária, o presidente brasileiro entenderia que era seu dever proteger os brasileiros e começaria a bombardear as posições dos terroristas uruguaios. Os bombardeios, ao contrário dos foguetes lançados pelos terroristas, não se fazem contra alvos civis -mas contra alvos terroristas. Infelizmente, os terroristas têm por hábito usar as populações civis do Uruguai como escudos humanos, o que provoca baixas civis.
    Perante a resposta do Brasil, o mundo inteiro, com a exceção dos Estados Unidos, condena veementemente o Brasil e exige o fim dos ataques ao Uruguai.
    Sem sucesso. O Brasil, apostado em neutralizar a estrutura terrorista uruguaia, não atende aos apelos da comunidade internacional por entender que é a sua sobrevivência que está em causa. E invade o Uruguai de forma a terminar, de um vez por todas, com a agressão de que é vítima desde que retirou voluntariamente da região em 2005.
    Além disso, o Brasil também sabe que os terroristas uruguaios não estão sós; eles são treinados e financiados por uma grande potência da América Latina (a Argentina, por exemplo). A Argentina, liderada por um genocida, deseja ter capacidade nuclear para “riscar o Brasil do mapa”.
    Fim da história? Quase, leitores, quase. Agora, por favor, mudem os nomes. Onde está “Brasil”, leiam “Israel”. Onde está “Uruguai”, leiam “Gaza”. Onde está “Argentina”, leiam “Irã”. Onde está “América Latina”, leiam “Oriente Médio”. E tirem as suas conclusões. A ignorância tem cura. A estupidez é que não.

  8. Nassif,
    a manchete não me
    Nassif,
    a manchete não me parece apropriada. Em Guerra pressupõe-se duas nações medindo forças, sob a batuta da Convenção de Genebra. O que se está vendo na Faixa de Gaza é simplesmente um massacre. E antes que alguém venha me acusar de anti-semita vou logo dizendo que nem todos os judeus concordam com essa sanha sanguinária, e tenho a satisfação de dizer que sou casa com uma judia. Até hoje nunca brigamos…

  9. Outro artigo interessante no
    Outro artigo interessante no NYT: a coluna de David Brooks, “A guerra da confiança”, que analisa o conflito em termos estratégicos, onde o efeito procurado é o impacto psicológico sobre o adversário e não alguma vitória ou uma posição de vantagem numa futura negociação de paz.

    Claro que é uma visão com o prisma exclusivo de Israel, mas não deixa de mostrar uma perspectiva diferente do conflito.

    http://www.nytimes.com/2009/01/06/opinion/06brooks.html?th&emc=th

  10. Enquanto M&M lá permanecerem,
    Enquanto M&M lá permanecerem, quem ingressar será cooptado?
    http://www.congressoemfoco.com.
    ”Corre-se o risco de uma hiperconcentração de poder”
    A atuação cada vez mais intensa do Supremo Tribunal Federal (STF) nas decisões políticas tem provocado uma concentração de poderes nas mãos dos 11 ministros e a distorção do sistema republicano, afirma o deputado Flávio Dino (PC do B-MA). Ele quer acabar com a vitaliciedade dos ministros, fixando prazo de permanência no cargo, como forma de evitar a submissão da política por uma “aristocracia judiciária”.

  11. É simplesmente um abusurdo
    É simplesmente um abusurdo isto.
    A maioria dos soldados israelenses mortos foi por fogo-amigo, conforme acabei de ler em diversos jornais.
    Depois vem falar de ataques com precisão cirurgica. Absurdo!
    Mai esta carnificina dá razão aos que chamam Israel de Estado Terrorista!
    Abaixo estes governos terroristas em Israel e nos EUA. Israel e a Palestina não merecem isto!

  12. Considerando que Israel
    Considerando que Israel controla as áreas ainda ocupadas pelos palestinos (até o dinheiro para as funções de governo passa por eles), o que está acontecendo seria bastante semelhante ao exército bombardear as favelas, porque nelas há traficantes. Israel é uma vergonha para a humanidade.

  13. Um fato interessante.

    No
    Um fato interessante.

    No edittorial de hoje, “Incursão em Gaza”, o New York Times defende que que Israel finalize suas operações “o mais cedo possível”. O editorial é bastante ameno em relação aos ataques de Israel na Faixa de Gaza.

    Até aí nada surpreendente, visto que a grande imprensa americana sempre apoiou um lado só.

    Surpreendente foi a reação dos leitores. Há comentários pró e contra Israel. Só que os comentários críticos à ação israelense são fortes, severos e os mais recomendados pelos próprios leitores (há um dispositivo de recomendação para cada comentário na página).

    É só comparar abaixo. Na verdade isto demonstra uma virada extraordinária na opinião pública americana.

    http://community.nytimes.com/article/comments/2009/01/06/opinion/06tue1.html

  14. Toda e qualquer guerra é um
    Toda e qualquer guerra é um grande absurdo, a contramão da civilidade. Agora quando ela é praticada por um povo que ha poucas décadas foi vitima de outra guerra, o problema é mais serio para a humanidade. É a prova de que o sofrimento não ensina, não torna o homem melhor. Fica a grande duvida se a espécie humana tem alguma chance de evoluir para uma convivência melhor.

  15. nassif:
    vi o embaixador
    nassif:
    vi o embaixador aposentado mello franco classificar as ações de israel como crimes de guerra.e ele não chega a ser um revolucionário.também não pode ser declarado terrorista.me parece até que representou o brasil no vaticano.
    sobre o new york times, de que fala o weden,acho bom olhar quem são
    os donos do jornal.
    romério

  16. Weden,penso que abaixo é
    Weden,penso que abaixo é explicativo!
    The Board has determined that each of Ms. Barnes, Messrs. Cesan, Kennard and Kilts, Dr. Liddle, Ms. Marram, Dr. Middelhoff and Ms. Toben are independent, and that, assuming they are elected, Messrs. Denham, Galloway and Kohlberg and Ms. Lepore will be independent. Of the remaining Directors, Messrs. Sulzberger, Jr. and Golden and Ms. Robinson are executive officers of the Company, Ms. Dolnick is a cousin of Mr. Sulzberger, Jr. and a sister of Mr. Golden and Mr. Cohen is a cousin of Messrs. Sulzberger, Jr. and Golden. Due to their family relation to Messrs. Sulzberger, Jr. and Golden, Ms. Dolnick and Mr. Cohen, who are cousins, are not considered independent.

  17. Há acusações de médicos
    Há acusações de médicos palestinos de que Israel esta usando bombas de fósforo que causam queimaduras gravíssimas. Esse tipo de bomba teve a sua utilização proibida por convenções internacionais. Israel utilizou esses artefatos na guerra contra o Hizbollah

  18. Quantas mentiras, tantas
    Quantas mentiras, tantas barbaridades cometidas. A cobertura do conflito entre palestino e jusdeus nos dar a dimensão do tipo de imprensa que temos, hooje, no mundo ocidental. Desmitifica a nossa pluralidade e democracias. Põe em xeque a utilidade da ONU para mediar de maneira justa e transparente os conflitos entre nações. afinal, não está na hora das nações procurarem criar um novo organismo internacional onde o imperialismo não prevaleça? Que vergonha!

  19. Aqui do Alto Xingu, os índios
    Aqui do Alto Xingu, os índios denunciam a falácia dos sofismas do Anarquista, em texto acima, e lembram que, em novembro de 1947 a Assembléia Geral da ONU recomendou a divisão tripartite da Palestina em um estado árabe (para os palestinos), um estado judeu e uma pequena zona administrada internacionalmente que incluiria Jerusalém (então sob controle imperial britânico).

    Israel só foi aceito na ONU sob a condição de que permitisse aos refugiados palestinos o direito de retorno, eis que haviam fugido da violência que irrompeu na Palestina a partir da criação do Estado de Israel.

    Embora tivesse declarado que acataria a recomendação da ONU — condição para seu ingresso na organização — Israel descumpriu não só essa promessa, como centenas de outras emanadas desse organismo internacional. Daí originou-se o conflito.

    Em maio de 1948, quando o estado sionista foi formalmente fundado, cerca de 300.000 palestinos já haviam sido EXPULSOS de seus lares e fugido da luta, e os sionistas controlavam uma região MUITO ALÉM da área do Estado judeu original proposto pela ONU.

    Ora, foi ENTÃO que Israel se viu atacado por seus vizinos — em maio de 1948; foi então DEPOIS que os sionistas haviam assumido o controle dessa parte muito mais ampla da região, e centenas de milhares de civis haviam fugido, e não ANTES. Essas informações constam do livro “Para Entender o Podert”, do judeu de Noam Chomsky (Ed. Bertrand Brasil).

    O próprio Ben Gurion, em suas memórias “The Fateful Triangle”, afirma que Israel não deveria aceitar nenhuma fronteira, independente de se houvesse paz ou não, porque os limites do que ele chamava “aspirações sionistas” são muito mais amplos: incluem o Sul da Síria, a Transjordânia, grandes áreas que ele traçou.

    E disse: “Neste primeiro momento, vamos aliviar, mas de qualquer forma, em última análise, vamos pegá-los todos”: de fato, com relação ao Líbano, Ben-Gurion estava propondo que Israel tomasse o Sul do Líbano, sob alguem pretexto, já em meados dos anos 1950.

    A resolução da Onu sobre a divisão da Palestina em 1947 rigorosamente falando, não pedia dois Estados, pedia, realistamente, a criação de uma confederação econômica, porque as regiões simplesmente são muito estreitamente integradas, as fronteiras são muito difíceis de determinar e era óbvio que não iria funcionar a criação de dois Estados.

  20. Realmente a ignorância não
    Realmente a ignorância não tem limites.

    Querer comparar o poderio bélico de ISRAEL (diga-se EUA) ao poder bélico do Hamas é coisa de gente sem um pingo de inteligência.

    Se é verdade que o Hamas pratica terrorismo é inquestionável que Israel pratica genocídio.

    Não era de se esperar outra coisa dos soldados israelenses, reconhecidamente os mais covardes do planeta (acostumados a matar crianças, mulheres e idosos que lhes atiram pedras com tiros de fuzil).

    Pior ainda é achar que os leitores do blog são idiotas.

  21. Já leram a carta aberta de
    Já leram a carta aberta de acadêmicos norte-americanos a Barack Obama, no site do Idelber Avelar, O Biscoito Fino e a Massa? Quisera eu estar lá para assinar. Mas já assinei outra liderada por acadêmicos da USP, que circula no Petition online.

  22. Anarquista

    Menos, menos.

    O
    Anarquista

    Menos, menos.

    O artigo que você transcreve é apenas estúpido.

    Nada mais que isso. Só quis defender Israel.

    É evidente que Israel tem o direito de se defender, embora não tenha direito de ocupar indefinidamente a terra alheia.

    Mas o Estado Israelense não pode se voltar de forma selvagem contra civis – justamente o aspecto absurdo dos terroristas.

    Bombas de fragmentação, bombas de fósforo, ataques indiscriminados a mesquitas, hospitais e escolas são indefensáveis.

    Não tente parecer com aquele jornalista que de tão imparcial era mórbido:dava meia palavra para os nazistas e a outra metade para os judeus, para garantir a igualdade de participação.

    Lembre-se que as críticas têm surgido de tradicionais aliados, como os países europeus.

    Defender massacres não combina com gente civilizada.

    Portanto, menos, menos.

  23. Atenção José Robson, uma ida
    Atenção José Robson, uma ida ao velho testamento, relaciona-se com os filhos de Abraão… e por aí vai. Pelo menos bibicamente parece que aí remonta. Mas como já cansamos de ver lutas entre todos, deve haver outras explicações, talvez até mais antias.

  24. LN

    Eu vi que estava faltando
    LN

    Eu vi que estava faltando alguém ontem, que pena.

    Mas fico feliz e honrada com tão distinta presença hoje, além de ser contemplada com a resposta de um assunto que ficou no passado.

    Não vou perder tempo, indo ao histórico do blog, onde se fala textualmente sobre o assunto, de um modo inverso.

    LN

    Não gosto destas fotos porque elas me fazem mal. E olhe que já vi muita coisa triste no sertão deste país e nas suas regiões ribeirinhas.

    Até hoje não me sai dos olhos a foto daquelas três crianças mortas. Em alguns pontos eu sou muito fragilizada. Em outros sou dura na queda. Mas o pesar do outro me derruba.

    Nada mais me tira do eixo do que o sofrimento humano, principalmente quando se refere a idosos e crianças.
    E eu nem ao menos quero saber de que lado está acontecendo a barbaridade.

    Vou passar por estas fotos de olhos fechado. Estão me machucando o coração, apesar da realidade retratada.

    Continuo na minha campanha pela assinatura daquela carta. Por favor, se possível, faça o mesmo.

    Abraços!

  25. Muito interessantes os
    Muito interessantes os comentários aqui. Falam em “massacre”, “força desproporcional”, etc.

    Talvez Israel devesse desligar as sirenes e proibir a construção de abrigos anti-bomba para que os foguetes do Hamas matassem mais israelenses, a fim de “proporcionalizar” (?!) a guerra.

    Ou talvez Israel devesse fabricar uns foguetes caseiros para lançar em Gaza todas as vezes que o Hamas lançasse um foguete contra Israel.

    Assim os leitores do blog do Nassif ficariam felizes e a paz chegaria ao Oriente Médio.

    Matar população civil é mais eficiente. Assim, você ficará mais contente.

  26. Anarquista, por favor,
    Anarquista, por favor, encaminhe ao JOÃO FERREIRA COUTINHO, a quem você atribui a autoria do texto, a dúvida de mais um “comediante”: o que ocorreu antes do marco inicial da história dele?! Ou ainda: quais acontecimentos históricos desencadearam os fatos narrados na história dele?!

    P.S.: Confesso que sou ignorante no tema, não conhecendo a gênese do conflito (por isso minha dúvida). Mas também não sou muito fã de explicações sofismáticas, do tipo: “tem-se que acreditar na palavra de Deus!” – todavia, e o porta-voz?! Parece que faltou algo nesse “silogismo”. Mas, enfim, comediante por comediante… Deixe para lá….

  27. Jose Robson:
    Jose Robson:

    Não entendi o quis dizer.

    mesmo assim irei pegar esse gancho.

    Antes do marco inicial da história dele,presuma pelas guerras da antiguidade,não havia um cara que amarrase uma bomba na cintura e matasse umas trocentas pessoas.

    TODOS CIVIS(esqueci de escrever pro WEDEN)

    VOU REPITIR:

    TODOS CIVIS.

    Quando o terrorismo ataca,de tão covarde que é, só ATACA CIVIS.

    E ele não quer nem saber quantas crianças serão mortas.

    Isso tem efeito prático? Quando foi ?

    NUNCA.

    M.L.K. ganhou uma causa sem disparar um único tiro.Nem foi líder de movimentos terroristas.O contrário:Foi morto por eles e pelos preconceituosos.Mas agora deve estrar feliz;O negro OBAMA foi eleito o homem mais poderosos do mundo.M.L.K. VENCEU.

    E o que dizer de outro espetacular vencedor?

    Nelson Mandela tbm não colocou bombas na cintura.E nem mandou seus seguidores colocarem.Nunca disparou um tiro.

    E TBM VENCEU.

    A nascência do terrorismo já é perdedora.

  28. Neves:

    Vc tem
    Neves:

    Vc tem toda razão.

    É UMA FABULIZINHA bem fajuta.Concordo plenamente.

    Porém,

    Tem um ingrediente de verdadeiro nessa fábula mediocre( e bota mediocridade nisso)

    Sabe qual é?

    Embora paupérrima,é verddaeira.

    Quando foi que o terrorismo venceu?

    O mundo está repleto do mal.( inclusive a prepotente ISRAEL)

    mas ela não será vencida por terroristas.

    Numa escala de valores,não consigo imaginar NINGÉM pior que um terrorista.

    NEM MESMO ISRAEL.

  29. WEDEN ESCREVEU:

    Paulo
    WEDEN ESCREVEU:

    Paulo Roberto Kautscher

    Você conseguiu partidarizar o conflito internacional, ou é impressão minha?

    o governo brasileiro não condena as FARCS.(inclusive senta na mesa DE NEGOCIAÇÕES)

    Se o governo brasileiro não condena as FARCs tbm não pode condenar o HAMAS.

    Ou tem diferença por princípios?

    Qual a diferença das fARCS com o HAMAS?

    Eu te digo:

    O HAMAS ainda tem ”’motivos” mais nobres.

    AS FARCs tem algum motivo supostamente nobre?

    Ah….li hoje que o Equador tbm está fechando as fronteiras pras Farcs.E disseram um montão contra elas.

    Então por que aquela celeuma toda quando alguns líderes das Farcs foram mortos pelos colombianos em território do EquaDOR?

    Cairam na real?

    Ou seria ”invasão de espaço”?

    Olha aqui…

    Pra exterminar terroristas,todo espaço deveria ser livre.

    Porque a paz só se dará com o diálogo.

    E terrorista precisa fazer um curso de trocentos anos,apenas pra aprender o significado da palavra diálogo..

    SEM CHANCE.

    MORTE AOS TERRORISTAS.

  30. Anarca,

    Li até onde o saco
    Anarca,

    Li até onde o saco permitiu o texto do portuga, o tal João Pereira Coutinho. Descobri uma coisa: ele deve ser o ghost writer de A Favorita. Ô dramalhão, sô! Só falta ele vir com a conversa de que aquilo é a terra prometida, de um povo que foi eleito (mas ninguém viu o escrutínio), que os árabes estão lá “só” há 1300 anos, etc.. Ou seja, os caras criam um estado nação de repente, do nada, num jogo estratégico das grandes potências, dão o “direito” de usurparem terra alheia, montam um grande mercado de venda de armas e uma jogada para ter petróleo barato e abundante, e nós temos que acreditar em “verdades” bíblicas. Cá entre nós: que fabulazinha rastaquera, fajuta e cretina, não?

  31. Nassif,

    Falando em matar
    Nassif,

    Falando em matar população civil, pq será que nos jornais a gente praticamente só vê fotos de crianças e famílias palestinas mortas ou chorando seus mortos? Será que é porque os civis palestinos mortos nos ataques de Israel são usados como arma de propaganda pelo Hamas?

    Talvez venha daí a absoluta falta de interesse do Hamas em proteger a população civil de Gaza… O governo de Israel tenta – e, em certa medida, consegue – proteger os seus civis, enquanto que o governo do Hamas adora quando Israel cede “mártires” para estampar capas de jornal no tal Ocidente.

    É a mesma coisa com relação aos refugiados das guerras que se sucederam à criação de Israel. Os judeus expulsos dos países muçulmanos foram integrados à população israelense, enquanto que os palestinos expulsos são mantidos em acampamentos insalubres nos países vizinhos. Não são integrados pois sempre poderão ser usados como arma de propaganda ou álibi para o terrorismo.

    Para o final, um último devaneio: e se as armas de Israel estivessem nas mãos do Hamas, que ainda prega a destruição do Estado de Israel? O que aconteceria?

    Isso. O Hamas mata criancinhas e bota culpa em Israel. Se as armas de Israel estivessem nas mãos dos Hamas, todas as pessoas de boa vontade estariam criticando o Hamas, e não Israel.

  32. Paulo Roberto Kautscher

    Você
    Paulo Roberto Kautscher

    Você conseguiu partidarizar o conflito internacional, ou é impressão minha?

    “Esqueçam o presidente real (brasileiro), que pelos vistos jamais defenderia o seu povo de agressão”

    Será que quando tratarmos da teoria da relatividade,você vai acreditar que existe uma física petista e outra tucana?

    Sinceramente,

  33. Luis,ano
    Luis,ano retrasado,2007,estive em corumbá para conhecer o pantanal e o rio paraguai(recomendo a todos,sobretudo na semana do festival da America do Sul),onde a comunidade de Palestinos e razoavelmente grande e organizada,tendo até uma associaçao na cidade.Em uma loja da cidade, de palestinos,haviam tres deles conversando no fundo,todos ja avançando na terceira idade,e o assunto era os judeus;eles destilavam um ódio arraigado desde que tiveram que emigrar para o brasil,foragidos da palestina.Creio que para que essa matança desproposital acabe definitivamente,é necessário “descontaminar do ódio recíproco” as geraçoes vindouras, como aconteceu no japão pós bomba atomica.Desconstruir o ódio nas crianças palestinas e judias agora , permitirá uma paz duradoura no futuro. Uma imagem vale mais que mil argumentos,abraço

  34. Não, Nassif. Se as armas de
    Não, Nassif. Se as armas de Israel estivessem nas mãos do Hamas, Israel já teria sido destruído e sua população teria sido dizimada. A não ser, é claro, que houvesse um novo “Dia D” e os EUA invadissem aquela terra.

    Afinal, o programa do Hamas prega, explicitamente, a destruição do Estado de Israel.

    E, sim, o Hamas “mata criancinhas” ao expô-las ao perigo de maneira criminosa. Ou será, realmente, que você não acredita que o Hamas use civis como escudos humanos?

    Prezado, a força do Hamas depende do apoio da opinião pública palestina. Acredita que teria se fizesse isso que você afirma?

  35. Caro Weden,
    leia, por favor.
    Caro Weden,
    leia, por favor. o artigo de João pereira Coutinho, postado pelo anarquista.

    “Pergunta: o que faz o presidente do Brasil?
    Esqueçam o presidente real, que pelos vistos jamais defenderia o seu povo da agressão.
    Na minha história imaginária, o presidente brasileiro entenderia que era seu dever proteger os brasileiros e começaria a bombardear as posições dos terroristas uruguaios. Os bombardeios, ao contrário dos foguetes lançados pelos terroristas, não se fazem contra alvos civis -mas contra alvos terroristas. Infelizmente, os terroristas têm por hábito usar as populações civis do Uruguai como escudos humanos, o que provoca baixas civis.
    Perante a resposta do Brasil, o mundo inteiro, com a exceção dos Estados Unidos, condena veementemente o Brasil e exige o fim dos ataques ao Uruguai.
    Sem sucesso. O Brasil, apostado em neutralizar a estrutura terrorista uruguaia, não atende aos apelos da comunidade internacional por entender que é a sua sobrevivência que está em causa. E invade o Uruguai de forma a terminar, de um vez por todas, com a agressão de que é vítima desde que retirou voluntariamente da região em 2005.
    Além disso, o Brasil também sabe que os terroristas uruguaios não estão sós; eles são treinados e financiados por uma grande potência da América Latina (a Argentina, por exemplo). A Argentina, liderada por um genocida, deseja ter capacidade nuclear para “riscar o Brasil do mapa”.

    Eu coloqueis as “aspas’, durante a formatação desapareceu.

  36. Chato,

    Por favor, reproduza
    Chato,

    Por favor, reproduza aqui pra gente algumas linhas do programa do Hamás que pregam explicitamente destruição do estado de Israel.

  37. LN

    Alguns artigos postados
    LN

    Alguns artigos postados trazem-nos ânsia de vômitos.
    E eles nem sabem que toda truculência esconde uma série de posturas internas mal resolvidas.

    Alguns aqui não discutem a vida, mas a morte. Isto porque a própria vida não tem valor algum para si.

    O ponto principal da discussão deveria se dar com o intuito de proteger milhares de civis que tombam, principalmente do lado mais fraco.

    O que não significa que o lado mais forte, armado até os dentes, não passe também pelo mesmo sofrimento com a morte dos seus.

    Qualquer criança ainda não-alfabetizada sabe que a violência gera mais violência. É como uma erva-daninha.

    Cada palestino (visto aqui como terrorista) que tomba, faz nascer dezenas deles, pois os tentáculos da violência são fortes como os dos baobás. E a revolta é a matéria que dá sustentação à violência.

    Não podemos nos esquecer da história dos esfarrapados vietnamitas em guerra com o Império do Tio Sam.

    A História Humana dá muitos saltos e nos traz muitas surpresas. Se poder fosse sinônimo de vitória, o Império Romano ainda estaria a dominar o mundo.

    O que falta em nós é o espírito de caridade, de sensatez, de humanidade, de compaixão.

    De longe, somos advogados do diabo, olhando apenas em uma direção.
    Não somos aqueles que levam a paz, mas “cristãos” de meia- tigela.
    Ao contrário, sentimo-nos seduzidos pelas tragédias de outras famílias.

    Temos que nos ajuntar em benefício da paz, pois só assim seremos considerados SERES HUMANOS.

    Abraços!

  38. É doloroso ler as notícias
    É doloroso ler as notícias sobre a matança em Gaza, ver as fotos de crianças mortas carregadas pelos pais. A cobertura da imprensa não tem a mesma sensibilidade, tem viés político. Sempre.
    Pra que serve a ONU, a OTAN ?

  39. WEDEN:

    Eu não
    WEDEN:

    Eu não escrevi que Israelita é pacifista.

    Eu não escrevi isso.

    Israel está retaliando( o que é diferente)

    E vc me manda ler sobre o ataque maciço? Não endi nada.

    Mas agora vamos pro polticamente INCORRETO:

    Pra começo de conversa,não gosto de judeus.

    porque são excessivamente materialistas.

    Mas o fato de eu gostar ou não,não muda o meu senso de justiça:

    O HAMAS ESTÁ ERRADO.

    Aliás duplamente errado:

    Primeiro porque é terrorista.

    Segundo,ele lembra minha infância:

    ”VAI LÁ E DÁ UM PONTAPÉ NAQUELE GRANDÃO,PRA NÓS ”ARRUMAR” UM PRETEXTO PRA BATER NELE”

    Acontece que o HAMAS dá um pontapé no grandão, E APANHA DELE

    Não vejo vantagem nissso,Vc Vê|?

    Se seguir o que escrevi neste Post,ENTENDERÁ o quero dizer.

  40. Pra quem não entende:
    Pra quem não entende:

    Idealista de verdade NÃO dá valor pra própia vida( difícil entender?)

    Mas dá VALOR PRA vida dos outros( ficou mais difícil ainda?)

    É fácil explicar:

    O idealista dá valor pra aqueles que o seguem( causa),e tão pouco se incomomdando com a vida dos contrários a sua opinião.

    Digamos que é um Deus.

    Estou me refirindo a idealistas terroristas.

    Ou eles perdem o sono quando matam milhares com uma bomba amarrada na sua cintura? Ou se incomodam quantas crianças mataram?

    Não se incomodam com quantas crianças mataram com sua covardia,mas usam desse expediente chantagista PRA DIVULGAREm fotos pro mundo se condoer.

    Além de covardes,são uns safados e sem vergonha.

    MORTE AOS TERRORISTAS!!!

  41. Soy Contra

    Não faz isso
    Soy Contra

    Não faz isso comigo,não.

    Vc copia a história.

    Eu sou um sobrevivente dela.

    Notou a diferença?

    MORTE AOS TERRORRISTAS!!

  42. Acabei de ler no UOL: Israel
    Acabei de ler no UOL: Israel ataca escola que estava sendo usada como abrigo pela ONU, causando a morte de 40 pessoas. A porta voz da ONU Elena Mancus afirma que Israel sabia se tratar de de uma instalacao da ONU, pois sabem todas as localizacoes. Afirma, tambem, que estao testemunhando um ataque sem precedentes por parte de uma potencia militar sofisticada em das zonas com alta densidade demografica do mundo e que a populacao vitima da guerra ¨e proibida de fugir em busca de seguranca¨ por causa do ferrenho bloqueio israelense nas fronteiras. Aliado a tudo isto, um bloqueio de 18 meses nas importacoes para Gaza por parte de israel, sem falar nas 200 colonias de judeus em territorio que a ONU reconhece como pertencente aos Palestinos. So ha uma conclusao: Israel e um Estado terrorista e assim deve ser tratado pelo mundo. Ai estao algumas das razoes pelo crescente sentimento de anti-semitismo. pelo mundo.

  43. Tanque nazionista dispara por
    Tanque nazionista dispara por duas vezes a queima-roupa sobre a Escola da ONU, onde civis palestinos pensavam estar em alguma espécia de santuário. Até agora 40 mortos, a maior parte mulheres e crianças.

    Sem comentários a não ser que a brutalidade desses animais de rapina é um poço sem fundo.

  44. wilson cunha junior
    wilson cunha junior

    Mandela erA líder do congresso?

    Depois de 200 anos preso?

    E o HAmas É MAIS do que isso

    Ele não foi apenas líder do congresso.Foi presidente de uma nação.

    E presidente democraticamente eleito.

    E daí?

    Continua sendo terrorrista.

    portanto,

    MORTE AOS TERRORISTAS!!!

    Entenda de uma x por todas:

    está no DNA do terrorista ser contrário a paz.

    Como seria um terrorista em paz?

    Já pensou nisso?

    Um terrorista em paz,perderia sua referência.

    É IMPOSSÍVEL.

    MORTE AOS TERRORISTAS.

  45. Anarquista, AQUI VAI UM POUCO
    Anarquista, AQUI VAI UM POUCO DE HISTÓRIA E CULTURA.
    Nelson Mandela foi declarado terrorista pelo apartheid apoiado irrestritamente por Tortureland e o Nazioniskitan e passou muitos anos no cárcere por 29 anos, acusado de atos de sabotagem e terrorismo. Houve um momento em que realmente o CNA realizou ALGUMAS ações terroristas.
    Quando foi preso pela última vez em 1962, Nelson Mandela era o comandante do braço armado do ANC, «Umkhonto we Sizwe», a «Lança da Nação». Tal prisão só foi possível por informações passadas pela CIA à polícia política do regime do apartheid na África do Sul. Mandela era considerado um perigoso terrorista e comunista. O «Umkhonto we Sizwe» manteve-se activo até ao fim do apartheid, desenvolvendo ações de sabotagem e de guerrilha, algumas das quais atingiram civis inocentes. Durante os 27 anos de prisão Nelson Mandela sempre recusou a sua liberdade condicional em troca de uma declaração de renúncia à luta armada.
    Até 2008 Mandela estava na lista de terroristas da tua querida Amerikkka.
    You’re welcome

  46. Não percebi ainda qual gosto
    Não percebi ainda qual gosto temos em nos debater na internet sobre variados temas. Eu também sinto esse gosto, mas não entendo.
    Qual o saldo?

    De confrontar idéias e posições irreconciliáveis — por exemplo, a favor e contra um genocídio (!!!!!!)

    Somos uma amostra do pensamento que vai pelo mundo , e que faz dele o que é hoje.

    Eu também me pego com vontade de discutir, ao ter de ler tamanhas barbáries escritas, em geral em mau português e por pessoas com dificuldade de raciocínio e, mais, com codinomes.

    Só posso concluir que continuam, sim, a existir dois lados – apesar da imensa sabedoria de filosofias sábias que combatem o dualismo — o BEM e o MAL.

    Os do Bem querem preservar a espécie humana da falência total, abrindo frágeis asas sobre consciências devastadas. Waste Land.

    Os do Mal, não sei o que querem. Não é possível entender.

    Onde termina um, começa outro, eterno uroboros.

  47. O texto que o Anarca escolheu
    O texto que o Anarca escolheu é muito fraco.

    Mas essa foi demais:

    “Nelson Mandela tbm não colocou bombas na cintura.E nem mandou seus seguidores colocarem.Nunca disparou um tiro.”

    Mandela era líder do Congresso Nacional Africano, partido que se definia como nacionalista, anti-racista e antiimperialista. Cansado de seguir as ideias de Gandhi formou o braço armado do ANC o qual chamou de “lança da nação”.

    O “lança da nação” manteve-se ativo até o fim do apartheid e praticava ações de sabotagem e guerrilha que atingiam também civis inocentes. Nos 27 anos em que passou preso Mandela sempre recusou a sua liberdade condicional em troca de uma declaração de renúncia à luta armada.

    No filme “Goodbye Bafana”(Mandela – Luta pela Liberdade) que passou aqui ano passado tem uma cena em que ele discute isso com seu carcereiro.

    Nesse período os negros africanos eram considerados subumanos. Como hoje são considerados os moradores de Gaza.

    Pois é, Mandela foi terrorista. Mas acho que os “civilizados” matam muito mais gente que os terroristas.

  48. weden,

    Paz todo mundo quer.
    weden,

    Paz todo mundo quer. Ou será que Israel acha muito bacana ter que bombardear a Faixa de Gaza? O problema específico é que, para o Hamas, só existe paz se Israel for destruído.

    O que o Hamas fez pela paz naquela região desde que Israel deixou a Faixa de Gaza em 2005? Ganhou uma eleição, deu um golpe, iniciou uma guerra civil, assassinou e/ou expulsou os membros da Fatah e ficou lançando foguetes artesanais contra Israel.

    Será mesmo que, atualmente, Israel é o grande vilão dessa história?

    ——————-

    Nassif, a “opinião pública palestina” (?!) votou no Hamas, mesmo sabendo que se trata de um grupo que quer a destruição do Estado de Israel. Além disso, depois do golpe e da guerra civil na Faixa de Gaza, a “opinião pública palestina” (?!) perdeu muita força.

    ——————

    Quanto ao cara que pediu cópia do programa do Hamas pregando a destruição de Israel, vou considerar como ironia.

    Prezado, estou me baseando na análise de estudiosos israelenses, que atribuem a penetração do grupo ao trabalho de apoio à população. Podem ser terroristas e assassinos, mas loucos não são, para colocar crianças como escudo humano. Ao avalizar essa tolice, voc¨ê compromete o restante da sua análise.

  49. XARÁ BLAYA:
    XARÁ BLAYA:

    Terrrorista não tem escrúpulos.( e são chantagistas emocionais)

    MORTE AOS TERRORISTAS.

    Gritam os moderados: linchemos os radicais!

  50. Elisabeth, pode parecer
    Elisabeth, pode parecer “chocante” para você ler isso, mas Israel não comete genocídio em Gaza. É interessante como a palavra “genocídio” é usada com frouxidão quando se tratam dos “inimigos” dos ditos “progressistas”.

    Não há “genocídio” em Gaza pois os ataques de Israel não visam dizimar a população local. Se essa fosse a intenção, certamente o número de mortos seria muito maior, dada a superioridade bélica de Israel.

    Pode chamar de qualquer outra coisa, menos de genocídio. E essa observação vale para os que, demonstrando absoluto desconhecimento histórico, comparam o ataque atual ao Holocausto.

    Se você quiser um exemplo bem atual de genocídio, olhe para Darfur. Curiosamente, aquele genocídio não é condenado com a mesma veemência nem por este blog e muito menos pelo governo brasileiro. De fato, nosso governo deu apoio diplomático na ONU ao governo genocida do Sudão, ao mesmo tempo em que é rápido na condenação a Israel no conflito atual.

    Cadê a indignação diante das centenas de milhares de mortos no Sudão? Quantos sudaneses vale um palestino na matemática sinistra da galera aqui? Que tal posts e posts com fotos das crianças de Darfur?

    Prezado, você sugere igualdade no tratamento do genocídio do Sudão e do morticínio de Gaza. De que maneira: ignorando ambos ou se indignando com ambos?

  51. Nassif, o trabalho de apoio
    Nassif, o trabalho de apoio do Hamas à população – com seus hospitais, escolas, etc – sempre foi importante para angariar apoio para o grupo terrorista. Mas isso não tem NADA a ver com o fato deles usarem escudos humanos.

    Obviamente os terroristas não sequestram criancinhas e amarram elas em volta do corpo para usá-las como escudos humanos. Eles conseguem fazer isso de maneira mais, digamos, sutil. Basta montar suas bases de operação e de lançamento de foguetes perto de áreas residenciais. Como não existe esse troço de “precisão cirúrgica”, invariavelmente uma hora Israel acertará os alvos civis.

    Tolice mesmo é acreditar que Israel bombardeia alvos civis apenas por “maldade”. Afinal, o que será que a “opinião pública israelense” pensa quando vê uma escola de Gaza ser destruída por um míssil israelense?

  52. Nassif, o genocídio de Darfur
    Nassif, o genocídio de Darfur é MUITO mais grave que o morticínio atual. Prova disso é que você escolheu corretamente as palavras para definí-los.

    Obviamente deve-se repudiar tanto o conflito no Oriente Médio quanto o genocídio de Darfur. A questão é saber identificar quem são os responsáveis pelas duas situações. Na minha opinião, a maior parte da responsabilidade pelo conflito atual no Oriente Médio cabe ao Hamas. No caso de Darfur, a responsabilidade é toda do governo genocida sudanês. Que, relembrando, conta com apoio diplomático do governo brasileiro.

    E há quem ache nossa diplomacia “brilhante”.

  53.  IGNORÂNCIA = FALTA DE
     IGNORÂNCIA = FALTA DE EDUCAÇÃO (INSTRUÇÃO)
    Acredito que as pessoas que aqui entram estão interessadas na verdade e a partir desta se posicionam dando a sua opinião para que os outros possam crescer diante de um debate. Mas lendo as diversas opiniões ao redor do conflito que acontece em Gaza fico imensamente decepcionada. Aonde vamos chegar com tanto ódio? As pessoas param de raciocinar quando vêm uma opinião extremista (digo isto para ambos os lados) e respondem a estas com ainda mais extremismo. É incrível ver como as opiniões escritas refletem nas nossas ações. A falta de informção é generalizada aqui neste blog. Como é que alguém se posiciona perante um conflito tão complexo e antigo sem se informar, sem pesquisar em diferentes fontes, sem entrar de cabeça na imparcialidade antes de mais nada (não que isso seja fácil)? A primeira coisa que as pessoas querem é dar a sua opinião, mas têm preguiça de ir atrás de uma boa opinião ( não digo que uma boa opinião é a favor de Israel ou contra, porque não existe maniqueísmo, e sim, é aquela que tem argumentos fortes e verdadeiros) e isso se chama ignorância (falta de educação).
    Venho por meio desta manifestação pedir a todos que comecem do zero. E que não se esqueçam que o mundo não é dividido entre o bem e o mal.
    http://www.gettyimages.com/detail/84181434/AFP?
    http://www.gettyimages.com/detail/84181760/AFP?
    Bom site de imagens, mas cabe a nós selecionarmos aquelas que queremos ver…nunca esquecendo de verificar as fontes (de onde foram tiradas,por quem)
    Soldados israelenses ajudam guerrilheiros do Hamas a sair de um túnel construído na fronteira com Israel. Após a detenção, os presos receberam atendimento médico, alimentos e agasalhos. Fots: getty images
    Acho que em vez de todos os paises do mundo ficarem reclamando da atitude de Israel e não fezerem nada , estes mandassem mão de obra para lá, para ajudar de fato. Estas manifestações não dão em nada. Acho que as pessoas deveriam parar de ser ingênuas, achando que Israel foi atacar Gaza porque é um país de filhos da puta sem ter motivo algum, e realmente se questionar sobre os motivos e objetivos de Israel, se não haveria uma saída melhor para resolver o TAL problema que o levou ao ataque . Se o resto do mundo fez ou está fazendo alguma coisa para ajudar tanto os palestinos e Israel .Se questionar se foi a melhor decisão ter saído da Faixa de Gaza em 2005, sob o governo de Ariel Sharon (ação que expulsou 7.500 colonos judeus de suas casas e mais 20.000 soldados).
    E aqueles que crêem este ser um segundo genocídio, talvez devessem pesquisar um pouco mais sobre o Holocausto, sobre guerras em geral (para analisar e comparar dados) e principalmente sobre DARFUR.
    O homem tem uma mania triste de esquecer a história e de tirar conclusões precipitadas.
    Peço a todos que parem de ter preguiça quando se trata de política e principalmente quando é um assunto tão delicado, e vão em busca de conhecimento. Lutemos em busca de justiça, e não de mais ódio. Através do estudo talvez consigamos soluções para aqueles irmãos, pois hebreus e árabes, todos vieram da tribo Semita, são todos descendentes de Sem.

  54. Nassif, não vou reclamar como
    Nassif, não vou reclamar como a Maria, que voce cortou meu comentario porque sou mulher, mas ao menos ele não tinha nenhum palavrão, como o da senhora Fridman.
    é mesmo o que você fala sobre textos longos e o que colocam no meio deles, não é?

    É mulher braba.

  55. Luis, quero me reportar ao
    Luis, quero me reportar ao “chato” (com ou sem galocha).Supondo que ele fosse palestino e estivesse morando na faixa de gaza,que ja fosse adulto ,casado e tivesse filhos,vamos supor 2,um menino e uma menina,nenhum com mais de 10 anos.nas eleiçoes passadas escolheu o hamas,até pq o fatah ja estava no poder e nao agradou a populaçao.em um território de perto de 360km,algo parecido com o municipio de guarulhos, com uma taxa de habitaçao por metro quadrado perto de 4.000 pessoas,nao seria muito dificil ele conhecer algum “terrorista”.supondo que tudo isso estivesse acontecendo agora,israel bombardeando e atacando por terra ,mesmo ele nao sendo “terrorista”.Pergunto,ele deixaria sua filha,seu filho ou os dois na alça de mira de foguetes ou bombas pra proteger ou dar motivo para propaganda “terrorista”.”chato” com a palavra

  56. Nassif,

    você acredita mesmo
    Nassif,

    você acredita mesmo que o Hamas ao instalar seus centros operacionais no meio de bairros populares não esta pensando em usar os civis como escudo?

    se esses centros forem colocados em locais isolados serão destruidos de pronto, a unica forma de evitar a eliminação de sua capacidade operacional e instalar-se no meio de civis, o hamas não tem como se defender do poder aereo israelense, isso e fato!

    É fato. E é fato que, para demover a resistência nas cidades, exércitos da Segunda Guerra
    recorriam ao sacrifício de inocentes, tentando atribuir sua morte à oposição. A população de Israel tem toda razão em detestar o Hamas. Mas não consta que os palestinos de Gaza estejam culpando o Hamas pela morte de suas crianças.

  57. Leandro,

    Se eu fosse o seu
    Leandro,

    Se eu fosse o seu “palestino imaginário”, não teria nenhuma alternativa. O Hamas, ao contrário de Israel, não constrói abrigos anti-aéreos para proteger as crianças de bombardeios.

  58. Nassif,

    Stalin proibiu a
    Nassif,

    Stalin proibiu a evacuação de Stalingrado, para que os soldados do exercito vermelho lutassem com mais determinação contra a wehrmatch, Hitler proibiu da mesma forma a retirada de civis de Berlin e de outras cidades no caminho do exercito vermelho, com o mesmo objetivo. O uso de civis como escudo e coisa de ditadores e tiranos, que jamais respeitaram seus povos.

    Os sovieticos adoravam Stalin, e Hitler teve o apoio incondicional dos alemães enquanto no poder, pelo que sei, em gaza a democracia e o respeito a direito do cidadão não é muito respeito, ou o Hamas é um defensor incondicional da democracia e não estamos sabendo?

    Saudades de Arafat? Eu também.

  59. Estranho, para os defensores
    Estranho, para os defensores de Israel qualquer um que o critica é ignorante e não conhece a história. Considero este tipo de postura fundamentalista e inaceitável. É inaceitável presumir que um povo seja o dono da verdade e “escolhido por Deus”, o que lhe daria direito a todas as atrocidades.
    Abraços, Antônio Carlos.

  60. Hay gobierno? Soy contra
    Hay gobierno? Soy contra

    Gostei.

    Sobretudo do último parágrafo.

    ”NÃO EXISTEM INOCENTES”

    E o que faço eu?

    Tento demonstrar exatamente issso.

    Agora,colocar os palestinos como ”inocentes”,nem vc aceita,né?

    Da mimha maneira,estou seguindo a risca suas palavras:

    NÃO EXISTE INOCENTES.

    MAS tá difícil.

    Eu vou pedir pros judeus colocarem pra mídia uma foto de criança morta.Quem sabe empata.

    E aí nós 2 poderemos ser aceitos e entendidos:

    Não existe inocentes.

  61. WEDEN:

    eU SOU CAMPEÃO
    WEDEN:

    eU SOU CAMPEÃO mundial de jogo de palavras.

    Mas dessa vez,não.

    Vamos deixar de lado Israel e Palestina.

    Eu desejo a morte de terroristas.

    SEJAM ELES DE QUE NACIONALIDADE FOREM.

    E vc?

  62. Continuando o post
    Continuando o post anterior:
    Usa-se a história em uma espécie de concurso para ver quem fez o pior genocídio, como se um pudésse justificar o outro.
    Procura-se na história outros genocídios, guerras, holocausto, para tentar mostrar-se culto e diminuir a gravidade do genocídio atual. Mas acaba-se sendo apenas arrogante e insensível, incapaz de ver a história de outro ponto de vista que não o seu.

  63. Camilo, realmente,
    Camilo, realmente, “terrorista” depende, né? O PT, por exemplo, fala em “terrorismo de estado” praticado por Israel, mas nunca usou a expressão “terrorismo” para falar das FARC.

    Só existe terrorismo do outro lado do muro ideológico.

  64. WEDEN:

    Chato,

    O que você
    WEDEN:

    Chato,

    O que você diz dos grupos de pacifistas existentes em Israel.

    Eles são loucos?

    RESPONDEREI:

    são POETAS.

    E a vida nos direciona a escolhas.

    E nem sempre a resposta está na poesia.

    Oxalá fosse.

    MAS NÃO É.

    MORTE AOS TERRORISTAS.

  65. ATENÇÃO:

    Esse negócio
    ATENÇÃO:

    Esse negócio de escrever sobre a paz é mais nojento do que a guerra.

    Todo mundo é a favor da paz.Não percam tempo escrevendo issso.

    Porém,chegou o momento de escolha:

    EU DESEJO A MORTE DE TERRORISTAS,E VCS?

  66. Narquista,
    Eu copio o que li,
    Narquista,
    Eu copio o que li, o que aprendi, para mostar que contra fatos não há argumentos.

    Ser sobrevivente da história (?) não dá direito a esconder a verdade.

    Se leu Nietsche deve lembrar que Zaratustra falou sobre os “que turvam suas águas para parecerem profundas”.

    É melhor mostrar a verdade que discutir o sexo da UOL.

    Existiam anarquistas na Irgun e na Gang Stern? E na Ku Klux Kan também?

    No exercito israelense só tem daqueles anarquistas que dizem: NÃO EXISTEM INOCENTES!!!!!

  67. ELISABETH:

    Não faz
    ELISABETH:

    Não faz isso não.

    O incêndio do Reichstag
    ………………….
    Na noite de 27 de Fevereiro de 1933, o incêndio no parlamento alemão, o Reichstag, foi o principal impulsionador da ascensão de Adolf Hitler ao poder.

    E O QUE ISSO TEM A VER?

    A raça pura,como queria o bigodinho,foi impulsionada pelo incêndio em 1933?

    1933…..

    Valha-me Jupiter….

    Vc deveria escrever um livro.Sugiro o título:

    A segunda guerra mundial e as loucuras de HITLER,segundo Elisabeth.

    O título é longo.Vamos pra outro:

    ELISABETH E O PSIQUÊ SECRETO DE HITLER…

  68. Anarquista,

    Você não
    Anarquista,

    Você não entendeu.

    Estou apresentando a você a posição de Israelenses pacifistas.

    O site informado é do grupo Gush Shalom, que vem fazendo campanhas sistemáticas pela paz e pelo diálogo, e é extremamente crítico às estratégias de guerra.

    Portanto, eu disse, e não você, que parte da opinião pública é contrária a essa guerra estúpida.

    Entenda: a questão não é entre aqueles que apóiam Israel ou a Palestina, mas entre os pacifistas e os partidários do terror dos dois lados.

    E estou apresentando a você israelenses que querem a paz.

    O que não é necessariamente o Estado israelense.

    Pelo jeito,, se eu estivesse lá estaria fazendo as manifestações contra a guerra (como a do último sábado), junto ao grupo Gush Shalom, e você apoiando o exército.

    É isso?

    _______________

  69. Para que ninguém diga que
    Para que ninguém diga que aqui paira a “ignorância e a falta de instrução”,
    senta que lá vem História:;

    Sobre as lembranças da Segunda Guerra que estão aqui aflorando, contribuo com a história de outro episódio bem significativo, e que mujito tem a ver com os tempos modernos

    O incêndio do Reichstag
    ………………….
    Na noite de 27 de Fevereiro de 1933, o incêndio no parlamento alemão, o Reichstag, foi o principal impulsionador da ascensão de Adolf Hitler ao poder.

    Segundo o historiador William L. Shirer ( Ascensão e queda do Terceiro Reich), está provado “para além de qualquer dúvida razoável” que o incêndio no edifício foi obra de um grupo de comandos de Hitler, para responsabilizar os comunistas .

    Hitler fez com que o fragilizado presidente von Hindenburg declarasse o estado de emergência e autorizasse o decreto que permitia, entre outras coisas, limitar a liberdade de imprensa e de expressão.

    Todas as atividades políticas, encontros e publicações dos partidos anti-nazis foram banidas.

    Em março de 1933 foram realizadas as últimas eleições livres na Alemanha, e os nazistas obtiveram praticamente a maioria absoluta.
    A partir daí, a historia é conhecidíssima.
    -……………………..
    Parece que o episodio serviu de inspiração a outro tenebroso da história brasileira.

    Em 1968, o brigadeiro João Paulo Burnier, chefe de gabinete do ministro militar Márcio de Souza Melo, teve a singela idéia de mandar explodir o gasômetro do Rio de Janeiro com o auxílio do Para-SAR, uma divisão da Aeronáutica empregada para salvamentos em local de difícil acesso.

    O objetivo era matar milhares de pessoas e divulgar um comunicado oficial colocando a culpa em “subversivos”, aumentando o apoio ao governo.

    O projeto foi levado adiante com grande segredo. Confiou-se a missão ao capitão-aviador Sérgio Miranda de Carvalho, que se negou e ameaçou denunciar Burnier caso tentasse levar o plano adiante com outro oficial.

    Sérgio foi declarado louco e afastado da Aeronáutica em 1969.

    O caso continuou abafado até 1978, quando o brigadeiro Eduardo Gomes fez uma declaração defendendo seu colega, confirmando o projeto de explosão de gasômetros e destruição de instalações elétricas para criar pânico na população, revelando o caso para o conhecimento público.

  70. Anarquista,
    o João Pereira
    Anarquista,
    o João Pereira Coutinho escreve muito bem mas não é citação que se coloque. Jornalista comprometido com seu próprio bolso e entidade patronal. Está mais a direita que TFP.
    Quem já na “terrinha” viveu sabe bem o “lambe-botas” que é este cidadão.
    Ele ama estorvos como o Paulo Portas e seu PP (Partido Popular) e toda tralha retrógrada que vive em Sintra, Cascais e Lisboa.
    “Ícone dos Betinhos” (para nós, Mauricinhos), tem um público muito parecido aos leitores da “Óia”, nestas paragens.
    Vê se busca coisa melhor, quem sabe humor refinado. Segue dica:
    gatofedorento.blogspot.com/
    ricardoaraujopereira.blogs.sapo.pt/
    pt.wordpress.com/tag/ricardo-araujo-pereira/
    Divirta-se e sinta como podemos falar sério e ainda “tirar onda”.

  71. ELIZABETH

    Li os seus
    ELIZABETH

    Li os seus comentários e concordo plenamente com você.

    Portanto, amiga, não gasta a sua adrenalina aqui.

    Não vale a pena.

    Só aprende quem quer e quem tem humilde para sentir que possui pouco conhecimento da vida.

    Aos sabichões, com experiências em todos os campos, resta o nosso silêncio.

    É o melhor que podemos lhes oferecer.

    Vejo a sua indignação.

    Um assunto tão sério desse passou a virar piada de mau gosto.

    Como não compactuo com tal posicionamento, prefiro buscar o diálogo em outros campos, onde as cabeças são mais arejadas.

    Receba a minha solidariedade!

    lu

  72. Lu

    É muito bom saber que
    Lu

    É muito bom saber que ainda existem pessoas sensiveis com você e outros tantos deste blog.

    Já quanto àqueles que se escondem sob codinomes, esgrimam mal o português e brigam com a razão, nem leio mais.

    anarquistas chatos, moderados que se esgoelam pela Morte: tô fora!

    também vou deixar esta arena pretensamente macha, mas de contendores tão pífios

    e espero não ser censurada na despedida.

  73. Acho a violência intolerável,
    Acho a violência intolerável, principalmente quando ela é representada com tamanha desproporcionalidade. Israel está deitando e rolando e se lixando para os direitos humanos. Precisamos de mais vozes com ações contundentes contra essa barbárie. Mesmo para quem não gosta de Chavez, devemos admitir que o gesto simbólico de expulsar o embaixador israelense deveria ser copiado por mais países como forma de protesto.

  74. Hoje qualquer idiota mal
    Hoje qualquer idiota mal informado, sabe QUEM SÃO OS TERRORISTAS.
    Os GENOCIDIOS NO IRAQUE, NO AFEGANISTÃO E AGORA NA PALESTINA. só para citar os últimos. Chamar os outros de terroristas já não cola mais, inventem outra.
    Os exterminadores atuais deviam pensar no futuro. O mundo não vai esquecer. Deviam ver o problema do povo americano, que hoje não pode mais nem fazer turismo pelo mundo, como sempre fizeram
    Ajudem a pensar na PAZ e não em defender o exterminio de seres humanos.

  75. Caro amigo Anarquista,

    Pirou
    Caro amigo Anarquista,

    Pirou de vez?

    Dizer que nenhum palestino é inocente?

    E ainda diz que odeia terroristas?

    Por favor, não mate um terrorista quando se olhar no espelho.

  76. Uma megacrise econômica.
    Uma megacrise econômica.
    Todo mundo cortando custos e investimentos.
    Começa uma nova guerra, bilionária ou trilionária, em dólares.
    Israel é um país pobre. Depende da mesada de Tio Sam e da doação dos ricos capitalistas judeus para sobreviver e manter seu potencial militar.
    Quem financia?
    – Bush, sem autorização do congresso?
    – A indústria da morte dos USA?
    – Obama -O desaparecido preocupadinho – pagará a fatura?
    – Israel juntou dinheiro durante muito tempo para deflagrar essa guerra?
    – Os desprezíveis medievais reis do petróleo da Arábia Saudita, Kwait?
    Incógnita total, uma guerra desse tipo é um empreendimento mercantil, alguém irá ganhar muito com isso.
    Essa guerra beneficia a quem?
    Será que os que saquearam o mundo com esta crise aplicaram parte do que ganharam financiando esta guerra com o olho no petróleo do Irã?
    Impossível saber agora, mas que tem alguma coisa bem maior sendo aramada, é bem possível.

  77. Anarquista, você é realmente
    Anarquista, você é realmente um mago.
    Meu comentário sobre o “Não há inocentes” foi postado às 18:12 e você o respondeu às 17:24. Realmente preciso conhecer mais um pouco de Física Relativística. Ou você lê meus pensamentos antes deles surgirem ou trabalha a uma velocidade impossível, ultrapassando os 300.000 m/s e brincando com os universos.
    Realmente, você é muito pirado, mas tiro o chapéu.
    Mas se for um bug no sistema, pode ser coisa dos sionistas ou do capeta…
    Pena que arcabuzaram meu comentário sobre os palestinos terroristas desde criancinhas, perigosíssimos, um espelho e o terrorismo.

  78. Infelizmente, o tempo apaga a
    Infelizmente, o tempo apaga a memória e a geração de hoje já são sabe o que foi o holocausto. Pior para os Judeus e israelenses. Estas imagens é que vão ficar na nossa memória e de nossos filhos por muito tempo. Meu filhinho de 13 anos, que está começando agora a estudar mais profundamente, fez-me uma pergunta pertubadora: Pai, se eles fazem isto com crianças e velhos indefesos, os nazistas não tiveram razão em fazer o que fizeram ? Respondi que não, nada justificava barbaridades. Mas a imagem que ficará na cabeça dele será a dos judeus assassinos e, no máximo, duvidas sobre a história do passado.

  79. Anarquista,

    Você pergunta,
    Anarquista,

    Você pergunta, “Quando foi que o terrorismo venceu?”

    Respondo: Em Israel.

    Antes do Estado, grupos terroristas lutavam pelas terras. Foi um fator que levou à fundação do Estado, ao lado, lógico, do genocídio do povo judeu pelos nazistas.

    Israel nació de una campaña terrorista

    El terrorismo indiscriminado moderno comenzó con una campaña de los grupos sionistas judíos en Palestina contra la población árabe

    Por Alvaro Peredo, en 18 de Agosto de 2008

    La fundación del Estado de Israel estuvo precedida de una tremenda campaña terrorista ejecutada por diversas organizaciones, entre cuyos miembros se encontraban personas que se convirtieron con el tiempo en destacadas y respetadas personalidades de la política israelí. Y todo ello en vísperas de la Segunda Guerra Mundial.

    El terrorismo indiscriminado moderno comenzó con una campaña de los grupos sionistas judíos en Palestina contra la población árabe en un intento de aterrorizar a todo aquel que se opusiese a la creación de un Estado judío en la región.

    Los primeros atentados indiscriminados contra la población árabe se sucedieron a finales de los años 30. El 16 d julio un individuo provisto de una kufia y túnica, entra en un mercado repleto de gente con dos cantaros de leche que deposita en el suelo para marcharse a continuación. Tras unos minutos, los cantaros estallaron y sembraron el mercado con los cadáveres de 21 personas. 52 más se encontraban heridas.

    La Irgun, una de las organizaciones judías mas extremistas habían inaugurado una nueva era, la del terrorismo indiscriminado. Tan sólo una semana más tarde, otro mercado de la Ciudad Vieja de Jerusalén, fue victima de una mina. La explosión se produjo en el momento en el que los fieles salían de orar de la mezquita. Ocho personas murieron y treinta mas resultaron heridas. No contentos con los resultados, una nueva bomba colocada en un mercado de Haifa mató a 39 árabes y dejó a 70 más heridos. Al día siguiente otra bomba acababa con la vida de 24 personas. Masacre tras masacre.

    El historiador israelí Benny Morris, profesor de la Universidad Ben Gurion de Beersheba, explica que antes de aquella ola de atentados “los árabes y en menor medida judíos disparaban a vehículos y peatones”. A veces “utilizaban granadas matando a unos pocos transeúntes y pasajeros”. “Ahora, por vez primera, se colocaban bombas en centros árabes llenos de gente y docenas de personas eran asesinadas y mutiladas indiscriminadamente”. Los árabes no tardaron en copiar los mismos métodos y este tipo de actos “se convirtió en algo así como una tradición: en el futuro, mercados, estaciones de autobuses, cines y otros edificios públicos de Palestina serían los objetivos de rutina, dándole un tinte brutal al conflicto”.

    Las dos principales organizaciones paramilitares judías fueron la Haganna y la Irgun.
    La Haganna había sido constituida al principio como organización de autodefensa de las colonias judías en Palestina. Esta cambió a una táctica más agresiva a raíz de los levantamientos árabes de 1929 contra de la inmigración masiva. Estaba dirigida por Abraham Tahomi, emigrante ruso veterano de los grupos defensivos contra los pogromos en Odessa y próximo ideológicamente al fascismo. La Agenda Judía pasaría a dirigir la organización.

    Por otro lado se encontraba el aún mas extremista Irgun, que para la década de los 30 recibiría el apoyo de diversas organizaciones como de el Betar (de ideología fascista), de miembros de la organización deportiva Macabi, del Partido General Sionista de carácter ultraortodoxo, el Mizrahi y del Partido Revisionista de Jabotinsky (miembro del ala ultraderechista del sionismo).

    Desde 1936 el Irgún y la Haganna actuaron frecuentemente cometiendo asesinatos en venganza por otros asesinatos cometidos por árabes o en acciones de terror de mayor envergadura contra la población árabe. Hacia 1939, la Haganna al mando de Ben Gurion, cambió de táctica ante la presión de los ingleses y la necesidad de este de dar una imagen mas moderada. En los primeros meses de ese año Ben Gurion encargo la formación de tres grupos ultrasecretos, que se encargarían de realizar los trabajos mas sucios y dichos trabajos no se hicieron esperar.

    Segue…

  80. Chato

    Nennhum país corta
    Chato

    Nennhum país corta relações com ditaduras amigas.

    Não seja tão confiante na Humanidade.

    Vide EUA (que inclusive financiou algumas e se cala diante dos estados árabes “amigos” e outras potências ocidentais, e o próprio Brasil, com bons negócios militares com o Iraque de Saddam.

    No fundo, no fundo, a retórica é uma arte da política.

  81. Ao Marcelo Santos:

    Explique
    Ao Marcelo Santos:

    Explique para o seu filhinho de 13 anos que os brasileiros, americanos, chineses, russos, japoneses, espanhóis, franceses, ingleses, etc, etc, etc, já fizeram coisa muito pior a crianças e velhos indefesos. Acho que ele entenderá que não dá para mandar o mundo inteiro para as câmaras de gás.

    —————–

    Ao Marcio Leandro:

    O Chavez expulsou o embaixador de Israel apenas pois isso ajuda a sua presepada anti-americana. Não consta que ele tenha pensado em romper laços diplomáticos com o governo do Sudão, por exemplo… E nem com as ditaduras amigas da Venezuela que massacram dissidentes.

  82. A ignorância cega as pessoas
    A ignorância cega as pessoas e tira totalmente sua sensibilidade e humanidade.

    Anarquista e Chato são a favor da morte e da destruição, e para eles, os fins, justificam os meios.

    Espero, como covardes que são, que sempre estejam do lado do mais forte (Israel/EUA), pois tenho certeza de que se fossem palestinos, seriam informantes de Israel.

    Os raciocínios do Anarquista e do Chato são tão contraditórios, que ao final deles, chega-se à conclusão de que eles querem cometer o suicídio, pois odeiam fundamentalistas/terroristas.

    O Hamas não tem o direito de usar táticas terroristas para impor sua idéias, mas Israel também não tem esse direito, são duas organizações terroristas levando o horror aos civis inocentes (em sua maioria palestinos).

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador