Jovem gravemente acidentada dá exemplo de fé e superação

Após alta médica, estudante atropelada por trem diz que o importante é estar viva
 
Ana Carolina Ferreira Marinho saiu do hospital nesta quarta-feira. Ela caiu no vão entre a composição e a plataforma ao reagir a um assalto


 

Fonte: O GLOBO ONLINE (24/10/12)

 

 

RIO – Ao receber alta na manhã desta quarta-feira do Hospital Pasteur, no Méier – onde estava internada desde o dia 5, após ser atropelada por um trem ao reagir a um assalto próximo à estação Benjamim do Monte, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, no dia 2 de outubro -, a estudante Ana Carolina Ferreira Marinho, de 25 anos, disse que quer continuar levando a sua vida normal e voltar à faculdade de Arquitetura. Ela acrescentou que o maior presente que recebeu foi estar viva.

 

 

Sem querer tocar no assunto de como ocorreu o acidente, em que perdeu parte da perna direita e do pé esquerdo, a jovem disse ainda que, quando estiver formada, vai pensar em desenvolver projetos de acessibilidade para cadeirantes. A família da estudante acrescentou que ela continuará fazendo tratamento para, num futuro próximo, colocar próteses.

 

A universitária foi atendida, inicialmente, no Hospital estadual Rocha Faria, onde foi operada. No período em que esteve internada, teve que ser submetida a uma nova cirurgia para amputar mais uma parte do pé esquerdo.

 

No dia do acidente, Ana Carolina voltava da faculdade e pegou o trem em Piedade, sentido Santa Cruz. Ao chegar à estação Benjamin do Monte, por volta das 22h30m, um homem roubou o videogame dela pela janela. Ana Carolina, que é estudante de arquitetura, tentou segurar o aparelho e acabou caindo no vão entre o trem e a plataforma. Como a composição já estava em movimento, ela acabou sendo atropelada.
 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome