O caso Incor

Do site “Contas Abertas”

“As transferências da União à fundação, no entanto, ocorrem por diversas finalidades. Vários órgãos federais repassam valores altos à Fundação, desde o Fundo Nacional de Saúde, para o fortalecimento do SUS, até o popular “Fome Zero”. O Fundo Nacional de Saúde firmou diversos convênios com a Fundação Zerbini à título de apoio financeiro para a manutenção do Incor, incluindo custeio, manutenção, reforma e reaparelhamento. A Secretaria Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, que comandava o conhecido “Fome Zero”, transferiu em 2003 à Fundação Zerbini R$ 3,2 milhões para o desenvolvimento de um sistema que implantaria ações voltadas à segurança alimentar e à melhoria da qualidade de vida das comunidades carentes”.

Tudo bem que se queira preservar o Incor. Mas não se pode mantê-lo nas mãos da Fundação Zerbini sem uma apuração ampla do que aconteceu. Há que se proceder a uma investigação rigorosa dos contratos da Fundação, das compras e, principalmente, da aventura de Brasília.

Se o presidente Lula quiser salvar o Incor, no próprio ato de concessão da ajuda deveria nomear uma força tarefa para esmiuçar todas as contas da entidade.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora