O garimpeiro historiador

Conto o milagre, mas – a pedido – não o santo.

Um dos mais criativos empresários brasileiros, muito cedo, lá pelos idos dos anos 70, resolveu prospectar ouro no norte. Enfrentou problemas quando as cotações despencaram nos anos 80.

Agora, que o ouro voltou a disparar tornou-se um dos maiores produtores nacionais, graças a um faro campeão. Foi para Portugal, pesquisou todos os mapas sobre minas histórias brasileiras em Goiás. Supôs corretamente que as minas tinham sido abandonadas depois de perderem valor econômico. Mas isso em outros tempos, com outra tecnologia. Com as novas tecnologias, voltariam a ser rentáveis.

Localizou-as, pediu direito de lavra e – para usar uma expressão dos garimpeiros – “bamburrou”. Isto é, descobriu ouro aos borbotões.

A propósito, não se trata de Eike Baptista.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora