O massacre da Daslu

Quando a Polícia Federal, Receita e Ministério Público organizaram a bem sucedida e planejada invasão da Daslu, a loja era a queridinha da sociedade paulistana e dos políticos nordestinos, incensada pelos jornais e revistas, em um deslumbramento vexaminoso. Provavelmente fui o único jornalista a sair em defesa da operação.

Agora, que a Daslu caiu em desgraça, e a dona empreende uma luta hercúlea para salvá-la, as mesmas publicações que a incensavam comandam o linchamento. Antes, provas contundentes de formação de quadrilha eram ignoradas. Agora, qualquer acusação, por mais inverossímil, é aceita.

Torço para que Eliana Tranchesi dê a volta por cima, enquadre a Daslu na legalidade e consiga sobreviver.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora