O playboy internacional

O ex-presidente da Embraer, Ozires Silva, está à cata de dados biográficos de Baby Pignatari. Dono de minas de cobre, fabricante dos aviões Paulistinhas, utilizados praticamente por todos os aeroclubes nacionais dos anos 50, Baby foi uma espécie de Howard Hughes tupiniquim, playboy que conquistou de princesas européias a atrizes de Hollywood. Seu caso mais comentado foi com a princesa Ira de Furstenberg.

Um dos casos jurídicos mais intrincados dos anos 80 foram as lutas em torno da herança de Baby Pignatari, envolvendo seu filho Júlio Pignatari. Quem pode dar detalhes da história é o ex-Ministro da Justiça Saulo Ramos, hoje um pacato morador de Ribeirão Preto. O auge da disputa foi a venda da chácara Tangará, adquirida pela Bunge. O que o herdeiro recebeu não dava para comprar um Opala, na época.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora